Sintomas da endometriose

Os sintomas da endrometriose são causados pelo crescimento do tecido que reveste a parede interna do útero (endométrio) em outras posições, onde não deveria estar.

INDICE

A posição mais comun para estas formações (chamados implantes endometriais) são a superfície externa dos ovários e o útero, trompas de Falópio, os ligamentos que suportam o útero, (por exemplo, ligamento útero-sacral), cabo de Douglas, umbigo, intestino reto, bexiga, linfonodos inguinais, o diafragma, o peritônio pélvico a área entre a vagina e o reto.

A endometriose mais frequente é a ovariana.
Raramente é formada no fígado ou nos pulmões.

O endométrio responde normalmente aos hormônios sexuais, estrogênio e progesterona.
Em mulheres com endometriose, as células endometriais anormais que estão localizadas na cavidade pélvica respondem a esses hormônios.
Durante a ovulação, o endométrio e as células do endométrio externo se endurece. Ao contrário do endométrio, as células fora do lugar não podem sair do corpo através da menstruação.
Este fenômeno causa a perda de sangue, inflamação e dor.
Ao longo do tempo, este processo pode criar tecido fibroso.
A endometriose pode causar menstruação muito dolorosa e pode reduzir a fertilidade, mas existem várias opções de tratamento.
Isso provoca cistos, ciclos dolorosos, graves cólicas e até mesmo infertilidade.

No entanto, os sintomas da endometriose podem variar e algumas mulheres podem haver poucos ou nenhum sintoma.

 

Porque a endometriose causa dor e problemas de saúde?

A endometriose é uma doença benigna (não cancerosa), mas pode causar problemas a saúde.
Cada mês, os hormônios provocam a criação de tecido e vasos sanguíneos de revestimento do útero em uma mulher. Se uma mulher não engravida, o útero expele este tecido e o sangue.
Isso sai do corpo através da vagina com a menstruação.
Até mesmo os implantes endometriais respondem aos hormônios produzidos durante o ciclo menstrual.
Ao longo do tempo, o crescimento da endometriose pode aumentar, com adição de sangue e otros tecidos.
Os sintomas da endometriose muitas vezes pioram.

O tecido e o sangue que permanecem dentro do corpo podem causar inflamação, cicatrizes e dor.
O tecido endometrial que se desenvolve pode crescer nos ovários e nas trompas de Falópio.
O sangue preso no ovário pode formar cistos.
Este tecido fibroso pode causar dor pélvica e pode dificultar a gravidez nas mulheres. O tecido endometrial pode causar problemas ao intestino e na bexiga urinaria.

Alguns estudos científicos encontraram uma ligação entre endometriose e câncer de ovário ou câncer do endométrio. No entanto, não se sabe se a endometriose é um fator de risco ou se ambas as doenças têm a mesma origem.

 

Estágios ou graus da endometriose

  • Primeiro estágio (mínimo)
    Na fase inicial são observados pequenos cistos com tamanhos que variam entre 1 e 3 mm.
  • Segundo estágio (leve)
    O segundo estágio da endometriose é caracterizado pelo tecido preto sobre uma área fibrosa branca e o tamanho é entre 1 e 2 cm de diâmetro. Estes pontos estão localizados na bacia ou no diafragma.
  • Terceiro estágio (moderado)
    Neste estágio os cistos são maiores de 4-5 cm e podem cobrir os ovários. Também podem se formar aderências na pelve ou em outros órgãos pélvicos.
  • Quarto estágio (profundo)
    O último estágio é caracterizado por tumores sólidos com tamanho até 5 ou 6 cm de diâmetro. Estas formações estão localizadas principalmente entre a parede do útero e o reto.

 

Causas da endometriose

A causa da endometriose permanece desconhecida, mas a pesquisa sugere um número de possíveis causas e fatores de risco.

