Artrose da coluna vertebral

A Artrose vertebral (também conhecido como espondilose ou espondiloartrose) é uma doença degenerativa que provoca a degeneração e a perda da função da coluna vertebral.
O envelhecimento é a principal causa de artrose da coluna vertebral, mas a localização e a gravidade podem variar muito entre os indivíduos.

INDICE


O processo degenerativo da espondilose pode afetar a cervical (pescoço), as costas ou a região lombar (costas inferior) da coluna vertebral.

Os termos usados para identificar a doença variam de acordo com a localização:

Teste de coluna vértebral, prova de instabilidade, avaliação, diagnóstico, inflamação, sintomas, dor

  • A nível do pescoço é chamado espondilose cervical
  • A nível das costas é chamado espondilose lombar
  • A nível dorsal é chamado a espondilose torácica.

O termo espondilose não só é utilizado para descrever a Artrose da coluna vertebral, mas também é utilizada para descrever qualquer tipo de degeneração da coluna vertebral.

 


Alterações anatômicas

Com a idade ocorrem mudanças bioquímicas em todos os tecidos do corpo.

Na coluna, a estrutura dos discos intervertebrais (anel fibroso, lamelas, núcleo pulposo) se ruína.
O anel fibroso (a parte exterior) é composto de cerca de 60 círculos concêntricos chamados lamelas compostos por fibras de colagénio.
O núcleo polposo é uma substância gelatinosa no interior do disco intervertebral rodeado pelo anel fibroso. O núcleo é composto por fibras de colagénio, proteoglicanos e água.
Os efeitos degenerativos do envelhecimento podem enfraquecer a estrutura do anel fibroso, causando um consumo de usura e repetidas lacerações .
O conteúdo de água do núcleo diminui com a idade, o resultado é a perda gradual da capacidade de absorver os traumas e os microtraumas do dia a dia (amortecedor). As alterações estruturais da degeneração causam uma redução da altura do disco e aumentam o risco de hérnia de disco.

 

Hérnia,de,disco,com,osteófitosAs facetas articulares (chamadas articulações zigoapofisárias ). Cada corpo da coluna vertebral tem quatro facetas articulares que funcionam como uma dobradiça ou pivô. Estas são as articulações sobre o qual ocorre o movimento articular da coluna vertebral e permite a extensão, a flexão e a rotação.
Como as outras articulações, as superfícies articulares do osso são cobertas por cartilagem.
A cartilagem é um tipo especial de tecido conjuntivo que lubrifica e reduz o atrito sobre as superfícies de deslizamento.
Artrose das articulações facetárias implica a perda da cartilagem e a formação de osteófitos (esporões ósseos). Essas mudanças podem causar hipertrofia das articulações e espondiloses, também conhecido como doença articular degenerativa.

Os osteófitos (esporões ósseos) podem Formar-se em torno do perímetro da placa vertebral (a parte superior do corpo da vértebra). Estes exostosis (proeminências ósseas) podem comprometer o suprimento de sangue para a vértebra. Além disso, acontece o fenómeno de esclerose óssea, isto é um espessamento ou endurecimento do osso sob a superfície articular.
Os ligamentos são faixas de tecido fibroso que ligam as estruturas da coluna (por exemplo, as vértebras) e protegem contra o movimento excessivo (por exemplo, hiper-extensão).

Todavia, as alterações degenerativas podem causar a perda de força dos ligamentos.
O ligamento amarelo (um ligamento espinal primário) pode espessar e fazer obstáculo posterior (por trás) para a dura-máter (a membrana da medula espinal).degeneração,da,coluna,vertebral,adição



Causas e fatores de risco de artrose da coluna vertebral

Existem várias razões para a qual algumas pessoas são particularmente propensas a artrose. Todavia, como com quase todas as doenças que afectam a deformação do corpo, é provável que a artrose seja causada por uma combinação de factores de risco que ocorrem em conjunto.

Traumas repetitivos na coluna como os alongamentos ou compressões causadas por acidentes de viação, intervenção cirúrgica, lesões esportivas, má postura ou actividades relacionadas com o trabalho podem causar artrose da coluna vertebral.
Portanto, os atletas e as pessoas que exercem movimentos repetitivos e especialmente pesados são aqueles que correm maior risco.

