Pólipo no útero

 

INDICE

Um pólipo no útero também conhecido como pólipo endometrial, é um crescimento anormal (neoplasia) de células endometriais que se unem à mucosa do útero (ou camada glandular).
Geralmente é um tumor benigno, mas devem ser realizados os controles recomendados porque ele pode se tornar maligno.histerectomia,útero,normal
Pólipos uterinos são formação recorrentes que precisam de alguns tratamentos.

No primeiro sinal de anormalidade menstrual ou desconforto pélvico deve ir imediatamente ao médico sobre os riscos e as complicações associadas com pólipos uterinos.
Os pólipos podem ter um tamanho que varia de poucos milímetros a vários centímetros.
Geralmente eles aderem à parede do útero com um largo contato ou pedúnculo fino de cor vemelho ou roxo.
Você pode ter um ou mais pólipos uterinos.
Os tempos de formação dos pólipos são curtos.

Geralmente permanecem confinados dentro do útero, mas em casos raros, eles podem deslizar através da abertura do útero (colo do útero) até a vagina.
Geralmente os pólipos são tumores benignos (não cancerosos), embora alguns podem ser cancerosos ou podem se tornar câncer maligno (pólipos pré-cancerosos).

 


Pessoas em risco

Há mais probabilidade de desenvolver pólipos se você tem as seguintes características:

  • Idade 40-50,
  • Se está perto da menopausa ou entrou na menopausa,
  • Obesidade,
  • A pessoa toma um fármaco anti-estrogênios, tais como Nolvadex (tamoxifeno).

 

Quais são as causas de pólipo no útero?

A razão exata porque se formam os pólipos é desconhecida, mas as oscilações nos níveis de hormônios podem ser um fator.
Os estrogênio, que têm um papel em causar o espessamento do endométrio cada mês, parece estar ligado ao crescimento de pólipos uterinos.

 

Quais são os sintomas de pólipo no útero?

Sintomas de pólipos uterinos são os seguintes:

O sintoma mais comum dos pólipos uterinos são menstruação irregular ou imprevisível.
A maioria das mulheres tem um ciclo com uma duração de quatro a sete dias.
O ciclo de uma mulher geralmente ocorre a cada 28 dias, mas os normais ciclos menstruais podem variar de 21 a 35 dias.
Cerca da metade das mulheres com pólipos uterinos têm a menstruação irregular.
Outros sintomas incluem: prolongado ou excessivo sangramento menstrual (hemorragia), sangramento entre os ciclos, após a menopausa ou durante a relação sexual.
Pólipos uterinos são a causa de sangramento anormal em cerca de 25% destes casos.
A incapacidade de engravidar ou levar uma gravidez a termo também pode ser um sinal de pólipos uterinos.

 

Infertilidade e pólipos uterinos

Pólipo no úteroA infertilidade é definida como a incapacidade de conceber após 1 ano de tentativas.
Quando uma mulher é estéril e não tem sintomas de pólipos uterinos, a possibilidade de ter pólipos assintomáticos é entre 3% e 5%, de acordo com o Instituto de medicina reprodutiva Jones.
Quem tem sangramento anormal, é mais predisposto a desenvolver um pólipo.
Um pólipo cervical pode agir como um natural dispositivo intra-uterino (DIU) impede que o óvulo fertilizado se implante na parede uterina.
Também pode bloquear a área onde a tuba de Falópiose se colega à parede uterina, impedindo o esperma de viajar até encontrar o ovo.
Da mesma forma, pode bloquear o Canal do colo do útero, que impede o esperma de entrar no útero.
Pólipos podem desempenhar um papel no aborto espontâneo em algumas mulheres.
Em um estudo publicado em 2005 na revista reprodução humana, as mulheres que se submeteram a uma inseminação artificial após excisão de pólipos permanecem grávida facilimente cerca de duas vezes mais do que as mulheres que não tiveram a remoção de pólipos.
Na verdade, as mulheres que retirou os pólipos frequentemente permanecem grávidas sem inseminação artificial.

 


Diagnóstico de pólipos uterinos

O diagnóstico é geralmente estabelecido por curetagem (raspagem fora do útero) e análise laboratorial de tecidos (histologia) que servem para entender se o pólipo é perigoso.

