Asma brônquica e alérgica

A asma brônquica é uma doença caracterizada pelo estreitamento dos brônquios e das vias respiratórias onde o ar passa de e para os pulmões.

 

INDICE

Alterações orgânicas causadas por asma (Fisiopatologia)

A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, na verdade há uma inflamação básica crônica, também presente quando o paciente está bem.
É caracterizada por uma obstrução bronquial reversível. Em caso de crises leves, pode passar espontaneamente.
Ocorre raramente uma forma de asma grave com obstrução bronquial não reversível.

Outra característica importante é a hiperreatividade brônquica, ou seja, os músculos dos brônquios se contraem:

  • Rapidamente,
  • Devido a estímulos inespecíficos (por exemplo, ar frio ou fumaça que causam secura nas vias aéreas),

A asma é caracterizada por:

  • Presença de células inflamatórias, especialmente eosinófilos (glóbulos brancos envolvidos em reações alérgicas), linfócitos Th2, enquanto os mastócitos e os neutrófilos estão menos presentes.
  • Hiperreatividade do trato respiratório – uma resposta exagerada a tantos estímulos diferentes. É uma característica importante, mas não exclusiva da asma. Existem várias causas, incluindo: inflamação, disfunção neurológica e alterações estruturais. A inflamação parece ser um fator chave porque o tratamento anti-inflamatório reduz a hiperreatividade.
  • Alguns sujeitos asmáticos têm anormalidades nas vias aéreas que causam reversão só parcial da obstrução:
    • Desquamação e ruptura do epitélio brônquico (mucosa brônquica interna)
      O espessamento da membrana basal (particularmente da lâmina reticular) é um sinal característico de asma brônquica
    • Aumento do volume da musculatura brônquica.
    • Proliferação e dilatação dos vasos sanguíneos.
    • Hipersecreção e aumento do tamanho das glândulas que produzem muco.

 

Origem da asma

A origem da asma ainda não foi descoberta e há muitos estudos científicos em curso.
O desenvolvimento da asma é um processo que depende da interação entre dois fatores principais:

  • Genéticos,
  • Ambientais – que ocorrem durante o desenvolvimento do sistema imunológico.

Os pesquisadores observaram um desequilíbrio na quantidade de duas citocinas (substâncias usadas para a comunicação entre as células do sistema imunológico) nas vias aéreas:

  • Th1 – reduzido,
  • Th2 – excessivo.

Os linfócitos Th1 produzem IL-2 e interferão-γ (IFN-γ), que são fundamentais nos mecanismos de defesa celular contra as infecções.
Os linfócitos Th2 produzem uma família de citocinas (IL-4, -5, -6, -9 e -13) que estimulam a produção de IgE (anticorpos que causam as reações alérgicas).

 

Fatores que favorecem a produção de Th1 Fatores que favorecem a produção de Th2
  • Irmãos mais velhos, frequência de jardins de infância,
  • Infecções como sarampo, tuberculose, hepatite A,
  • Ambiente rural.
  • Uso de antibióticos,
  • Vida na cidade,
  • Estilo de vida e comida ocidental,
  • Hipersensibilidade aos ácaros da poeira e baratas.

 

 

Fonte: Eder W, Ege MJ, von Mutius E. The asthma epidemic. N Engl J Med. 2006;355(21):2226–2235. Review. [PubMed]

 

De acordo com a medicina convencional, a asma é uma doença crônica e incurável.
Em crianças e adolescentes afeta mais os machos, enquanto nos adultos, as mulheres são mais afetadas.

 


Tipos de Asma

1) Asma intrínseca (menos de 10% dos casos) se apresenta assim:

  • Aparece em adultos depois de cerca 50 anos de idade,
  • O paciente não sofre de alergias,
  • Entre dois ataques de asma, os sintomas não desaparecem completamente,
  • Muitas vezes, se torna crônica
  • Os órgãos são frequentemente danificados,
  • Pode causar a morte,

2) Asma extrínseca tem as seguintes características:

  • Ocorre em jovens ou em crianças,
  • O menino sofre de alergias que podem ser diagnosticadas com o teste cutâneo (teste PRIC ou teste de puntura ou o teste cutâneo-alérgico de raspagem)
  • Os órgãos não são comprometidos e a morte ocorre apenas em casos excepcionais.

Asma induzida por esforço físico (AIE)
Esta patologia aparece quando se faz uma atividade esportiva (durante o exercício físico) e tem a duração de cerca de 15 minutos.
Os sintomas são:

No entanto, há muitos campeões olímpicos que sofriam ou sofrem de asma.

 

Causas da asma e fatores de risco

As causas da asma não são conhecidas, mas as pesquisas mostram que pode ser causada ou agravada por muitos fatores de risco genéticos e ambientais ou por infecções.

