Herpes labial – causas e rémedios

 

ÍNDICE


herpes labial ou oral é uma infecção da boca e dos lábios causada pelo vírus herpes simplex tipo 1.
O vírus provoca úlceras dolorosas em:

  • Lábios,
  • Bochechas.

Muitos confundem o herpes labial com aftas (estomatite), na verdade, uma afta ocorre na mucosa da boca e na língua, mas não fora da boca.

Relação entre o herpes oral e o herpes genital
» O herpes labial é causado pelo vírus HSV-1.
Esta doença apresenta sinais como vesículas ou bolhas entre as bochechas e os lábios.

É transmitida principalmente por:

  • Beijos,
  • Outras formas de contato íntimo.

» O herpes genital é causado pelo vírus HSV-2.
Este vírus provoca a formação de pequenas vesículas ou bolhas nas áreas genitais e causam coceira ou queimação íntima.
É transmitido principalmente durante a relação sexual com uma pessoa infectada.

» O vírus do Herpes Genital pode causar herpes oral e vice-versa, através da relação sexual.
Todavia, uma vez que o herpes labial é causado pelo vírus HSV-1 e o herpes genital pelo HSV-2, este tipo de contágio é raro.

 

Estágios do herpes labial

A infecção pelo vírus do herpes se desenvolve em três fases:

Infecção primária: Geralmente, a primeira infecção por HSV-1 ocorre em crianças entre 6 meses e 4 anos de idade e causa a infecção primária.
O vírus entra na pele ou na mucosa e se reproduz.
Durante esta fase, podem se desenvolver:

  • Vesículas orais
  • Outros sintomas, como febre.

O vírus pode não causar sintomas e vesículas.
Você pode não perceber que está com a infecção.
Neste caso, trata-se de infecção assintomática.
As infecções assintomáticas ocorrem mais frequentemente do que a doença com os sintomas.

A evolução do herpes oral ocorre da seguinte maneira:
1. Formação de vesículas,
2. Nos dias seguintes as vesículas estouram,
3. As vesículas estouradas são substituídas por crostas.

sistema,nervoso,gânglios,raízes,nervosasLatência: Do local infectado, o vírus se move na direção de um núcleo de tecido nervoso na espinha dorsal e é chamado de gânglio da raiz dorsal.
Nesta posição, o vírus se reproduz novamente e se torna inativo.

Reativação ou reinfecção ( recorrência, recidiva): em caso de estresse emocional ou físico, o vírus pode se reativar e causar os sintomas e as bolhas.
Uma causa de recidiva pode ser uma doença viral como um simples resfriado.

 

Causas do herpes labial

  • O herpes na boca é altamente contagioso e passa de pessoa para pessoa através do contato com a:
    • Pele,
    • Mucosas,
    • Saliva.
  • A doença pode ser facilmente transmitida através do contato físico com uma pessoa infectada.
  • O herpes labial ou oral também pode ser contraído com a relação sexual. No entanto, é raro porque o herpes genital é causado pela estirpe do vírus HSV-2 do herpes simplex.

Existem outras causas menores como:

  • Excessiva exposição dos lábios aos raios solares,
  • Menstruação,
  • Hormônios,
  • Estresse emocional,
  • Lesões na boca,
  • Fadiga,
  • Procedimentos odontológicos, etc.

De acordo com a teoria da dieta do tipo sanguíneo, o herpes labial pode ser causado pela alimentação, especialmente  quando se come:

  • Frios ou carne de porco,
  • Muitos frutos com casca (nozes, amendoins, pistaches, etc.) ou sementes oleaginosas (de girassol, de abóbora, etc.).

 


Quando o herpes labial é contagioso?

A transmissão ocorre através da saliva e por contato direto (por exemplo, com um beijo).
O contágio do vírus pode ocorrer até mesmo durante a infecção assintomática.
A transmissão pode ocorrer

  • Quando as lesões são visíveis,
  • No período anterior (shedding assintomático).

 

Fatores de risco do herpes labial

Os fatores que podem desencadear uma recidiva do herpes simplex oral são:
1. Sistema imunológico comprometido (tais como o uso regular de cortisona),
2. Infecções das vias respiratórias superiores;
3. Fadiga;
4. Estresse emocional;
5. Exposição à luz solar (luz ultravioleta);
6. Trauma;
7. Menstruação e alterações hormonais.