 

Outros fatores de risco para o desenvolvimento de artrose vertebral são:

  • O envelhecimento regular e avançado das estruturas da coluna vertebral a partir dos 30 anos, muitas vezes relacionados com o trabalho.
  • Tipicamente, a artrose é mais comum em mulheres em pós-menopausa, mas antes dos 45 anos, é mais comum nos homens.
  • Excesso de peso: A obesidade provoca mais estresse sobre as articulações de suporte e sobre a coluna vertebral, especialmente para as pessoas de meia-idade.
  • A Genética: aqueles com história familiar de artrose, defeitos congênitos das articulações, um ruim alinhamento da coluna vertebral ou membros inferiores, facilmente desenvolvem a espondilose:

Quando uma causa específica de artrose é desconhecida, como é na maioria dos casos, é chamada artrose primária, parece ser causada principalmente pelo envelhecimento.
A idade conduz a alterações da cartilagem e fluido sinovial, aumenta o conteúdo de água nos tecidos e diminui o conteúdo de proteína.

 


Sinais e sintomas de artrose na coluna vertebral

Muitas pessoas com espondilose visível na radiografia não tem nenhum sintoma.
Na verdade, a espondilose lombar (Artrose da parte inferior das costas) é presente em 27-37% das pessoas sem sintomas.abaulamento, disco, hérnia, disco, vértebra, coluna, medula
A espondilose pode causar dor nas costas e dor no pescoço e em algumas pessoas devido a compressão de um nervo (irritação da raiz).
A compressão dos nervos é causada por esporões ósseos ou protuberâncias ósseas sobre as facetas articulares que provocam o estreitamento dos furos dos quais saem as raízes nervosas (estenose foraminal).

Embora não seja grande o suficiente para beliscar deretamente um nervo, o bulging do disco pode causar inflamação local e irritação dos nervos da coluna vertebral.
Além disso, uma hérnia de disco pode pressionar sobre os ligamentos da coluna e causar dor.
Por causa da dor, a área da coluna vertebral pode tentar bloquear a se mesma, com consequência rigidez local, espasmo muscular e ativação dos pontos de gatilho.
No entanto, existem opiniões conflitantes sobre a possibilidade de que a espondilose leve, os pequenos esporões e os bulging discais que não comprimem os nervos podem causar dor nas costas. A maioria das pessoas de meia-idade e idosos têm sinais de espondilose na radiografia, mas não sente dor. Então, existem outros fatores que provavelmente causam dor nas costas.
Os sintomas de espondilose são a dor localizada na área onde há sinais de artrose, habitualmente na espinha lombar ou cervical.
Se uma hérnia de disco provoca um esmagamento do nervo, a dor pode irradiar para um membro.
Por exemplo, uma hérnia de disco na coluna lombar de grandes dimensões na coluna lombar pode causar a compressão do nervo ciático e causar dor que se origina na parte inferior das costas e continua ao longo da perna até os pés.
Este distúrbio é chamado de ciática ou dor ciática. A dor nas costas causada por uma protrusão discal o abaulamento piora mantendo uma posição prolongada de pé, sentado e inclinado para a frente, enquanto melhora mudando freqüentemente de posição e caminhando.

A dor nas costas causada pela artrose das articulações facetárias causa dor nos pés e caminhando, enquanto se alivia sentado, deitado e quando se inclinada para frente. facetas,articulares,vertical

Os sintomas de dormência e formigamento podem ser sentido se um nervo é comprimido. Se o nervo é gravemente irritado, o membro afetado pode tornar-se mais fraco e com menos sensibilidade.
Se uma hérnia de disco empurra sobre a medula espinhal, pode interferir com o funcionamento do nervo (mielopatia).
Os sintomas de mielopatia são: dormência, formigamento e fraqueza. Por exemplo, uma grande hérnia de disco na coluna vertébral cervical se for grande o suficiente para empurrar sobre a medula espinhal pode causar dormência, formigamento e fraqueza nos braços e até mesmo nas pernas.