Endometriose e menstruação retrógrada
A menstruação retrógrada ocorre quando o fluido menstrual se move para dentro das trompas de Falópio, ao invés de sair do corpo através da vagina.
Dado que não pode entrar nos ovários das trompas de Falópio, o fluido menstrual pode pingar na cavidade pélvica.
Em mulheres que sofrem de endometriose, suspeita-se que o tecido endometrial contido no fluido menstrual instalam-se em qualquer estrutura na qual chega (como os ovários) e as células começam a crescer.

Endometriose e o sistema imunológico
A menstruação retrógrada ocorre em quase todas as mulheres, mas apenas três entre dez por cento de mulheres menstruadas desenvolvem a endometriose.
Uma teoria sugere que o sistema imunológico de algumas mulheres permite a endometriose de crescer porque não controla ou para o crescimento de tecido endometrial fora do útero.

Genética e endometriose
Pesquisadores sugerem que a hereditariedade pode desempenhar um papel no desenvolvimento da endometriose. As mulheres que têm um parente de primeiro grau (mãe ou irmã) com endometriose são mais propensas a ter a doença.

Tratamento para infertilidade
A endometriose é diagnosticada em algumas mulheres que realizam um tratamento para infertilidade.

 

Fatores de risco da endometriose

Estes são alguns dos fatores de risco suspeitos:

  • Fatores menstruais – incluindo o início precoce da menstruação, dor menstrual, ciclos menstruais curtos (menos de 27 dias) ou longa duração da menstruação (mais de uma semana)
  • Alergias, eczema e febre do feno
  • Obesidade
  • História familiar de endometriose
  • Exposição a toxinas – algumas pesquisas sugerem que os poluentes ambientais, como as dioxinas, podem contribuir ao desenvolvimento da endometriose.

 

Sintomas da endometriose

A endometriose é assintomática em uma a cada quatro mulheres, mas em outros casos, pode causar sintomas graves.

endometriose,sangramento, hemorragia,mestruaçãoO principal sintoma da endometriose é a dor pélvica, frequentemente associada a fase menstrual.
Embora muitas mulheres sentem cólicas durante a menstruação, as mulheres com endometriose relatam que a dor menstrual é pior do que o habitual.
Também relatam que a dor é aumentada ao longo do tempo.

 

Sinais e sintomas da endometriose:

  • Menstruação dolorosa (dismenorréia).
  • Dor pélvica e cólicas podem começar antes do período menstrual e podem se estender por mais de alguns dias. Isso inclue dor lombar e abdominal.
  • Dor na virilha que pode ser descrita como uma ardência
  • Dor durante ou após a relação sexual, é frequente com endometriose.
  • Dor durante a defecação ou micção. É mais provável sentir estes sintomas durante a fase menstrual.
  • Muitas vezes, o paciente sente uma dor semelhante à inflamação do nervo ciático. Isto causa um distúrbio constante com dor nas costas que continua na perna até o .
  • Sangramento excessivo.
  • Raramente pode haver uma forte menstruação (menorragia) ou sangramento durante a fase não menstrual (menometrorragia).

Outros sintomas

Também e possivél sentir fadiga, diarréia, constipação ou náusea, especialmente durante a fase menstrual.
A endometriose às vezes incha a barriga.
A gravidade da dor não é necessariamente um indicador fiável para o diagnóstico.
Algumas mulheres com endometriose leve senteM dor intensa, enquanto outros com endometriose avançada podem sentir pouca ou mesmo nenhuma dor.
A endometriose é às vezes confundida com outras doenças que podem causar dor pélvica, doença inflamatória pélvica ou cistos ovarianos.
Pode ser confundido com a síndrome do intestino irritável, uma doença que causa episódios de diarréia, constipação e cólicas abdominais.
Se o paciente sofre de síndrome do intestino irritável a endometriose pode complicar o diagnóstico.

