Câncer no colo do útero

O câncer no colo do útero é um tumor maligno que pode afetar as células do colo do útero (parte inferior do útero).

INDICE


Este artigo fala de câncer cervical, ou seja da cérvice uterina ou colo do útero.
Câncer cervical geralmente se desenvolve lentamente.
Começa como uma alteração pré-cancerosa chamada displasia.

Câncer de colo do útero,colo,cervical,sintomas

© vgstudio – Fotolia.com

Essa alteração pode ser diagnosticada por um exame de Papanicolaou e é tratável em 100%. Se passam alguns anos sem tratamento, pode se tornar maligna. A maioria das mulheres diagnosticada com câncer de colo útero não fisseram o exame de Papanicolau regular

 

Tipos de câncer do colo do útero

Existem dois tipos principais de câncer de colo do útero.

1. Carcinoma a células escamosa – este é o mais frequente, começa nas células que cobrem a superfície externa do colo do útero.
O teste de Papanicolau detecta as primeiras mudanças celulares que podem levar a carcinoma de células escamosas.

2. Adenocarcinoma uterino – este tipo de câncer do colo do útero é mais raro. Origina-se nas células glandulares que se encontram no canal cervical. O exame de Papanicolau pode detectar facilmente as primeiras alterações que levam a esse tipo de câncer.

 

Causas de câncer do colo do útero

Quase todos os câncer do colo do útero são causados por HPV (vírus do papiloma humano). HPV é um vírus comum que é transmitido através das relações sexuais.
Existem muitos tipos diferentes de HPV. Algumas cepas causam câncer cervical, enquanto outros causam verrugas genitais. Ainda outros não causam distúrbios.
Você pode ter o HPV por anos sem sabê-lo. O vírus permanece no corpo e pode levar ao câncer cervical anos após a infecção.
É por isso que é importante realizar o exame de Papanicolau regulamente que pode detectar alterações celulares do colo do útero antes que eles se transformem em câncer.
Uma menina virgem tem muitas poucas chances de ter câncer do colo do útero.

 

Fatores de risco

Alguns fatores de risco como o fumo podem aumentar o risco de câncer do colo do útero entre as mulheres infectadas com HPV.
O risco de câncer cervical pode ser reduzido efetuando o teste de rastreio regular.
Se as anormalidades das células do colo do útero são encontradas no início, o câncer pode ser prevenido pela remoção ou matando as células alteradas, antes que seja tarde.
Outra forma de reduzir o risco de câncer do colo do útero é fazer a vacina contra o vírus do papiloma humano antes de se tornar sexualmente ativa.

 

Sintomas do cancro do colo do útero

Na maioria dos casos, o câncer cervical nos estágios iniciais não causa sintomas.
Os sintomas do câncer do colo do útero são:

Sangramento anormal
Mulheres com câncer cervical podem notar um sangramento vaginal anormal. Isto pode ser abundante ou suave.

Corrimento grande
Aumento do corrimento vaginal é um sintoma de câncer cervical.
Pode ser aguado, malcheiroso, grosso ou feito de muco.

Dor pélvica
Dor pélvica não relacionada ao normal ciclo menstrual pode ser um sintoma de câncer cervical. Muitas mulheres descrevem como uma dor que pode ser maçante ou pontadas e pode durar por horas.

Dor ao urinar
Dor ao urinar pode ser um sintoma de câncer cervical. Este sintoma de câncer do colo do útero ocorre geralmente quando o câncer criou metástase na bexiga.

Sangramento entre duas fases menstruais, após a relação sexual ou exame pélvico.
Isto é devido à irritação do colo do útero durante essas atividades. Enquanto um útero saudável pode ter uma pequena quantidade de perda de sangue, muitas doenças podem causar sangramento após atividades tais como as relações sexuais.

