Ardência na boca

ÍNDICE

A ardência na boca é uma sensação irritante na língua e no palato, mas pode ocorrer em qualquer parte da boca ou na garganta.

A sensação de boca que arde pode começar sem uma razão aparente e pode persistir por meses ou até mesmo anos.
Há momentos em que uma pessoa se senta à mesa e está com tanta fome a ponto de não considerar a temperatura da comida no prato.

É possível queimar a mucosa da boca se a comida estiver muito quente.
Embora os efeitos não sejam permanentes e devastadores, podem causar desconforto por alguns dias.

Além da ardência na boca, também podem estar presentes um gosto metálico ou uma sensação de boca amarga.
Muitas pessoas relatam ter a boca seca, mas geralmente o exame da mucosa da boca revela uma quantidade de saliva normal.
A dor ardente pode ser muito grave e pode causar depressão e ansiedade por dor crônica.

 

A síndrome da ardência bucal

A síndrome da boca ardente (ou estomatopirose) é uma desordem caracterizada por ardência crônica ou recorrente na mucosa da boca.
O desconforto pode afetar a língua, gengivas, lábios, interior das bochechas, palato ou algumas zonas difusas da boca.
A síndrome da ardência bucal ocorre de repente e pode ser grave, como se a boca estivesse queimada.

 

Causas da sensação de ardência na boca

Geralmente, a sensação de queimação na boca é causada pela ingestão de alimentos quentes demais.
Outra maneira frequente de queimar a língua ou boca é beber café em uma xícara isolada.
Existem algumas xícaras de café que não permitem que o calor saia para a parte externa da xícara.
Isso torna difícil estimar a temperatura do café.
É também possível queimar a boca ao comer uma pizza.
O queijo em cima da pizza está muito quente e se a pessoa comer sem considerar a temperatura, pode sofrer uma queimadura feia.

Causas da síndrome da ardência bucal
A síndrome da boca ardente pode ser classificada como primária ou secundária.

Síndrome da ardência bucal primária
Quando não se consegue identificar anomalias clínicas ou laboratoriais, a doença é chamada síndrome da boca ardente primária ou idiopática.
Algumas pesquisas mostram que a síndrome da ardência bucal primária está relacionada com problemas com o sentido do gosto ou com os nervos sensoriais do sistema nervoso.

Síndrome da ardência bucal secundária
Às vezes, a síndrome da ardência bucal é causada por uma doença. Nestes casos, chama-se síndrome de boca ardente secundária.
Os problemas subjacentes que podem causar a síndrome da boca ardente secundária são:

  • Boca seca (xerostomia) pode ser causada por diferentes medicamentos, doenças, problemas com a funcionalidade das glândulas salivares ou é devida aos efeitos colaterais do tratamento para o câncer.
    Entre os efeitos da radioterapia e quimioterapia estão também náusea e vômitos que complicam a situação.
  • Outras doenças da cavidade oral, por exemplo, uma infecção por fungos (cândida na boca), uma doença inflamatória chamada de líquen plano oral ou uma doença conhecida como língua geográfica, que dá à língua um aspecto parecido com um mapa.
  • Feridas na boca: as aftas são úlceras dolorosas, pálidas ou amareladas com um anel exterior vermelho. As feridas desenvolvem-se nos lábios e na boca, especialmente nos lados.
  • A estomatite pode causar a formação de aftas e também pode afetar as crianças.
    As aftas não são contagiosas e podem aparecer devido a doenças como resfriado ou gripe, estresse ou falta de certas vitaminas.
  • Câncer de garganta: o câncer de garganta pode provocar um inchaço e um sangramento persistente, úlceras ou protuberâncias na língua com manchas brancas ou vermelhas na boca.
    Qualquer pessoa pode ter câncer bucal, mas mastigar tabaco ou o consumo de álcool aumentam o risco.
  • Bolhas da herpes: a herpes labial provoca a formação de pequenas vesículas dolorosas e cheias de fluido. É causada pelo vírus herpes simples que vive em áreas úmidas do corpo como boca, lábios, narinas e virilha.
    Estas formações são muito contagiosas e podem causar formigamento ou queimação.
  • Deficiências nutricionais, tais como deficiência de ferro, zinco, ácido fólico (vitamina B-9), tiamina (vitamina B1), riboflavina (vitamina B2), piridoxina (vitamina B-6) e cobalamina (vitamina B-12).
  • Dentaduras, especialmente se não se encaixarem bem porque podem colocar em tensão alguns músculos e tecidos da boca ou conter materiais que irritam os tecidos da boca.
  • Alergia ou reação a alimentos, por exemplo a aromas alimentares, outros aditivos alimentares, perfumes, corantes ou substâncias que usa o dentista.
  • O abacaxi pode causar irritações de pele menores porque é muito ácido.
    Quando comemos esta fruta ou bebemos seu suco, podemos sentir ardência, coceira e dor na língua. Em caso de desenvolvimento de uma dor intensa, comichão, ardor ou inchaço na língua após a ingestão do abacaxi, é necessário falar com o médico.
  • Pimenta, a capsaicina contida na pimenta pode irritar a boca e olhos, causando ardência intensa.
    A primeira coisa a ser feita é beber leite.
    Para os olhos é possível umedecer uma bola de algodão com leite e depois tamponá-los delicadamente.
    O efeito do leite é muito rápido.
  • Doença do refluxo gastroesofágico que chega na boca vindo do estômago. É um dos principais motivos para a sensação de queimação na boca durante a gravidez devido à pressão que a criança exerce sobre o estômago.
    Geralmente ocorre depois de comer, nas 3/4 horas seguintes.
  • Alguns medicamentos, especialmente aqueles para a pressão alta, chamados inibidores da ECA (inibidores da enzima de conversão da angiotensina).
  • Bruxismo, morder a ponta da língua e ranger os dentes.
  • Doenças endócrinas, tais como diabetes ou distúrbios da tireoide (por exemplo, hipotireoidismo).
  • Irritação da boca causada pela escovação da língua, uso de cremes dentais abrasivos, colutórios ou bebidas ácidas como limão.
  • Fatores psicológicos como ansiedade, depressão ou estresse.