Outras técnicas de diagnóstico incluem:

  • Ultrassonografia transvaginal: Este é um procedimento em que se insere na vagina um dispositivo portátil fino chamado transdutor ultra-sônico.
    O dispositivo emite ondas sonoras e de acordo com onda que volta, mostra uma imagem do interior do útero, incluindo quaisquer irregularidades que possam estar presente.
  • A histerografia é uma radiografia que mostra o tamanho e a forma da cavidade uterina.
    A histeroscopia é um exame endoscópico que é realizado para ver a cavidade uterina e do canal cervical.
    Pode ser executado para o diagnóstico ou para o tratamento.
    É importante recolher uma amostra de tecido do pólipo para que seja enviada para fazer a biópsia e excluir o câncer.
  • O teste de Papanicolau realizado regulamente não é suficiente para analisar o pólipo porque este exame controla somente o colo do útero.

 

Tratamento para pólipo no útero e medicamentos

Para pólipos uterinos, o médico pode recomendar:

Espera vigilante
Pequenos pólipos sem sintomas (assintomáticos) podem ser curados sem tratamento. O tratamento é inútil a menos que haja o risco de câncer de útero.

Medicamentos
Alguns medicamentos, incluindo agonistas hormonais de progesterona e hormônio liberador de gonadotrofinas podem reduzir os sintomas e o pólipo uterino.
Tomar tais medicamentos geralmente é uma solução de curto prazo na melhor das hipóteses, os sintomas normalmente voltam assim que se para de tomar o medicamento.

Remédios naturais para pólipo no útero
A dieta vegan e jejum controlado pode reduzir ou eliminar o pólipo, mas não existem estudos científicos que comprovam isso.

Quando operar? Quando remover o pólipo uterino?

Pólipo,útero

it.wikipedia.org/wiki/Polipo_(medicina

O médico leva em conta a intervenção com base em sintomas da mulher, infertilidade e exame histológico feito para determinar se as células são cancerosas.

 

Como é removido um pólipo uterino? Raspagem ou curetagem

O médico usa um instrumento longo de metal com um laço na extremidade para raspar o interior das paredes do útero.
Isto pode ser feito para retirar uma amostra para testes laboratoriais ou para remover um pólipo no útero (se o tamanho for inferior a 2 cm).
O médico pode realizar a curetagem com a assistência de um histeroscópio que permite ao médico ver o interior do útero, antes e depois da curetagem.
A cirurgia de histeroscopia dura cerca de 20 minutos e, em seguida, a mulher deve permanecer na cama de acordo com as instruções do médico.
Os sintomas causados pela anestesia total são sonolência, náusea e vômitos.

A anestesia geral é geralmente “leve” e a cirurgia é realizada em hospital-dia, ou seja, o paciente retorna para casa no mesmo dia da operação.

curetagem,uterina

Decurso do pós-operatório

Quando o efeito da anestesia desaparece, o paciente pode sentir dor que dura alguns dias, mas no dia seguinte da cirurgia é possível retomar as atividades normais da vida diária.

O período mínimo de estadia é de uma noite, mas às vezes é preciso permanecer no hospital por alguns dias.
Durante a convalescença, as relações sexuais não são indicadas por cerca de duas semanas.
As possíveis complicações são:

 

Remoção cirúrgica de pólipos uterinos

Durante a histeroscopia, instrumentos introduzidos através do histeroscópio (o dispositivo que usa o médico para ver o interior do útero) podem remover pólipos, uma vez que é identificado. O pólipo removido pode ser enviado a um laboratório para o exame ao microscópio.
Se um pólipo uterino contém células cancerosas, o médico realiza os próximos passos na avaliação e no tratamento.
Pólipos uterinos raramente ocorrem. Se voltam, se pode precisar de mais de um tratamento.
O paciente mantém a fertilidade e a gravidez se ainda é possível.

 

Prevenção

Muitas vezes os pólipos são recorrentes e portanto para evitar as recaídas os médicos às vezes prescrevem a pílula anticoncepcional ou o DIU (espiral).