Mioma uterino

 

INDICE


O mioma uterino é um tumor benigno que se origina na camada muscular da parede uterina. Esta é a camada do meio, o que provoca as contracções durante o parto.

Embora é composto pelas mesmas fibras de músculo liso da parede uterina (miométrio), é muito mais denso do que o miométrio normal.útero,ovário,trompas

Geralmente, o mioma uterino tem uma forma redonda ou semi-redonda.
Os miomas são mais comuns em mulheres entre 35 e 50 anos.

Geralmente o mioma não causa problemas. Muitas mulheres não sabe que tem.
Os miomas variam em tamanho e número, geralmente crescem lentamente e não causam sintomas.
Os miomas que produzem sintomas devem ser tratados. Cerca de 25% dos miomas causam sintomas e precisam de um tratamento para curar.

Miomas uterinos podem crescer como um nódulo único ou em grupo e o tamanho pode variar de 1 mm a mais de 20 cm de diâmetro.
Os miomas são os tumores mais comuns da pelve feminina, é o motivo principal que leva uma mulher a fazer uma histerectomia. Esta massa é benigna, não causa metástases.
Existem quatro tipos diferentes de miomas uterinos por posição no útero.
O mais freqüente é o mioma uterino intramural.

 

  • Subseroso – esse mioma se desenvolve fora do útero e continua a crescer para o externo.
  • Intramural – esse mioma se desenvolve dentro da parede uterina e se expande causando uma sensação de útero maior do que o normal.
  • Submucoso – desenvolve-se sob a parede externa da cavidade uterina.
    Este tipo de mioma uterino é o que causa sangramento menstrual mais consistente, e isso é o que pode causar problemas de infertilidade e aborto espontâneo.
  • Mioma pediculado – o mioma que cresce sobre uma pequena haste que conecta-lo à parede interna ou externa do útero.

 

Causas do mioma uterino

Os médicos não sabem a causa dos miomas uterinos, mas as pesquisas clínicas encontraram os seguintes fatores de risco:

  • Alterações genéticas. Muitos miomas têm genes que são diferentes das células músculares do útero normal. De acordo com alguns estudos miomas tem uma componente genética e os gêmeos idênticos tem mais probabilidade de ter ambos o mioma do que os gêmeos heterozigotos.
  • Hormônios. Estrogêniso e progesterona, dois hormônios que estimulam o desenvolvimento da parede externa do útero durante um ciclo menstrual em preparação para a gravidez, parecem favorecer o crescimento dos miomas.
    O mioma contêm mais receptores de estrogênio e progesterona respeito as células normais da musculatura uterina. Os miomas tendem a diminuir após a menopausa devido a uma diminuição na produção de hormônios.
  • Os outros. Os fatores de crescimento semelhantes à insulina são substâncias produzidas pelo fígado que podem afetar o crescimento dos miomas uterinos.

 

Quais são os sintomas do mioma uterino?

Para a maioria das mulheres os miomas não causam nenhum sintoma.

 

Sintomas de acordo com a localização, o tamanho e o número

Mioma uterino submucoso. Esse mioma cresce na cavidade interna do útero, pode causar um sangramento menstrual significativo e prolungado e às vezes um problema para as mulheres que querem engravidar.

Mioma uterino Subseroso
O mioma subseroso se projeta verso o externo do útero, às vezes, pressionando a bexiga causa sintomas no trato urinário.
Se o mioma se move em direção à parte posterior do útero pode empurrar o reto, causando uma sensação de pressão nos nervos espinhais, causando dor na coluna.

Mioma uterino intramural. Alguns miomas crescem dentro da parede muscular uterina. Se tornam-se suficientemente grandes podem distorcer a forma do útero e causar fases menstruais prolongadas com sangramento intenso, também podem causar dor e pressão.

Pelo menos 25% das mulheres que têm miomas uterinos tem os seguintes sintomas:

O mioma também pode causar infertilidade (não ser capaz de engravidar) especialmente quando está localizado perto da inserção das trompas de falópio, aborto espotâneo (antes de 37 semanas de gestação) se for inferior a inserção da placenta. fibroma,uterino

 

Diagnóstico de mioma uterino
Durante a palpação no interior da vagina ou no abdômen, o médico pode sentir uma forma anormal do útero.
Os testes de diagnóstico são:

  • ultrassonografia. Se pode fazer um ultra-som abdominal ou transvaginal (inserção de uma sonda na vagina) para ver o interior.
  • Os exames de sangue podem ser úteis para compreender se o paciente tem anemia devido a perda de sangue crónica e para excluir outros problemas, por exemplo da tiróide.

