Calcificações

 

INDICE


A calcificação é uma acumulação gradual de cálcio nos tecidos do corpo.
A maioria do cálcio absorvido pelo corpo termina nos ossos e nos dentes, mas o excesso de cálcio é dissolvido no sangue e é eliminado na urina.

No entanto, um pouco de cálcio se acumula nos tecidos do corpo.
Este depósito de cálcio provoca o endurecimento do tecido.

Calcificações, quadril, fêmur

A calcificação pode fazer parte de uma natural reação inflamatória à infecção, trauma ou doenças auto-imunes.
Além disso, os tumores (malignos ou benignos) podem causar calcificações dentro do tecido do tumor.

 


Classificação das calcificações

  • A calcificação distrófica é um acúmulo de sais de cálcio nos tecidos em necrose (mortos) ou degenerado, mas não depende do aumento de cálcio no sangue (hipercalcemia). Um exemplo é a calcificação das cicatrizes.
  • As calcificações metastáticas são causadas por um acúmulo de sais de cálcio nos tecidos vivos e normais, neste caso existe um aumento na densidade de cálcio no sangue que pode ser causada por anomalias metabólicas tais como a doença de Addison, um sarcoma (câncer ósseo), hiperparatireoidismo, etc.
  • A calcificação heterotópica forma-se onde normalmente não pode ser encontrada.

A calcificação se torna um problema quando a posição, forma ou tamanho interfere com o funzionamento de um órgão, tais como aquelas que endurecem e bloqueiam os vasos sanguíneos no cérebro, coração e rins.
Nas mamografias são mais aparentes e podem indicar a presença de câncer de mama, mas também pode ocorrer no caso de doença benigna da mama (calcificações displásicas).
Muitas vezes podemos ver calcificações no fígado, mas normalmente não causam sintomas.

 


O que causa a calcificação?

As calcificações podem ser causadas por inflamação ou níveis elevados de cálcio no sangue, este disiturbo é chamado de hipercalcemia.
O depósito de cálcio pode ser a consequência de um processo de cura de uma lesão músculoesquelética.
As calcificações são muitas vezes encontradas ao longo dos tendões e em particular na área onde são inseridos no osso, também encontra-se nas artérias com arteriosclerose (endurecimento), em doenças benignas e malignas da mama, em fraturas ósseas e às vezes dentro dos tumores.

Quais são os fatores de risco para calcificações anormais?
Vários fatores aumentam o risco de desenvolver calcificações anormais, mas nem todos os indivíduos com esses fatores têm uma calcificação.
Os fatores de risco para calcificação são:

  • Sobrecarga da articulação devido ao tipo de trabalho ou esporte praticado
  • Alcoolismo
  • Doenças auto-imunes
  • Distúrbios do metabolismo de cálcio hereditários
  • Lesões dos tecidos internos que causam reações inflamatórias

 


Quais são os sintomas da calcificação?

As calcificações normaltemente não produzem nenhum sintoma, mas são encontradas acidentalmente em uma radiografia ou uma mamografia.
Algumas calcificação no corpo são normais.
Você pode sentir os efeitos de uma doença subjacente ou um processo que provoca a calcificação.
Esses sintomas dependem dos órgãos afetados e da doença.
Alguns dos sintomas mais comuns associados com calcificação são os esporões ósseos, calos e tártaro nos dentes.
Se não tratados, os distúrbios do metabolismo de cálcio podem causar uma calcificação no tecido.

 

Sinais e sintomas de calcificações

É possível sentir os sintomas da calcificação, mesmo se eles não estão associados a um distúrbio do metabolismo mineral.
Às vezes, alguns desses sintomas podem ser graves:

  • Dor óssea
  • Esporões ósseos
  • Massa no peito
  • Redução do crescimento
  • Fraturas ósseas
  • Fraqueza muscular ou cãibras
  • Fraqueza progressiva
  • Tártaro nos dentes

 

Sintomas que podem indicar uma doença grave

Em alguns casos, a calcificação pode ser um sinal de uma doença grave que deve ser avaliada no pronto socorro imediatamente.
É necessário ir imediatamente ao hospital se tiver complicações causadas por calcificação como pedras nos rins, doença de Paget (patologia do metabolismo ósseo), tumores da epífise ou uma grave hipercalcemia (excesso de cálcio no sangue) com qualquer um destes sintomas:

 


Calcificações, púbis, virilhaTratamento para calcificações

As calcificações dos tendões são formadas ao nível da inserção do tendão. Entre as mais populares estão aqueles do cotovelo, joelho (no tendão do quadríceps) e ombro.
calcificação no ombro, no braço, no quadril ou no fêmur pode ser curada com fisioterapia ou cirurgia.
Entre os remédios naturais, as ondas de choque agem sobre o tendão e sobre a vascularização, portanto a dor pode desaparecer mesmo se a calcificação permanece.
O tipo de tratamento depende do tipo de patologia do metabolismo.

