Cândida na boca e na língua

A cândida na boca e na língua (também conhecido como candidíase oral ou sapinho) é uma doença em que o fungo Candida albicans se acumula no interior da boca.

ÍNDICE

A infecção por cândida não se limita à boca, pode ocorrer em outras partes do corpo e pode causar:

O sapinho pode afetar qualquer pessoa, todavia ocorre mais frequentemente em:

  • Recém-nascidos,
  • Crianças pequenas,
  • Idosos,
  • Pessoas com sistema imunológico debilitado.

 

Causas de cândida na boca

O sapinho oral e outras infecções por Cândida podem ocorrer quando o sistema imunológico está enfraquecido por:

  • Uma doença,
  • Medicação.

Por exemplo, o prednisona e os antibióticos deixam o corpo mais vulnerável porque eles alteram o equilíbrio natural de micro-organismos no corpo.
O sistema imunológico trabalha para eliminar os organismos invasores prejudiciais, como vírus, bactérias e fungos, mantendo o equilíbrio das bactérias “boas” e “ruins”, que vivem normalmente no organismo.
Às vezes esses mecanismos de defesa não funcionam, o que pode facilitar uma infecção oral por cândida.

Fatores de risco para a cândida na boca
Os recém-nascidos e crianças tem mais probabilidade de desenvolver a cândida oral, mas todas as pessoas podem ter esta doença.
As pessoas mais predispostas tem o sistema imunológico enfraquecido devido aos seguintes fatores:

1. Doenças como HIV/AIDS, diabetes ou anemia;
2. Ingestão de antibióticos ou cortisona;
3. Realizar tratamentos para curar o câncer, por exemplo quimioterapia ou radioterapia;
4. Usar dentaduras;
5. Ter doenças que causam boca seca;
6. Fumar;
7. Ter uma péssima condição de saúde;
8. Ter um órgão transplantado.

 

Sintomas de cândida na boca 

1. Dor na boca,
2. Língua branca e manchas semelhantes a pontos brancos no interior das bochechas,
3. Placas brancas na gengiva, palato e amígdalas.
A pátina branca parece ricota.
4. Perda ou alteração do sentido do paladar,
5. Uma sensação de algodão na boca,
6. Placas espalhadas pela boca no esôfago que causa dificuldade para engolir,
7. Os recém-nascidos podem ter problemas de alimentação.

Frequentemente meus pacientes me perguntam se a cândida oral é contagiosa, e quando eu digo “Sim” ficam chocados.

A candidíase oral é muito contagiosa, especialmente em mães que amamentam ao seio.
Os recém-nascidos que têm candidíase podem passar a infecção para a mãe durante a amamentação.
A infecção, assim, vem e vai, dos seios da mãe à boca do recém-nascido.

Se o seio estiver infectado com cândida, aparecem os seguintes sintomas:

1. Pele escamosa na auréola da boca,
2. Dor profunda e excruciante (pontadas) no seio,
3. Mamilos vermelhos, sensíveis ou com coceira,
4. Dor nos mamilos durante a amamentação.

Muitas vezes, na presença de infecção de cândida no seio, pode haver também uma infecção vaginal.

 

Transmissão e infecção de cândida oral

A cândida oral (sapinho)  pode passar de uma pessoa para outra?

Antes de responder é preciso explicar que a Candida albicans é um normal habitante do corpo, e da boca.
Isto significa que pertence à flora do corpo e está presente em pequenas quantidades.
Dessa maneira é facilmente controlada pelo corpo.
No entanto, beijar alguém que tem candidíase oral, aumenta a quantidade de fungos de candida albicans no corpo.
O nível do fungo pode aumentar muito e o corpo é incapaz de combatê-lo, o que leva ao aparecimento dos sintomas da candidíase oral.

Tecnicamente a cândida oral não é contagiosa.
Simplesmente beijar uma pessoa infectada não causa candidíase.
É apenas o aumento dos fungos na boca que pode fazer a diferença entre contrair a doença ou não.

 

Diagnóstico de cândida na boca e na língua (sapinho)

Geralmente, o médico diagnostica a candidíase com base nos sintomas típicos e na aparência da boca.
Os exames de imagem (por exemplo, ressonância magnética) ou exames de sangue não são necessários para diagnosticar a candidíase oral.