Hereditariedade
Os cientistas acreditam que esta doença seja hereditária (genética), o filho tem maior probabilidade de ficar doente se os pais sofrem de:

 

Asma brônquica, pulmão, brônquio

Sistema imunológico
Em caso de asma alérgica, existem reações alérgicas à algumas substâncias comuns como:

  • Pelo de gato (mais comum em crianças),
  • Mofo,
  • Poeira,
  • Perfumes,
  • Pólen (mais comum nos adultos).

O sistema imunológico pode reagir excessivamente às bactérias e vírus, aumentando as chances de um ataque de asma alérgica.

Asma e infância
As crianças prematuras são especialmente vulneráveis às doenças respiratórias e infecções porque seus pulmões não são desenvolvidos completamente quando eles nascem.
Às vezes, uma infecção pode causar uma inflamação das vias aéreas.

Alimentação e leite materno
A asma pode ocorrer em crianças que não são amamentadas no peito porque as proteínas do leite de vaca:

  • Não são adequadas para a alimentação do bebê (são perfeitas para a vitela que é herbívora),
  • Estão presentes em quantidades excessivas.

A obesidade é um fator de risco porque os adipócitos (células adiposas) liberam substâncias pró-inflamatórias que promovem o aparecimento da asma.

Asma e ambiente
Existem vários fatores ambientais que podem desencadear o aparecimento de asma, por exemplo:

  • Fumo passivo,
  • Poluição do ar,
  • Produtos químicos,
  • Tintas.

A humidade pode incentivar o crescimento de ácaros e mofo que podem desencadear os ataques de asma.

Asma ocupacional (ou profissional): no ambiente de trabalho se podem encontrar substâncias nocivas que causam os sintomas da asma.

Ansiedade e stress
Existe uma componente psicossomática no desenvolvimento da asma, de fato as situações estressantes podem agravar os sintomas.

Doença do refluxo gastroesofágico
Existe uma correlação entre asma e refluxo gastroesofágico porque:

  • A asma provocada por refluxo gastroesofágico é causada pela subida dos ácidos estomacais.
  • Os ataques noturnos de asma podem ser causados pelo refluxo. O ácido no esôfago provoca uma reação do sistema nervoso autônomo vagal: o broncoespasmo.
  • A asma melhora ao tomar medicamentos antirrefluxo
  • O refluxo é frequente em pacientes asmáticos que tomam medicamentos bronco dilatadores.

Asma induzida por aspirina
A aspirina e os anti-inflamatórios não esteroides podem causar a asma.
Este é um tipo de asma extrínseca.

Asma pré-menstrual
As mulheres podem ter crises graves nos dias que antecedem a menstruação.

Asma induzida por fungos e micetos
A asma por fungo de aspergillus ocorre se o paciente vive numa casa com muita umidade.

 

Bronquite asmática aguda ou crónica

A bronquite asmática afeta as crianças com menos de 5 anos de idade.
É uma combinação de duas doenças do pulmão:

A bronquite asmática ocorre em pessoas que sofrem de bronquite e, em seguida, desenvolvem os sintomas característicos da asma:

  • Dispneia (falta de ar),
  • Sibilo (ruído semelhante a um apito) durante a exalação, especialmente à noite ou após um esforço físico.

Estes sintomas não são causados por asma, mas:

  • Pelo tamanho reduzido dos brônquios em crianças pequenas,
  • Pela reação excessiva dos brônquios (broncoespasmo) que ocorre em algumas crianças.

Os sintomas destas doenças são semelhantes, por isso é difícil fazer um diagnóstico.

Causas da bronquite asmática

  • Sistema imunológico fraco
  • Infecções causadas por bactérias e vírus
  • Infecções respiratórias
  • Exposição à alérgenos, poluentes e produtos químicos
  • Stress físico e emocional.

 

Sintomas de asma brônquica e alérgica

Sintomas de asma em crianças

As crianças pequenas podem desenvolver asma em idade precoce.

Os sintomas de asma em crianças são semelhantes com aqueles dos adultos. No entanto, dado que em crianças as vias aéreas são menores, a intensidade é muito mais grave.

Os principais sintomas são:

Falta de ar ou dispneia em repouso: dado que os dutos nasais ficam mais estreitos, a criança respira com dificuldade.
É mais evidente quando a criança:

  • Chora,
  • Faz atividades físicas.

Durante um ataque de asma grave, a respiração se torna rápida e superficial.

Respiração rápida e superficial: este sintoma indica claramente que o fluxo de ar é restrito e somente uma pequena quantidade de ar pode passar através do sistema respiratório.

Sibilo durante a respiração: se ouve um assobio enquanto a criança expira.

Tosse: A tosse crônica pode ser seca ou com catarro.
Os pacientes podem tossir ocasionalmente durante o dia, muitas vezes, a tosse piora à noite.

Insônia – devido a sintomas e tosse que ocorrem enquanto se está dormindo.

Sensação de aperto no peito: dado que existe uma quantidade menor de ar disponível nos pulmões, a criança se esforça para respirar mais ar.
Isto provoca uma sensação de compressão no peito.