O câncer cervical pode se espalhar para a bexiga, intestinos, pulmões e fígado. Muitas vezes não existem problemas, até quando o câncer está avançado e se espalhou. Os sintomas do câncer cervical avançado são:

 

Diagnóstico do câncer do colo do útero

Quando se suspeita o câncer cervical, é necessário consultar uma ginecologista (especialista no tratamento de doenças do sistema reprodutor feminino).
Se os resultados do teste de Papanicolau mostram anormalidades nas células do colo do útero, deve ir ao médico.teste,de,papanicolau,colo,do,útero
No entanto, na maioria dos casos, o problema não significa que você está sofrendo de câncer cervical.
Uma infecção sexualmente transmissível como a clamídia é um dos motivos mais comuns de sangramento vaginal em mulheres.
Seu médico pode recomendar exames para infecção sexualmente transmissível antes de prescrever o teste de Papanicolau (preventivo).
O exame para a clamídia consiste em colher uma pequena amostra de tecido do colo do útero ou um exame de urina.

Colposcopia
Depois do rastreio cervical anormal, se os resultados dos testes ou seus sintomas sugerem que você pode ter câncer de colo uterino, o ginecologista geralmente realiza uma colposcopia. Colposcopia é um exame vaginal interno para verificar se há anormalidades no colo do útero.

Durante uma colposcopia, se utiliza um pequeno microscópio com uma fonte de luz no final (colposcópio). Além de examinar o colo do útero, o ginecologista pode remover uma pequena amostra de tecido (biópsia) para verificar se existem células cancerosas no microscópio.

Biópsia
Se seu ginecologista não consegue ver o colo do útero corretamente usando um colposcópio, uma biópsia pode ser necessária.
Esta é uma pequena operação para remover as células do colo do útero que é realizada em um hospital, geralmente sob anestesia geral.
Você pode notar um sangramento vaginal até quatro semanas após o procedimento.

Outros exames
Se o resultado da biópsia são compatíveis com o câncer do colo do útero e há o risco de propagação do tumor, provavelmente é necessário fazer mais exames para avaliar o quanto o câncer se espalhou.
Estes testes podem incluir:

  • Um exame pélvico é realizado sob anestesia geral para verificar o útero, vagina, reto e bexiga.
  • Exames de sangue que podem ser feitos para ajudar a avaliar o estado do fígado, rins e medula óssea.
  • A tomografia computadorizada é útil para procurar traços de tumores cancerosos, para ver se as células cancerosas se espalharam.
  • Ressonância magnética (RM), este tipo de exame usa fortes campos magnéticos e ondas de rádio para produzir imagens detalhadas do interior do corpo, também pode ser usada para verificar se o câncer se espalhou.
  • PET, este exame é semelhante a uma ressonância, exceto que ele mostra como diferentes partes do corpo estão trabalhando; também pode ser usado para ver a resposta ao tratamento.

Estadiamento (também chamados de estágios do câncer) são os seguinte:Câncer no colo do útero

  • Estágio zero (pré-cancerosa) – não há células cancerosas no colo do útero, mas existem alterações biológicas que podem provocar o aparecimento de câncer no futuro. Esta fase é chamada de neoplasia intra-epitelial cervical (CIN),
  • Primeiro estágio – câncer é ainda dentro do colo do útero,
  • Segundo estágio – o câncer se espalhou para além do colo do útero na parte superior da vagina ou tecidos circundantes,
  • Terceiro estágio – o câncer se espalhou para a parte inferior da vagina e/ou tecidos pélvicos,
  • Quarto estágio – o câncer espalhou-se no intestino, bexiga e linfonodos, em casos muito avançados para os pulmões.

 

Quais são as orientações para o tratamento do câncer do colo do útero?

Opções de tratamento podem incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia ou uma combinação destes tratamentos. O tratamento recomendado depende de vários fatores, tais como o estádio e as condições de saúde geral.
O especialista é capaz de explicar os prós e contras do tratamento, as chances de sucesso, os possíveis efeitos colaterais e outros detalhes sobre as diferentes opções de tratamento para o estágio do tumor.
Você tem que falar com o especialista também dos objetivos do tratamento.