 

Sinais e sintomas da síndrome da ardência bucal

A sensação de queimação na boca de intensidade variável é o principal sintoma da doença e pode persistir por meses ou anos.
Para muitas pessoas, a sensação de queimação começa no final da manhã, piora no fim da tarde e melhora durante a noite.

Algumas pessoas sentem dor constante; para outras a dor vai e vem.
Se a síndrome da boca ardente causar dor crônica, é fácil que o paciente tenha ansiedade e depressão.
Outros sintomas da síndrome da ardência bucal incluem:

  • O paciente relata uma sensação de alfinetes ou pimenta na boca;
  • Formigamento ou dormência na ponta da língua ou na boca;
  • Gosto amargo ou metálico;
  • Boca seca;
  • Dor na boca.

 

Como é feito o diagnóstico da síndrome da ardência bucal?

Para o diagnóstico seguro serve uma equipe de especialistas composta por um dentista, um endocrinologista, um estomatologista e um neuropsiquiatra.

A síndrome da boca ardente é diagnosticada:

  • Controlando os sintomas clínicos,
  • Certificando-se de que a boca não está inflamada e que não há lesões,
  • Excluindo outras doenças, tais como infecções, diabetes, cândida oral ou deficiência de vitaminas.

Se esses distúrbios não estiverem entre as causas, faz-se o diagnóstico da boca que queima.

 

Medicamentos e tratamento para a boca ardente

Não há um método eficaz para tratar a síndrome da ardência bucal do tipo primário.
Não existem estudos que mostram os métodos mais eficazes.
O tratamento varia de acordo com os sinais e sintomas específicos, e com as condições subjacentes que podem causar desconforto na boca.
Por exemplo, substituindo a dentadura ou tomando suplementos para uma deficiência de vitamina consegue-se aliviar o desconforto.
É por isso que é importante tentar identificar a causa.
Uma vez curada a doença subjacente, os sintomas da síndrome da boca ardente devem passar.

 


Ardência na boca

Remédios caseiros para a síndrome da ardência bucal

A sensação de queimação na boca é um sintoma de uma doença e, por isso, não serve um tratamento específico.
O tratamento serve para curar a causa principal do problema.
O tratamento para a síndrome de boca ardente é muito difícil se a causa específica não for encontrada.

Em tais casos, o objetivo do tratamento é controlar os sintomas.
Aqui estão alguns remédios caseiros para a síndrome da ardência bucal:

Gelo: esse é o remédio mais popular para tratar uma língua ardente.
Coloque um cubo pequeno de gelo na boca e chupe devagar.
O frio entorpece a língua e não se sente mais a sensação de queimação. Além disso, a água que deriva do derretimento do gelo pode aliviar a sensação de boca seca.

Gel de Aloe Vera: a aplicação de gel tópico de aloe vera fresca pode curar o problema.
Corte uma folha fresca de aloe vera e aplique o gel que sai dele sobre a parte da língua com formigamento.
Para obter resultados mais rápidos, é necessário aplicar o gel várias vezes ao dia.
Todas as vezes que o gel é colocado, obtém-se uma sensação agradável e relaxante na língua.

Óleo de lavanda: as propriedades antissépticas do óleo de lavanda têm um efeito curativo sobre a sensação de queimação na boca.
Essa substância estimula a circulação sanguínea e facilita a rápida cura do problema.
Coloque algumas gotas de óleo de lavanda em uma bola de algodão e aplique-o sobre a língua e boca.
Repita esse processo todas as noites antes de se deitar para ter um melhoramento rápido da ardência.