No entanto, às vezes o médico pode prescrever um exame de sangue para procurar algumas doenças que podem aumentar as chances de desenvolver a candidíase.
Por exemplo, um exame de sangue é usado para ver se existe alguma deficiência de:

  • Ferro,
  • B12,
  • Ácido fólico.

Se a cândida oral não responder ao tratamento, o médico pode recomendar o exame de tampão na boca.
O material é enviado para o laboratório para ser examinado ao microscópio.

Raramente é preciso de uma biópsia para confirmar o diagnóstico de candidíase oral.
Uma pequena amostra de placas brancas na boca é retirada e pode ser examinada ao microscópio.

 

Tratamento de cândida na boca e na língua (sapinho)

O objetivo de qualquer tratamento para candidíase oral é parar a rápida disseminação do fungo, mas a melhor abordagem depende da:

  • Idade,
  • Saúde geral,
  • Causa da infecção.

Para recém-nascidos e mães que amamentam

Amamentando um recém-nascido com cândida na boca, a mãe e o bebê devem fazer o tratamento juntos.
Caso contrário, a infecção vem e vai.

O médico pode prescrever um medicamento antifúngico delicado para a criança e um creme antifúngico para os seios da mãe.
Se a criança usa chupeta ou mamadeira, esterilize todos os dias as mamadeiras e as chupetas:

  • Lavando-os a uma temperatura elevada na lava-louça,
  • Deixando-os de molho numa bacia com água e vinagre.

Em seguida, deixe-os secar ao ar livre para impedir o crescimento de fungos.

Se usar bomba de tirar leite, esterilize e lave as peças que entram em contato com o leite em uma solução de água e vinagre.

Para crianças e adultos saudáveis

Adultos ou crianças que têm candidíase, mas não têm outras doenças, podem tratar:

  • Comendo iogurte sem açúcar ou tomar cápsulas ou líquido com Lactobacillus acidophilus.
    O iogurte e acidophilus não destroem o fungo, mas podem ajudar a restaurar a flora bacteriana normal do corpo.
  • Se a infecção continuar, o médico irá receitar um antifúngico.

Para os adultos com sistema imunológico debilitado, muitas vezes o médico recomenda os seguintes tratamentos:

  • Remédios antifúngicos. Disponíveis de várias formas, incluindo comprimidos ou líquido para gargarejo que depois tem de ser engolido.
    Alguns medicamentos antifúngicos podem causar danos no fígado. Por esta razão, seu médico provavelmente irá fazer exames de sangue para monitorar a função hepática.
    Os exames de sangue são feitos especialmente se for necessário um tratamento prolongado ou se o paciente tiver alguma doença no fígado.
  • Anfotericina B. A candida albicans pode tornar-se resistente a medicamentos antifúngicos, especialmente em pessoas com infecção pelo HIV em estágio avançado. Este medicamento pode ser utilizado quando outros medicamentos não forem eficazes.

Normalmente os médicos prescrevem gotas, gel, comprimidos ou pílulas contendo nistatina (Micostatin) ou miconazol (Daktarin®) no tratamento de candidíase.

 

Remédios caseiros para cândida oral ( sapinho)

Para adultos

Iogurte
Além de ser uma medicação adequada, o consumo regular de iogurte é um dos melhores remédios contra cândida na boca.
O iogurte tem acidophilus, uma bactéria que ajuda a destruir fungos em excesso.
As culturas ativas que estão presentes no iogurte ajudam a manter o equilíbrio do pH do corpo, controlando o crescimento de bactérias na boca.
O iogurte não atua diretamente no fungo da candidíase oral.
No entanto, as culturas ativas produzidas pelas bactérias são suficientes para combater a infecção fúngica.
Assim, o iogurte trata e previne a infecção por cândida.
Todavia, deve-se comer iogurte sem açúcar.

Alho e cebola
O alho tem importantes propriedades anti-fúngicas.
A cebola ajuda a curar a candidíase oral.
Pode ser usada uma combinação de cebola e alho na comida.

Óleo de tea tree
Adicione algumas gotas de óleo de tea tree na água, deixe na boca por um minuto e cuspa.
Não beba a mistura.