 


Quais são as possíveis complicações da calcificação?

As complicações das calcificações podem ser graves, especialmente quando elas estão nas artérias ou dentro de um câncer.
Se pode diminuir o risco das complicações graves seguindo o tratamento prescrito por um ortopédico.

As complicações das calcificações são:

 


Calcificações na mama

As calcificações são pedaços de cálcio muito pequenos que podem aparecer dentro dos tecidos moles da mama.
As calcificações da mama não são sempre um sinal de câncer de mama, podem ser a indicação de uma doença pré-cancerosa.

Não podem ser sentidos com a palpação, mas são vistos por uma mamografia.
As calcificações são muito freqüentes e na maioria dos casos são inofensivos.
Existem dois tipos de calcificações:

  • Macrocalcifições: são grandes depósitos de cálcio na mama. Aparecem como grandes pontos brancos e traços em uma mamografia.
    As macrocalcifições são o resultado natural do envelhecimento da mama e são inofensivos. Não estão associados com câncer e não é preciso de um controle ou tratamento.
    Eles ocorrem em cerca de metade de todas as mulheres de mais de 50 anos de idade e cerca de 1 a 10 (10%) de mulheres mais jovens. Podem ser cistos calcificados ou depósitos de cálcio nos dutos do leite.
    Ocorrem quando as mulheres envelhecem como resultado de trauma ou inflamação. O cálcio na dieta não provoca a formação de calcificações.
  • Microcalcificações são pequenos depósitos de cálcio na mama. Aparecem como pontos brancos finos em uma mamografia. Geralmente encontrados em uma área da mama onde as células são substituídas mais rapidamente do que o normal. Geralmente as microcalcificações não são causadas por câncer. Às vezes no entanto, um grupo de microcalcificações em uma área pode ser um sintoma de câncer de mama precoce ou mudanças pré-cancerosas.

Na mamografia aparecem como pontos brancos no seio.
Se a mamografia mostra microcalcificações (calcificações menores de 1cm), o médico ou radiologista pode exigir uma ultrassonografia ou uma biópsia.
Se existe um par de microcalcificações questionáveis, pode ser necessário voltar depois de seis meses para uma mamografia comparativa que ajuda a compreender a evolução.

É bom fazer esses exames de controle para ter certeza de obter a melhor informação sobre sua saúde.
80% das microcalcificações é benigno

Algumas causas benignas provocam as calcificações:

  • Uma velha ferida no tecido mamário
  • Uma infecção
  • Cálcio depositado em um ducto de leite dilatado
  • Cálcio misto ao fluido de um cisto benigno da mama
  • Radioterapia para câncer de mama
  • Calcificação vascular nas artérias dentro do peito
    calcificações em um fibroadenoma (formação benigna)

 


Calcificação vascular e aorta

A aterosclerose (ou calcificação das artérias) é uma doença caracterizada pela formação de placas nas paredes internas dos vasos sanguíneos.
As placas são constituídas por gordura, cálcio e outras substâncias.
As calcificações ocorrem frequentemente na válvula que separa o coração da aorta.
Nos estágios iniciais, o funcionamento da válvula em si não é comprometida, mas muitas vezes provoca um sopro cardíaco audível.aorta,veia,cava,inferior
Se a calcificação parietal é avançada pode causar dor no peito ou até mesmo um infarto.
Uma calcificação pode se formar em outras partes do coração, como as artérias.
No caso de calcificações vasculares, as placas arteriais tornam-se cobertas com depósitos de cálcio que formam uma camada externa frágil acima das placas.
As calcificações lamelares são fora da parede da aorta, portanto são menos perigosas.
Os idosos são os mais afetados.

 


Calcificação na próstata

As calcificações da próstata são freqüentes, especialmente após os 50 anos.
São extremamente raras em crianças e rara abaixo dos 40 anos.
O número e o tamanho aumentam com a idade.

Sintomas
Muitas vezes, a calcificação benigna da próstata é encontrada por acaso dado que é assintomática, mas pode causar sintomas como disúria, hematúria, infecção, obstrução ou dor pélvica/perineal.
Em alguns casos, as calcificações passam através da uretra.

As calcificações da próstata podem ser primárias (idiopáticas) ou secundárias a:

1. Diabetes mellitus
2. Infecções – como a tuberculose (causa as calcificações em linfonodos) ou a prostatite bacteriana
3. Hipertrofia da próstata benigna (a calcificação ocorre em 10%)
4. Câncer de próstata
5. Radioterapia
6. Pós-operatório de stent uretral.

 


Calcificações no testículo

As calcificações no epidídimo podem ser parte de um tumor benigno, mas eles também podem indicar a presença de um carcinoma, portanto é necessário controlar.

 


Calcificação no pulmão

No caso de câncer de pulmão é possível observar calcificações, geralmente identificam uma formação benigna ou são a conseqüência de uma tuberculose pulmonar.

Leia também