 


Sintomas do herpes labial

  • Normalmente, o herpes labial afeta os lábios e se estende até a pele ao redor da boca.
  • As lesões iniciam como áreas eritematosas que incham e tornam-se pápulas.
    Posteriormente se transformam em vesículas ou bolhas.
    Este processo leva cerca de 1-3 dias.
  • As bolhas estouram dentro de uma semana e permanecem as crostas na pele.
  • O herpes da mucosa oral geralmente não causa febre.
    Geralmente, a manifestação do vírus é limitada a pequenos grupos de microvesículas que estouram e deixam as crostas.
  • As pessoas com sistema imunológico comprometido podem desenvolver bolhas crônicas, muitas vezes na língua.

Sintomas iniciais
Entre os sintomas iniciais (pródromo) do herpes oral estão:

  • Ardência,
  • Picadas na boca.

Os sintomas normalmente ocorrem em adultos e podem ser leves ou intensos.

Antes do aparecimento das vesículas, é possível sentir:
1. Dor de garganta;
2. Febre;
3. Inchaço das glândulas;
4. Dor na deglutição;
5. Dor facial

Normalmente, as vesículas aparecem dentro de 1-3 semanas após a infecção com o vírus e podem durar até 3 semanas

Os sintomas incluem:
1. Coceira na pele ao redor da boca ou lábios;
2. Ardência nos lábios ou boca;
3. Forte dor na área afetada, especialmente quando se come e durante os movimentos dos lábios ou da língua;
4. Formigamento perto dos lábios ou da zona da boca.

Os sinais podem ser:
1. Secreções causadas pela ruptura das bolhas vermelhas;
2. Pequenas bolhas com líquido amarelado claro;
3. Pequenas bolhas que crescem juntas para formar uma bolha grande;
4. Quando as bolhas saram, tornam-se crostas amarelas, que depois caem e deixam a pele rosada;
No caso de herpes oral recidivo, normalmente os sintomas são mais leves.

Infecção recorrente ou recidivante:
As vesículas de herpes oral são entre as doenças recorrentes mais frequentes.
Normalmente aparecem na mesma posição e se repetem, inicialmente cerca de uma vez por mês, e, ao longo dos anos, tornam-se menos frequentes: duas ou três vezes por ano.
Os sintomas que precedem a formação das vesículas podem ser sentidos dois dias antes, e entre eles estão:

  • Formigamento,
  • Dor,
  • Coceira na boca.

 

Diagnóstico do herpes labial

Normalmente, o médico é capaz de reconhecer o herpes labial (ou infecção por herpes oral) olhando dentro e ao redor da boca.
O médico pode fazer um esfregaço da vesícula e enviar para o laboratório para confirmar o vírus do herpes.

 

Tratamento para herpes labial

O episódio de herpes oral pode passar sozinho dentro de 7 dias.
No entanto, depois de se ter contraído o vírus da herpes, não existe nenhum modo para erradicá-lo do organismo.

Algumas terapias podem reduzir a dor causada por esta infecção.

Entre os medicamentos que ajudam a reduzir a duração da infecção e diminuir a dor,  estão os seguintes antivirais:
• Penciclovir
Aciclovir (Zovirax ®)
• Fanciclovir
• Valaciclovir

Herpes labial, bolhas, lábios,ardência

Os antivirais devem ser tomados quando existem os sintomas iniciais (nas primeiras 48 horas): ardência ou queimação.
Quando as bolhas já se formaram, os antivirais não fazem mais efeito.

Não adianta aplicar medicamento contendo antibiótico e cortisona como o Quadriderm porque o herpes labial é causado por vírus.
O antibiótico só é útil para infecções bacterianas.
As pomadas de venda livre podem ajudar a reduzir a dor.
No entanto, existe sempre o risco de que os sintomas possam reaparecer, especialmente em situações de estresse.

 


Dieta e alimentação para herpes labial

Geralmente, as dietas naturais permitem curar e prevenir as doenças, vejamos as mais eficazes.

Dependendo da dieta do tipo sanguíneo, há uma relação entre:

  • Tipo sanguíneo,
  • Desenvolvimento de doenças e sintomas após a ingestão de determinados alimentos.

Por exemplo, uma pessoa com sangue do tipo 0 pode adoecer após ter ingerido, por exemplo:

  • Frutas,
  • Leite e derivados,
  • Salmão fumado,
  • Castanha de caju, pistache,
  • Lentilhas, etc.

Qualquer pessoa pode desenvolver herpes labial ingerindo:

  • Carne de porco,
  • Sementes e frutas com casca em excesso.