Água, vinagre e sal
É possível usar uma mistura de água morna, vinagre de maçã e uma pitada de sal para lavar a boca até a candidíase oral passar.
Ou simplesmente lave a boca com água quente e meia colher de sal.

Candida na boca, candidíase oral, língua

Antissépticos bucais naturais
Os antissépticos bucais naturais são úteis para combater a doença.
Por exemplo, recomendamos tomar um corante feito de alcaçuz, mirra e equinácea em partes iguais e beber uma colher de chá desta mistura com a água a cada três ou quatro horas.

Para recém-nascidos

Extrato de semente de toranja
O extrato de semente de toranja tem propriedades:

  • Antifúngicas,
  • Antibacterianas,
  • Antivirais,
  • Antiparasitárias.

Pode ser usado para tratar a candidíase oral em crianças.

Modo de preparo

  • Adicione 10 gotas de extrato de semente de toranja em 30 ml de água.
  • Mergulhe uma bola de algodão limpo na solução e aplique a solução nos mamilos da mãe.
  • É possível usar a mesma solução para limpar suavemente o interior da boca do bebê.
  • É necessário limpar a boca do bebê antes da amamentação e aplicar a solução nos mamilos após a amamentação.

Água e bicarbonato de sódio
O gargarejo com água e bicarbonato de sódio pode ser muito útil no caso de candidíase oral (sapinho).

  • Coloque uma colher de chá de bicarbonato de sódio num copo de água.
  • Misture bem e faça gargarejos por 5 minutos.
  • Repita 2-3 vezes ao dia.

Para bebês, mergulhe uma gaze estéril no copo de água e bicarbonato e limpe a boca do bebê.
A mãe que amamenta e está com cândida pode lavar os seios com água e bicarbonato de sódio.
Os remédios caseiros contra a candidíase oral podem prevenir recidivas da doença.

 

Remédios naturais para candidíase oral (sapinho)

Limpeza e higiene bucal regular
Provavelmente, esta é a maneira mais fácil de curar a candidíase oral, mas muitos não sabem como se faz.
É necessário limpar:

  • Boca,
  • Língua,
  • Dentes,
  • Gengivas.

Escove os dentes corretamente duas vezes por dia e limpe a língua.
Assim, evita-se o acúmulo de bactérias e fungos na boca que podem causar infecções.

Quem faz uso de dentadura deve verificar se a prótese se adapta bem na boca.

 


Dieta e alimentação contra a cândida na boca

A cândida oral é uma infecção causada principalmente pela debilidade do sistema imunológico.
Portanto, é necessário comer alimentos saudáveis ricos de nutrientes essenciais.
O fortalecimento e o desenvolvimento do sistema imunológico é fundamental.

É necessário seguir uma dieta de purificação para tratar a infecção.
Evite alimentos fermentados e açúcar que podem agravar a candidíase na boca.

O que comer?

Todos sabem que a candidíase recidiva é muito comum se tratada apenas com medicação.
Algumas dietas naturais têm dado ótimos resultados e muitas pessoas resolveram definitivamente o problema com algumas modificações na alimentação.

As dietas mais eficazes de acordo com os testemunhos de meus pacientes são:

1. A dieta vegana com 50% de alimentos crus é baseada em alimentos vegetais (frutos, vegetais, nozes, etc.), preferivelmente crus.
2. A dieta do tipo sanguíneo que nasceu depois de se perceber que alguns alimentos causam uma reação do sistema imunológico em pessoas que pertencem a um grupo de sangue. Geralmente, o mesmo alimento não causa sintomas em pessoas que pertencem a outro grupo.
No entanto, todos deveriam evitar:

  • Cereais com glúten,
  • Leite e laticínios,
  • Carne de porco e frios.

Alimentos a serem evitados

A medicina tradicional e as dietas naturais desaconselham:

  • Café,
  • Doces e produtos de padaria,
  • Alimentos processados,
  • Alimentos de tipo fast food,
  • Levedura (cerveja, pizza, etc.),
  • Álcool.

Uma alimentação equilibrada inclui dormir bem e fazer exercícios regulares, assim o sistema imunológico torna-se forte o suficiente para combater as infecções.

Leia também