 

Complicações e consequências

Infertilidade
A principal complicação da endometriose é a infertilidade. De 30% a 50% das mulheres com endometriose têm problemas para engravidar.
Para engravidar, seu ovário libera um óvulo, ele deve viajar através da tuba de Falopio mais vizinha, em seguida deve ser fertilizado por um espermatozóide, então deve penetrar na parede uterina para começar o desenvolvimento.
A endometriose pode obstruir a tuba e impedir a união entre o óvulo com o espermatozóide.
Esta doença parece afetar a fertilidade de forma menos direta, tais como danos ao espermatozóide ou ovúlo.
Mesmo assim, muitas mulheres com uma leve e moderada endometriose podem levar a gravidez a termo.
Os médicos recomendam a mulheres com endometriose de não esperar para ter filhos, porque a doença pode piorar com o tempo.

 

Risco de endometriose e câncerSintomas da endometriose

De acordo com alguns estudos científicos, as mulheres com endometriose têm um risco aumentado de desenvolver certos tipos de câncer de ovário, conhecido como câncer de ovário epitelial.
O risco é maior em mulheres com endometriose e infertilidade primária (aqueles que nunca tiveram uma gravidez).
No entanto, o uso de pílulas contraceptivas orais parece reduzir substancialmente esse risco.
As razões para a associação entre endometriose e câncer epitelial de ovário não são ainda claros.
Uma teoria é que a endometriose se transforma em células cancerosas.
Outra possibilidade é que a presença de endometriose pode estar relacionada a outros fatores genéticos ou ambientais que aumentam o risco de desenvolver câncer de ovário em uma mulher.

 

Diagnóstico da endometriose

Se o médico suspeita de endometriose encaminhar o paciente a um ginecologista para fazer as análises necessárias.
O primeiro exame a ser realizado é a ultrassonografia transvaginal que mostra os cistos endometriais que contém sangue.
A ressonância magnética é um exame útil para diagnosticar a extensão da endometriose.

Nos exames de sangue podemos observar os valores da glicoproteína humana CA125 que são altos em caso de endometriose, mas mesmo se o paciente sofre de outras doenças (por exemplo, miomas uterinos ou câncer uterino).fibroma,uterino
A técnica de supressão de gordura permite a diferenciação de cistos com conteúdo adiposos daqueles com sangue.
A endometriose pode ser diagnosticada através de um exame chamado de laparoscopia.

 

Laparoscopia

Para este procedimento se administra uma anestesia geral e inserindo um tubo com uma câmera na extremidade (laparoscópio) no corpo.
O laparoscópio é um instrumento  com uma pequena câmera que transmite imagens para um monitor, para que o especialista possa ver o tecido endometriosico.
O especialista retira uma pequena amostra (biópsia) para exames laboratoriais ou insere outros instrumentos cirúrgicos para tratar a endometriose.
O cirurgião insere um laparoscópio na área onde pensa de encontrar o tecido da endometriose.
Dado que muitas mulheres têm sintomas ao redor do abdômen e pelve, geralmente um laparoscópio é inserido na bacia através do umbigo.
Geralmente é possivél ir para casa no mesmo dia em que foi feita a laparoscopia.

 

Tratamento para endometriose

A endometriose pode ser tratada com medicação ou com cirurgia. Algumas mulheres se beneficiaram dos tratamentos naturais.
Em casos leves de endometriose, é possível controlar a doença com visitas regulares ao ginecologista.
Medicamentos que inibem as prostaglandinas, por exemplo antiinflamatórios não-esteróides como ibuprofeno podem ajudar a controlar qualquer dor associada.
Se os sintomas progridem, é melhor falar das opções de tratamento com seu médico antes de tomar uma decisão final.
Lembre-se que uma endometriose leve pode tornar-se moderada ou grave.
A remoção de tecido cicatricial por cirurgia é a terapia mais eficaz para diminuir a probabilidade de reincidência.
Tratamento hormonal para endometriose
As células endometriais fora do local são sensíveis aos hormônios e respondem às flutuações cíclicas de estrogênio e progesterona durante o ciclo menstrual. Isto causa sangramento e dor que a terapia hormonal pode manipular com excelentes resultados.
Opções para a terapia hormonal são:

1. Progesterona, são um grupo de hormônios sintéticos igual ao progesterona, que suprimem o crescimento do endométrio fora do lugar.
Os efeitos colaterais são o ganho de peso, mastalgia, acne, depressão, alterações de humor, fadiga, náusea e vômitos.