De acordo com o higienismo, a dieta ideal é vegana com pelo menos metade dos alimentos crus, pelas seguintes razões:

No corpo existem basicamente 2 tipos de linfócitos (células brancas do sangue):

  • Th1 que atuam contra vírus e bactérias,
  • Th2 que são ativados por parasitas e substâncias que causam alergias.

A ativação de um tipo de linfócito inibe o outro e vice-versa.

Em condições normais, o TH1 combate o herpes, mas a má alimentação pode enfraquecer as defesas contra o vírus, porque o corpo está combatendo contra:

  • Parasitas (encontrado principalmente na carne e no peixe),
  • As substâncias que provocam reações alérgicas, tais como os cereais (que são gramíneas), laticínios, ovos, etc.

Uma dieta baseada em alimentos de origem vegetal geralmente não causa a ativação de TH2, por isso recomendamos:

  • Frutas,
  • Vegetais
  • Batatas,
  • Leguminosas,
  • Sementes e frutos com casca.

 

Remédios naturais para o herpes labial

Yoga
O yoga é surpreendentemente eficaz no tratamento de herpes.
Estresse e baixa imunidade são fatores de risco para o herpes.
O yoga tem um efeito relaxante e pode ser muito útil neste caso.
Diz-se que os surtos de herpes tem uma relação muito próxima com o estresse.
Se você diminui a tensão emocional, você pode reduzir o número de recidivas do herpes oral.

Aloe Vera
O Aloe Vera é um daqueles remédios para todos os fins que funciona para muitas doenças.
A melhor maneira de usar este remédio é cortar a seção de uma folha viva e coletar o gel.
Aplique esse gel nas vesículas do herpes.
Ele promove a cura da vesícula e proporciona um alívio imediato pela inflamação causada pela bolha.

Limão
O limão tem propriedades desinfetantes e pode acelerar a evolução da doença (ruptura das vesículas) e a formação de crostas.
Modo de preparo:

  • Molhe um lenço ou um cotonete em suco de limão,
  • Aplique suavemente sobre as vesículas, 2-3 vezes ao dia.

Óleo da árvore do chá – Tea tree
Entre os óleos essenciais mais indicados está o óleo de tea tree que é um antiviral natural.
Aplique 3-4 gotas sobre as vesículas, 2 vezes ao dia.

Alho e cravo-da-índia
O alho tem fortes propriedades antibacterianas e antissépticas.
É necessário ingerir 3-4 cravos por dia para fortalecer o sistema imunológico ou esmagar alguns dentes de alho e aplicar o líquido nas vesículas duas vezes ou três vezes ao dia.
Desta forma, consegue-se penetrar nas camadas profundas da pele e atuar na raiz da vesícula.

Própolis
O própolis pode ser encontrado em coníferas e brotos de Choupo, é uma substância marrom que contém a resina.
As abelhas costumam usá-lo para unir as colmeias.
As propriedades antissépticas são úteis no tratamento de herpes labial.

Extrato de erva-cidreira
O extrato de erva-cidreira (local ou em forma de creme) é capaz de reduzir a sensação de coceira causada pelo herpes oral, sendo um dos melhores remédios caseiros.

Compressas
Use uma compressa fria em forma de gelo ou saquetas de chá para ter um efeito calmante sobre a dor.
Repita várias vezes ao dia, com intervalos regulares.
Também uma compressa quente com uma saqueta de chá aplicada por 30 minutos pode ajudar a curar as bolhas.

Remédios à base de ervas medicinais

  • Andrographis paniculata: esta planta fortalece o sistema imunológico porque tem um efeito antiviral contra o HSV-1.
  • Echinacea purpurea: esta erva tradicional contém compostos que ativam os macrófagos, favorecendo a destruição de células infectadas. Ele também ajuda a reparar o tecido infectado.
  • Melissa officinalis (cidreira): contém polifenois que ajudam a curar as vesículas, crostas, também reduz a intensidade das exacerbações do herpes oral.
  • Olea europaea (azeitona): As folhas de oliva demonstraram propriedades antivirais contra o HSV-1, inibindo a reprodução do vírus.
  • Rheum officinale: as antraquinonas extraídas da raiz desta erva têm um efeito antiviral (mata o vírus) contra o herpes vírus tipo 1.
  • Santolina insularis: o óleo essencial desta planta tem propriedades antibacterianas e antivirais. A santolina insularis impede as células de transmitir o vírus da herpes.

Leia também