Existem alguns sintomas graves para os quais se tem que ir imediatamente ao hospital:

1. Palidez no rosto,
2. Lábios e unhas que mudam de cor e tornam-se azuis.

 

Asma brônquica

Sintomas em adultos

Em adultos, os sintomas podem ocorrer:

  • De repente,
  • Algumas horas ou dias após a exposição às substâncias irritantes.

A maioria dos ataques de asma causam chiado e falta de ar.
Muitos pacientes têm tosse seca persistente que pode causar insônia.
Uma sensação de opressão torácica súbita e inexplicável pode ser um indicador precoce de um ataque de asma grave.

Outro sintoma que pode ocorrer é dor e rigidez nos músculos do pescoço.
Um ataque de asma também provoca:

 


Complicações da asma brônquica e alérgica

Bronquopneumpatia crônica obstrutiva (DPOC)
É uma doença pulmonar crônica em que ocorre:

  • Uma obstrução dos brônquios,
  • Redução da passagem do ar,
  • Uma alteração degenerativa dos bronquíolos e dos alvéolos pulmonares.

Um paciente com asma pode ter DPOC após os 60 anos, quando os tecidos conjuntivos dos brônquios perdem elasticidade.

Sintomas da DPOC
Os sintomas podem ser:
1. Falta de ar que piora com a atividade física;
2. Uma tosse crônica com catarro que não passa;
3. As infecções pulmonares são frequentes, especialmente durante o inverno.
4. A dor torácica do tipo compressivo.

enfisema,pulmonar

Outras complicações:

  • Acidose respiratória – acidez excessiva do sangue devida ao excesso de dióxido de carbono,
  • Coração pulmonar – dilatação do ventrículo cardíaco direito,
  • Atelectasia – diminuição do volume pulmonar,
  • Pneumotórax – acumulação de ar na cavidade pleural.


Asma durante a gravidez

A administração de medicamentos para asma não é boa coisa para o bebê, mas um ataque de asma não controlado durante a gravidez pode ter sérias consequências.
A asma em gravidez pode causar:

  • Redução da quantidade de oxigênio para a mãe e o feto que pode causar graves complicações,
  • Anomalias congênitas:
    • Anomalias faciais,
    • Defeito da parede abdominal fetal caracterizado pela saída das vísceras (gastrosquise)
    • Atrésia anal
  • Pré-eclâmpsia,
  • Baixo peso do corpo ao nascimento do bebê,
  • Nascimento prematuro do bebê.

O tratamento mais popular para tratar a asma durante a gravidez é a inalação de corticoides.
Dessa maneira:

  • Se abre a passagem de ar,
  • Os sintomas têm um alívio

A dose destes medicamentos depende da:

  • Frequência dos ataques de asma,
  • Gravidade dos sintomas.

 

Diagnóstico de asma brônquica e alérgica

O problema do diagnóstico de asma é a ausência de sintomas nos pacientes quando chegam na clínica na maioria dos casos.

O médico:

  • Visita o paciente,
  • Verifica se os sintomas são típicos da doença.

Nas crianças é difícil de diagnosticar, às vezes o único sintoma presente é uma tosse seca persistente.

O período de aparecimento dos sintomas ajuda a compreender o tipo de alergia:

  • Se os sintomas aparecem apenas na primavera, a causa pode ser a presença de pólen,
  • Em caso de ataques de asma apenas no inverno, é mais provável que seja causada por ácaros.

 

Exames para asma brônquica e alérgica

Espirometria – um teste de função pulmonar que mede a quantidade de ar exalado.
Este teste confirma a presença de obstruções das vias aéreas que melhoram com o tratamento, típico da asma.
Também pode medir com precisão o grau de alteração da função pulmonar.
Este teste:

  • Também pode monitorar a resposta aos medicamentos para asma,
  • É recomendado para adultos e crianças com mais de 5 anos de idade.

Teste de bronco provocação por metacolina – é um exame provocativo em que o médico pede ao paciente que respire doses crescentes de metacolina por aerossol.
Esta substância causa bronco constrição (redução do volume interno dos brônquios).
Se deve realizar uma espirometria antes e depois de cada respiração para ver a diferença.
Se o Volume Expiratório Máximo por Segundo (VEMS) diminui de mais do 20%, o teste é positivo.

A radiografia de tórax – geralmente não prescrita, mas pode ser útil para excluir outras doenças como a pneumonia.

Testes cutâneos

Teste SKIN PRICK (ou teste de puntura) – uma pequena amostra da substância a que o paciente pode ser alérgico (alérgeno) é suavemente inserida sob a pele.
O teste é positivo se uma pequena bexiga aparecer dentro de 15 minutos.

O teste cutâneo-alérgico de raspagem (teste RAST) permite procurar anticorpos contra alguns alérgenos.
Outro exame mais recente é o teste ImunoCAP ISAC:

  • É feito para 112 alérgenos juntos,
  • É tão confiável quanto o teste RAST.

 

Diagnóstico,asma,teste,exames

 

Diagnóstico diferencial
No diagnóstico, você deve excluir:

Leia também