2.Os agonistas do hormônio liberador das gonadotrofinas são substâncias químicas que desencadeiam uma reação nas células.
Estes medicamentos controlam a quantidade de estrogênio produzido e isto inibe o crescimento de células endometriais fora do lugar.
Os efeitos colaterais são sintomas da menopausa, ou seja, o afinamento dos ossos , ondas de calor, vagina seca, dor de cabeça, depressão, perda de libido (desejo sexual) e transpiração noturna.
Estes efeitos colaterais podem ser aliviados com estrogênios e progesterona. A pílula anticoncepcional é muitas vezes usada para obter a suspensão a longo prazo os sintomas da endometriose.
Pode ser usado para parar a progressão da doença em mulheres com doença leve ou recorrência após a cirurgia ou tratamento hormonal. O gestrinone é um hormônio sintético que tem atividade antiprogesterona e sufoca o endométrio fora de lugar.
Os efeitos de gestrinone incluem ganho de peso, acne, depressão, mudanças de humor, ondas de calor e perda da libido.

3. O danazol é uma forma leve de testosterona (hormônio masculino), que reduz a quantidade de estrogênio produzido pelos ovários ao mesmo nível que ocorre durante a menopausa.
Sem estrogênios, as células endometriais não podem crescer fora do lugar.
O danazol é raramente usado para tratar a endometriose por causa de seus efeitos colaterais graves.

4. Tratamento combinado para a endometriose.
Em alguns casos, uma mulher pode ter benefícios com a terapia hormonal, bem como a cirurgia.O tratamento hormonal pode ser feita antes ou após a cirurgia, dependendo das circunstâncias.

 

Quando operar? Cirurgia para a endometriose

Os procedimentos cirúrgicos utilizados para tratar a endometriose são:
Laparoscopia (minimamente invasiva ) pode ser usada para diagnosticar e tratar a endometriose.
Um tubo fino é inserido na cavidade abdominal através de uma pequena incisão e se removem (excisão) ou queimam (diatermia) aderências e cistos.
Este tipo de intervenção provoca menos complicações pós-operatórias e os tempos de recuperação são mais rápidos do que a cirurgia a céu aberto.remoção,de,cistos,ovarianos

A laparotomia é um procedimento cirúrgico importante que é usado para cortar ou queimar os tecidos ou os cistos quando a endometriose é mais grave.
A cirurgia intestinal pode ser necessária se o intestino desenvolveu cicatrizes causadas por endometriose.
A remoção do útero (histerectomia) pode ser uma opção se a endometriose tem um impacto significativo sobre a qualidade de vida e se outros tratamentos não funcionaram.
Se os ovários são removidos durante uma histerectomia, é possivél falar com seu médico sobre a terapia de reposição hormonal.

 

Endometriose e medicina complementar e alternativa

As terapias naturais são úteis de acordo com algumas mulheres.
É importante informar sempre o médico sobre as terapias complementares você está usando e se elas podem influenciar outros tratamentos.
Alguns exemplos de tratamentos naturais:

  • Medicina a base de erva
  • Homeopatia
  • Medicina tradicional chinesa
  • Dieta
  • Massagem
  • Ioga.

 

O que comer? Dieta e alimentação

De acordo com os princípios da naturopatia e do higienismo, quase todas as doenças que temos são causadas pela cirurgia, medicamentos, suplementos e alimentação incorreta.
A carne, as proteínas animais e produtos lácteos não são adequados para nutrir o corpo, os açúcares são “tóxicos” e os alimentos cozidos são “mortos” a nível nutricional .
Uma alimentação saudável consiste de alimentos que não são processados por seres humanos: verduras crus, frutas frescas e secas, legumes, grãos integrais (melhor evitar arroz branco).

 

Prevenção

Não é possível prever a endometriose. Isto acontece porque a causa ainda não é conhecida.
No entanto, a ingestão prolongada de hormônios anticoncepcionais (pílulas, curativos ou anéis) pode prevenir que a endometriose se agrave.