Beber muita água: a ardência na língua dá uma sensação constante de sede e, portanto, a pessoa sente a necessidade de beber água constantemente.
Quando a pessoa bebe água, a sensação de sede acalma e diminui a intensidade da ardência na boca.
Comece o dia bebendo pelo menos 1-2 copos de água. Beba 8-10 copos de água durante o dia e controle se a boca está seca.

Os remédios naturais citados acima são úteis se a pessoa não ingerir alimentos e bebidas que podem agravar ainda mais o problema.
Os alimentos quentes e picantes, a menta, a canela e em geral os líquidos e alimentos que tendem à acidez, o chá, o café e álcool devem ser evitados rigorosamente.
Coma comida normal, sem especiarias tais como legumes cozidos, sucos de fruta fresca e verduras para reduzir a dor.

 

Remédios naturais e alimentação para a ardência na boca

A água é considerada o melhor remédio para uma boca ardente. No entanto, pode haver momentos em que a água não está prontamente disponível.
Neste caso, é possível tentar as seguintes soluções:

  • Goma de mastigar: para eliminar a sensação de queimação, é possível mastigar uma goma de mascar. No entanto, pode ser necessário muito tempo antes que passem os sintomas.
  • Fermento em pó: um dos remédios caseiros eficazes para tratar uma boca ardente é o fermento em pó. Embora não seja uma opção de tratamento frequente, pode ser uma terapia eficaz.
    Tudo o que é preciso fazer é aplicar um pouco de pó sobre a área com ardência.
  • Cúrcuma: a cúrcuma é um antisséptico eficaz e possui propriedades curativas. É possível preparar uma mistura com manteiga clarificada e cúrcuma e, em seguida, aplicá-la sobre a parte da boca que incomoda.
  • Açúcar: o açúcar também alivia as queimaduras.
    Coloque o açúcar na língua e pressione-o levemente contra o palato para tocar a seção onde queima.
    Existem algumas coisas que é necessário lembrar para evitar um agravamento da área que queima.
  • Enquanto o paciente não estiver curado, só deve comer quando a comida estiver fria.
  • Evite comer alimentos com bordas cortantes, tais como batatas fritas e torradas. Esses alimentos podem ferir a parte que arde e causar dor.
  • Evite ao máximo a comida picante porque pode piorar a irritação da boca.
  • Aconselha-se uma limonada morna em vez de bebidas quentes como chá, café ou chocolate quente.
  • Os alimentos ricos em vitamina B são úteis na dieta diária.
  • Até a queimadura estar curada, evite o uso de produtos de higiene bucal, como o colutório, porque eles contêm produtos químicos que podem piorar a situação.

 

Dieta e nutrição contra ardência na boca

A medicina convencional não dá conselhos específicos para as pessoas que sofrem de síndrome de ardência bucal, além das recomendações usuais para evitar os excessos alimentares, comer frutas e verduras e “um pouco de tudo”.

Existem duas abordagens alimentares muito interessantes porque permitiram a muitas pessoas controlar doenças sem tomar medicamentos:

  • A dieta do tipo sanguíneo do Dr. D’Adamo/Mozzi
    De acordo com esta teoria, deve-se escolher os alimentos de acordo com o tipo sanguíneo. Por exemplo, pessoas com sangue do tipo 0 podem comer carne e peixe, mas podem ter problemas de saúde com frutas e cereais com glúten.
    Em especial, os responsáveis pela ardência bucal podem ser o excesso de sementes e frutos de casca dura (em pessoas com sangue do tipo 0 e B) ou a carne vermelha (para o grupo A), mas todos devem evitar carne de porco, leite e produtos lácteos.
  • De acordo com higiene natural e a medicina natural de Lezaeta, a classificação dos problemas de saúde que os médicos fazem não é importante porque todos os transtornos são causados ​​por alimentação incorreta, combinações alimentares erradas e estilo de vida ruim.
    Para sarar, o higienista Shelton aconselha uma dieta baseada em frutas e vegetais crus, nozes, sementes, legumes e batatas.
    Evitar tanto quanto possível os alimentos cozidos e especialmente aqueles que são processados ​​e transformados, vendidos em supermercados.
    A fruta deve ser comida pelo menos meia hora antes da refeição e não se deve misturar carboidratos com proteínas (por exemplo, legumes e batatas).
    A verdura pode ser ingerida com os outros alimentos, exceto as frutas.
    É necessário comer poucos alimentos em cada refeição, independentemente da quantidade que deve ser proporcional às necessidades do indivíduo.
    Evitar comer antes de ter digerido a refeição anterior; por exemplo, são necessárias quatro horas para digerir as refeições à base de proteínas.

Leia também