Por exemplo:
Em alguns casos, o tratamento visa curar o câncer. Alguns tipos de câncer do colo do útero podem entrar em remissão completa, particularmente nas fases iniciais da doença. No entanto, o câncer pode reaparecer meses ou anos mais tarde.

Em alguns casos, o tratamento visa controlar o câncer.
Se a cura não resolve o problema, com o tratamento é possivel muitas vezes limitar o crescimento ou a propagação do câncer.
Assim se podem prevenir os sintomas por um periodo.
Em casos graves, o tratamento serve para aliviar os sintomas. Por exemplo, se um tumor é avançado podem ser usados analgésicos ou outros tratamentos para reduzir a dor ou outros sintomas. Alguns tratamentos são utilizados para reduzir o tamanho do câncer.

 

Cirurgia

Uma operação para remover o colo do útero e o útero (histerectomia) é um tratamento frequente. Se o câncer está em fase inicial e não se espalhou, a cirurgia só pode ser decisiva.
Se o câncer está em fase inicial, você pode remover apenas a parte do colo do útero afetado pelo câncer sem retirar todo o útero.
Isto significa que você ainda pode fazer filhos.
Se o câncer se espalhou para outras partes do corpo, a cirurgia pode ainda ser recomendada, muitas vezes em conjunto com outros tratamentos. Por exemplo, em casos onde o câncer se espalhou para estruturas vizinhas, a cirurgia pode ser uma opção.

histerectomia
Isso pode ser feito para remover o tumor da bexiga, intestinos, gânglios linfáticos, tubas uterinas e ovários.
Embora o câncer é avançado e a cura não pode ser decisiva, algumas técnicas cirúrgicas podem ser usadas para aliviar os sintomas. Por exemplo, para aliviar uma obstrução intestinal ou do trato urinário que foi causado pela disseminação do câncer.

 

Radioterapia

Radioterapia é um tratamento que utiliza raios de alta energia que se concentram no tecido canceroso.
Isso mata as células cancerosas ou pára a multiplicação das células cancerosas.
Terapia de radiação sozinha pode regredir o câncer do colo do útero numa fase precoce e pode ser uma alternativa à cirurgia. Para tumores mais avançados, a radioterapia pode ser recomendada em conjunto com outros tratamentos.

 

Quimioterapia

Este é um tratamento com fármacos anti-câncer que matam as células cancerosas ou impedem a multiplicação. Quimioterapia pode ser prescrita juntamente com radioterapia ou cirurgia em determinadas situações.

 

Vacina contra o câncer do colo do útero

Existem duas vacinas disponíveis atualmente para prevenir o câncer cervical. Ambos trabalham impedindo a infecção de dois tipos de vírus do papiloma humano, o tipo 16 e 18. Estes dois tipos causam cerca de 70 por cento dos câncer do colo do útero. Um destes, Cervarix ®, também protege contra os tipos 6 e 11 que causam verrugas genitais.
A vacina dá melhor proteção se aplicada antes que a adolecente se torna sexualmente ativa.
Todas as três doses da vacina Cervarix ® devem ser concluídas.
Você tem que tomar uma dose a cada dois meses.

 

Prognóstico, sobrevivência e mortalidade

As perspectivas são melhores se o câncer é diagnosticado enquanto ele está confinado ao colo do útero e não se espalhou.

O tratamento nesta situação dá uma boa chance de cura em 8-9 mulheres em cada 10. Para as mulheres que recebem um diagnóstico de câncer quando já se espalhou, a cura tem menos chance de sucesso, mas ainda é possível.
Dados de 2003 na Itália mostram que a sobrevivência de um ano é cerca de 95% para as mulheres até 44 anos e cerca de 72% para as mulheres com mais de 75 anos.
A taxa de sobrevida de 5 anos é afetada ainda mais da idade, mulheres entre 15 e 45 têm uma taxa de sobrevivência aos 5 anos de 80%, enquanto entre nas mulheres acima de 75 a percentagem é de 37%.

Leia também