Propagação de câncer através do sistema linfático

Quando uma célula cancerosa se move através do sangue e do sistema linfático ou está diretamente em contato com outra região, se pode dividir e formar um novo tumor no corpo.
Muitas vezes a metástase interfere com as funções do órgão afetado e causa sintomas e a mortalidade típica dos cânceres.

O sistema linfático desempenha um papel crucial na formação de metástases de alguns tipos de câncer.
Os vasos linfáticos são projetados para a entrada e saída de células do sistema imunológico e as células malignas podem passar facilmente.
Além disso o fluxo de linfa muito lento evita danos às células.

Os pesquisadores acreditavam que o tumor se espalhasse para o sistema linfático através da erosão das paredes dos vasos e que formasse as metástases após a drenagem passiva.
No entanto, as pesquisas mostram que para a propagação do tumor são necessárias interações específicas entre as células metastáticas e os vasos linfáticos.
A presença de metástases nos linfonodos próximos ao tumor primário indica que a doença se espalhou para órgãos distantes (indicador prognóstico significativo).

meninges,dura,máter,aracnóide,pia,máter

© alamy.com

Como se espalha o câncer?

Normalmente, a formação de metástases de tumor segue os seguintes passos:

  • Invasão local: as células tumorais invadem o tecido normal circundante.
  • Migração para os vasos: as células cancerosas invadem e passam através das paredes dos vasos sanguíneos e vasos linfáticos vizinhos.
  • Circulação: as células cancerosas se movem através do sistema linfático e a corrente sanguínea para outras partes do corpo.
  • Extravasamento: as células cancerosas param de se mover nos capilares à distância. Em seguida invadem as paredes capilares e migram para os tecidos circundantes (extravasamento).
  • Proliferação: as células cancerosas se multiplicam em uma area distante para formar pequenos tumores chamados micrometástases.
  • Angiogênese: as micrometástases estimulam o crescimento de novos vasos sanguíneos para o fornecimento de sangue.

Isto fornece oxigênio e nutrientes necessários para o crescimento do tumor.

Os tumores do sistema linfático ou do sangue já estão presentes nos vasos linfáticos, linfonodos ou os vasos sanguíneos e portanto não são necessárias todas essas etapas para a metástase.

Onde o câncer se espalha?

Os órgãos em que são formadas mais freqüentemente as metástases do tumor são:

  • Ossos,
  • Fígado,
  • Pulmão.

Embora muitos tumores têm a capacidade de invadir diferentes partes do corpo, normalmente se espalham para uma região específica.

Órgãos em que normalmente se formam as metástases do tumor:

Tumor primario –> Órgãos em que se formam as metástases

  • Bexiga (carcinoma da bexiga) –> Osso, fígado, pulmão (Forte et al. – 2009)
  • Pulmão –> Glândula supra-renal, osso, cérebro, fígado (Popper – 2016)
  • Rim -> Glândula adrenal, ossos, cérebro, fígado, pulmão (Gong et al. – 2016)
  • Mama –> Osso, cérebro, fígado, pulmão  (Xin Jin et al. – 2015)
  • Câncer ao cólon – reto –> Fígado, pulmão, peritônio (Riihimäki et al. – 2016)
  • Pâncreas –> Fígado, pulmão, peritônio (Peixoto et al. – 2015)
  • Próstata –> Cérebro, osso, fígado, pulmão (Jin et al. – 2011)
  • Ovário -> Fígado, pulmão, peritônio (Lengyel – 2010)
  • Melanoma –> Ossos, cérebro, fígado, pulmão, pele/músculo (Sundararajan et al. – 2018)
  • Estômago (carcinoma gástrico) –> Fígado, pulmão, peritônio (Riihimäki et al. – 2016)
  • Útero –> Ossos, fígado. pulmão, peritônio (Kurra et al. – 2013), vagina
  • Tireóide –> Metástases ósseas, pâncreas, doença hepática  (Nguyen et al. – 2015)
  • Fígado –> Pulmão, Ossos e sistema linfático (Kim et al. – 2006).

O cérebro contém o tecido neural cerebral (parênquima) e as leptomenínges (as duas membranas internas – aracnóides e pia máter – das três meninges que envolvem o cérebro e a medula espinhal).
O espaço entre a aracnóide e a pia-máter contém o líquido cefalorraquidiano.

O pulmão inclui:

  • O parênquima (a estrutura do pulmão)
  • A pleura (a membrana que reveste os pulmões e a cavidade torácica).
metástases nos linfonodos,vasos sanguineos

© fotolia.com

Alguns exemplos:

Melanoma
O melanoma geralmente se origina na camada superior da pele, mas pode rapidamente penetrar em profundidade.
Então se espalha rapidamente através da corrente sanguínea ou do sistema linfático.
As áreas mais afetadas pelo melanoma metastático são a pele, pulmões, cérebro, fígado e ossos.

abdômen,gânglios,linfáticos,peritônio

© alamy.com

Câncer de mama metastático
Também chamado de carcinoma de mama no IV estágio, este é o tipo mais avançado de câncer de mama. A metástase é uma massa que se forma quando as células cancerosas se espalharam do local do tumor original (no caso da mama) para diversas áreas corporais.
Estas células podem viajar através do sistema linfático ou dos vasos sanguíneos e unem-se em outro órgão do corpo.
Normalmente as metástases regionais se espalham para os tecidos circundantes da mama.
Em vez as metástases a distância podem atingir outros órgãos tais como o fígado, pulmões e ossos.