Se o ultra-som tradicional não é suficiente, o médico pode pedir:

  • Ressonância magnética
  • Histerossonografia. Este é um ultra-som que utiliza uma solução salina para expandir a cavidade uterina, por isso, é mais fácil de identificar um mioma na submucosa e no endométrio.
  • Histerossalpingografia. É uma radiografia do útero e das trompas de Falópio com meio de contraste.
  • Histeroscopia. exame do útero e das trompas de Falópio através da inserção de um histeroscópio (uma ferramenta fina) ligado a uma câmara.

 


Tratamento e fármacos para o mioma uetrino

Não existe uma única abordagem para o tratamento do mioma uterino, mas há muitas opções de tratamento. Se você sente os sintomas, você deve conversar com médico sobre as opções de tratamento.

Espera vigilante
Muitas mulheres com miomas uterinos não têm sinais ou sintomas, mas apenas desconforto leve com o qual podem viver.
Os miomas não são cancerosos. Raramente interferem com a gravidez.
Eles geralmente crescem lentamente e muitas vezes tendem a diminuir após a menopausa, quando os níveis de hormônios reprodutivos caem.

Medicamentos
Os medicamentos para os miomas uterinos agem sobre hormônios que regulam o ciclo menstrual, servem como um tratamento para alguns sintomas, como sangramento menstrual abudante e pressão pélvica.
Eles não eliminam os miomas, mas podem reduzi-los.

Os medicamntos incluem:
Os agonistas do hormônio liberador das gonadotrofinas.
Estes medicamentos (encontrados sob o nome comercial de Lupron, Synarel e outros) tratam os miomas bloqueando a produção de estrogênio e progesterona, causando um estado temporário de pós-menopausa. Como resultado, se para de menstruar, encolhem os miomas e muitas vezes melhora a anemia.
Seu médico pode prescrever um agonista do hormônio liberador de gonadotrofinas para reduzir o tamanho dos miomas antes da cirurgia agendada.
Muitas mulheres sentem muito calor enquanto estão usando a medicação.
Os agonista de hormônio liberador de gonadotrofinas normalmente são usados não mais de três a seis meses porque os sintomas retornam quando se para de tomar a medicação e o uso a longo prazo pode causar perda óssea.

O dispositivo intra-uterino liberador de progesterona (DIU)
Um dispositivo para liberação de progesterona pode aliviar a grave hemorragia causada por miomas.
Um DIU só alivia os sintomas, mas não restringir ou eliminar miomas.

Outras medicamentos
Seu médico pode recomendar outras medicamentos, como a pílula anticoncepcional ou progestina que pode ajudar a controlar o sangramento menstrual, mas não reduz o tamanho do mioma.
Os medicamentos antiinflamatórios não-esteróides (AINEs) não são medicamentos hormonais, podem ser eficazes no alívio da dor, mas não reduzem o sangramento causado por miomas. Seu médico também pode recomendar vitaminas e ferro em caso de forte sangramento menstrual e anemia.
Ablação do mioma uterino por ultra-som focalizado é uma opção de tratamento não invasiva que preserva o útero, não há nenhuma incisão e se executa durante em hospital dia.
Essa terapia é realizada dentro de uma ressonância magnética usando um transdutor ultra-sônico de alta energia.
As imagens dão ao médico a localização exata da mioma uterino. Quando se encontra a localização exata do mioma o transdutor ultra-sônico envia ondas sonoras no mioma para aquecer e destruir pequenas áreas de tecido fibróide.
Tecnologia recente, os pesquisadores não sabem muito sobre a segurança a longo prazo e eficácia.
Mas até agora, os dados coletados mostram que a ablação do mioma uterino por ultra-som é segura e eficaz.

 

Quando operar? Quando retirar o mioma?

Se uma mulher tiver sangramento intenso, cólicas, dor menstrual, infertilidade e distúrbios da bexiga ou do intestino devem considerar a cirurgia.

Procedimentos minimamente invasivos
Algumas intervenções podem destruir os miomas uterinos sem removê-lo por cirurgia:

Embolização da artéria uterina
Injetar pequenas partículas (agentes embólicos) nas artérias que fornecem sangue para o útero, interrompe o fluxo de sangue para o mioma que então morre (necrose coagulativa).
Esta técnica pode ser eficaz para restringir o mioma e aliviar os sintomas.
Complicações podem ocorrer se o suprimento de sangue para os ovários ou outros órgãos é comprometido.

Miólise
Nesse procedimento laparoscópico, uma corrente elétrica ou raio laser destrói os miomas uterinos e estreita os vasos sanguíneos que o irrigam.
Um procedimento semelhante chamado “miolise por criocoagulação” congela os miomas.
A miólise não é muitas vezes praticada.