O câncer de mama que se espalhou para os linfonodos axilares tem resultados de sobrevivência muito piores do que o tumor primário.

Câncer pancreático
Frequentemente o adenocarcinoma do pâncreas invade os primeiros linfonodos abdominais e provoca uma metástase hepática.
Pode recorrer e o prognóstico é pessímo
Menos de 5% dos pacientes sobrevivem até 5 anos após o diagnóstico.

Câncer testicular
O câncer no testículo é raro e hoje com um diagnóstico precoce é derrotado na maioria dos casos.
Este tipo de câncer é definido:

  • Seminoma se afeta as células que produzem os espermatozóides,
  • Não-seminoma se não afeta as células germinativas.

As metástases desse tumor são formados antes nos gânglios linfáticos abdominais (retroperitonial), em seguida no fígado e nos pulmões.

Câncer de cólon
O câncer cólon retal no primeiro e segundo estágio não induz a formação de metástases, mas no terceiro estágio se formam metástases nos linfonodos regionais.
O quarto estágio é caracterizado pela formação de metástases distantes, especialmente doença hepática e pulmonar ovaiche.

Leia também

Bibliografia:

  1. Serafino Forte, MD, Sebastian Kos, MD, and Adrienne Hoffmann, MD. Unusual location of a urinary bladder cancer metastasis. Radiol Case Rep. 2009; 4(4): 316. doi:  10.2484/rcr.v4i4.316
  2. Helmut H. Popper. Progression and metastasis of lung cancer. Cancer Metastasis Rev. 2016; 35: 75–91. doi:  10.1007/s10555-016-9618-0
  3. Jun Gong, Manuel Caitano Maia, Nazli Dizman,Ameish Govindarajan, and Sumanta K. Pa. Metastasis in renal cell carcinoma: Biology and implications for therapy. Asian J Urol. 2016 Oct; 3(4): 286–292. doi:  10.1016/j.ajur.2016.08.006
  4. Xin Jin and Ping Mu. Targeting Breast Cancer Metastasis. Breast Cancer (Auckl). 2015; 9(Suppl 1): 23–34. doi:  10.4137/BCBCR.S25460
  5. Matias Riihimäki, Akseli Hemminki, Jan Sundquist, andKari Hemminki. Patterns of metastasis in colon and rectal cancer. Sci Rep. 2016; 6: 29765. doi:  10.1038/srep29765
  6. Renata D’Alpino Peixoto, Caroline Speers, Colleen E McGahan, Daniel J Renouf, David F Schaeffer, and Hagen F Kennecke. Prognostic factors and sites of metastasis in unresectable locally advanced pancreatic cancer. Cancer Med. 2015 Aug; 4(8): 1171–1177. doi:  10.1002/cam4.459
  7. Jung-Kang Jin, Farshid Dayyani, and Gary E. Gallick. Steps in Prostate Cancer Progression that lead to Bone Metastasis. Int J Cancer. 2011 Jun 1; 128(11): 2545–2561. doi:  10.1002/ijc.26024
  8. Ernst Lengyel. Ovarian Cancer Development and Metastasis. Am J Pathol. 2010 Sep; 177(3): 1053–1064.
  9. William E. Damsky, Jr., Lara E. Rosenbaum, and Marcus Bosenberg. Decoding Melanoma Metastasis. Cancers (Basel). 2011 Mar; 3(1): 126–163. doi:  10.3390/cancers3010126
  10. Riihimäki M, Hemminki A, Sundquist K, Sundquist J, Hemminki K. Metastatic spread in patients with gastric cancer. Oncotarget. 2016 Aug 9;7(32):52307-52316. doi: 10.18632/oncotarget.10740.
  11. Vikram Kurra, Katherine M. Krajewski, Jyothi Jagannathan,Angela Giardino, Suzanne Berlin, and Nikhil Ramaiyaa, Typical and atypical metastatic sites of recurrent endometrial carcinoma. Cancer Imaging. 2013; 13(1): 113–122. doi:  10.1102/1470-7330.2013.0011
  12. Quang T. Nguyen, DO, FACP, FACE, FTOS,*Eun Joo Lee, Melinda Gingman Huang, Young In Park, Aashish Khullar, MD, and Raymond A. Plodkowski, MD. Diagnosis and Treatment of Patients with Thyroid Cancer. Am Health Drug Benefits. 2015 Feb; 8(1): 30–40.
  13. Soo Ryang Kim, Fumio Kanda, Hiroshi Kobessho, Koji Sugimoto, Toshiyuki Matsuoka, Masatoshi Kudo, and Yoshitake Hayashi. Hepatocellular carcinoma metastasizing to the skull base involving multiple cranial nerves. World J Gastroenterol. 2006 Nov 7; 12(41): 6727–6729. doi:  10.3748/wjg.v12.i41.6727.

Deixe uma resposta