Miomectomia laparoscópica ou robótica
Em uma miomectomia, o cirurgião remove o mioma, deixando o útero no lugar.
Se os miomas são poucos e pequenos, podemos optar por um procedimento laparoscópico ou robótico onde vêm inserido um instrumento longo e estreito através de pequenas incisões no abdômen para remover o mioma do útero.
O médico vê a área abdominal em um monitor conectado a uma câmera pequena que está localizada em um dos instrumentos cirúrgicos.
A miomectomia robótica dá ao cirurgião uma visão tridimensional ampliada do útero, assim é mais preciso do que outras técnicas.
Para esta cirurgia por laparoscopia, a mulher está sob anestesia total, o paciente deve passar uma noite no hospital e o tempo de recuperação é de cerca de 3-4 semanas.

Miomectomia histeroscópica
Este procedimento pode ser uma opção se os miomas estão contidos no interior do útero (submucoso). O cirurgião remove os miomas usando instrumentos inseridos através da vagina e do colo do útero.
Esta operação é realizada em hospital-dia e depois de algumas horas de observação no hospital, você pode ir para casa.
Tempo de recuperação é 3-4 dias de repouso em asa.

A ablação endometrial e ressecção do mioma submucosomioma uterino, submucoso, Subseroso, intramural
Este tratamento é realizado com um instrumento especial no útero que usa o calor, a energia de microondas, água quente ou electricidade para destruir a parede interna do útero que pode parar a menstruação ou diminuir o fluxo.
Geralmente, a ablação endometrial é eficaz para parar o sangramento anormal.
Os miomas submucosos podem ser removidos no momento da histeroscopia para ablação endometrial, mas isso não afeta os miomas fora da parede interna do útero.

 

Procedimento cirúrgico tradicional

Opções para procedimento cirúrgico tradicional são:


Miomectomia abdominal

Se você tiver vários miomas, miomas muito grandes ( maior de 4 cm) e profundos, seu médico pode realizar uma operação abdominal a céu aberto (laparotomia) para a remoção dos miomas.
Muitas mulheres pensam que a histerectomia é a única opção, mas se pode fazer uma miomectomia abdominal.

É necessário lembrar que o mioma uterino pode se tornar um tumor maligno, mas é muito raro, portanto a cirurgia serve apenas para os sintomas e se o médico não suspeita de um câncer no útero.

histerectomia,remoção,úteroHisterectomia
Esta operação envolve a remoção do útero e continua a ser a única solução permanente para os miomas uterinos.
O problema é que a histerectomia é uma cirurgia que elimina qualquer possibilidade de ter filhos.
Se você optar por remover os ovários, a histerectomia provoca menopausa, então você tem que avaliar se começar a terapia de reposição hormonal.
Menopausa causa distúrbios hormonais e metabólicos, por exemplo, um aumento de peso, você deve considerar cuidadosamente esta opção.
A maioria das mulheres com miomas uterinos pode optar por manter seus ovários.
Histerectomia abdominal é feita sob anestesia geral, a maioria das mulheres restam 3-4 noites no hospital e o tempo de recuperação é de cerca de 6-7 semanas.

A febre após a cirurgia é normal nos primeiros dias, mas em caso de febre alta e outros sintomas é necessário procurar o cirurgião.

 

Quais são os riscos e complicações da histerectomia?

Como cada operação, os riscos de histerectomia abdominal e complicações, são as seguintes:

Não substimar complicações sucessivas do tipo hormonais e psicológicas devido à menopausa prematura.
Após a cirurgia, as relações sexuais podem continuam normalmente, na verdade, não se deveria sentir dor causada por mioma.

 

O risco de desenvolver novos miomas (reincidência)

Para todas as operações, exceto a histerectomia, alguns tumores pequenos que o médico não retira durante a cirurgia podem crescer e causar uma recaída.
Novos miomas podem dar sintomas neste caso devem ser tratados.

Remédios naturais para miomas uterinos
Não existe tratamento ou fitoterapia homeopática natural para curar os miomas, mas existem alguns produtos que podem reduzir os sintomas.

A dieta e a alimentação pode ajudar a reduzir o tamanho deste tumor benigno, mas ainda não existem pesquisas sobre o assunto.

Medidas preventivas
Infelizmente, desde que a causa do câncer não é totalmente conhecida, não há nenhuma maneira de prevenir o aparecimento de miomas uterinos.
Se uma mulher cai em uma das categorias que aumentam o risco, ela deve fazer verificações regulares para miomas pelo seu médico.

Leia também