Ardência na língua

ÍNDICE

A ardência na língua pode ser um sintoma muito doloroso e irritante.
A sensação de queimação na língua é a mesma sensação que uma pessoa sente depois de beber uma bebida muito quente.
Esse problema de saúde também é chamado de “síndrome da ardência bucal” (SAB).
Na maioria dos casos, a queimação é maior na ponta da língua (glossopirose), nos lábios e em toda a cavidade oral (palato e gengivas).

 

Classificação da ardência na língua

As causas da síndrome da ardência bucal podem ser primárias ou secundárias.

  • Síndrome da ardência bucal primária
    Quando não são identificadas anormalidades clínicas, o problema é chamado síndrome da ardência bucal primária ou idiopática.
    Algumas pesquisas mostram que a síndrome da ardência bucal primária está relacionada com problemas de gosto ou com os nervos sensoriais do sistema nervoso central ou periférico.
  • Síndrome da ardência bucal secundária
    Às vezes, a síndrome da boca ardente é causada por uma doença. Nestes casos, chama-se síndrome da ardência bucal secundária.

Alguns problemas clínicos que podem estar relacionados com a síndrome da ardência bucal secundária incluem:

  • Boca seca (xerostomia). Este distúrbio pode ser causado pelo uso de certos medicamentos, entre os quais os antidepressivos tricíclicos, o lítio, os diuréticos e os medicamentos utilizados para tratar a pressão arterial elevada. A boca seca também pode ser uma consequência do envelhecimento ou da síndrome de Sjogren, uma doença autoimune que provoca secura nos olhos e na boca.
  • Candidíase oral (sapinho). A cândida é uma causa frequente de sensação de queimação na boca que pode ocorrer também por causa da diabetes, pelo uso de próteses e depois de tomar certos medicamentos, como antibióticos e colutório.
    A sensação da língua que queima pode ser percebida na parte frontal ou nos lados.
    Entre os sintomas de infecção por cândida inclui-se também a língua branca.

 


Causas da boca ardente

A dor durante o dia é bastante variável.
Algumas pessoas dizem que a queimação não está presente ao acordar, mas que aumenta durante o dia. Outros pacientes percebem que a dor é constante durante todo o dia.
A síndrome de boca ardente afeta mais as mulheres, com uma proporção de 7:1.
Geralmente aparece em adultos de meia-idade ou  mais velhos, mas pode ocorrer, em alguns casos, também em pessoas mais jovens.
Entre as causas de queimação na boca estão:

  • Deficiências nutricionais. A falta de substâncias nutrientes, tais como ferro, zinco, ácido fólico (vitamina B-9), tiamina (vitamina B1), riboflavina (vitamina B2), piridoxina (vitamina B-6) e cobalamina (vitamina B-12) pode afetar os tecidos e causar a sensação de queimação na boca. Estas deficiências podem causar anemia por carência de vitaminas.
  • Dentaduras irritantes. As dentaduras e os materiais utilizados em implantes orais podem irritar os tecidos da boca. Isso acontece se as dentaduras forem inadequadas, ou seja, se as partes superior e inferior não estiverem alinhadas corretamente.
  • Problemas do nervo (doenças neurológicas). Os danos aos nervos e as neuropatias podem causar dor e sensação de queimação na boca e na língua; além disso, podem alterar o sabor.
  • Alergia. A sensação de queimação na boca pode ser causada por uma alergia ou uma reação a certos alimentos, aromas alimentares, aditivos, corantes ou outras substâncias.
  • Refluxo gástrico (doença do refluxo gastroesofágico). O gosto ácido ou amargo que se sente na boca e que vem do trato gastrointestinal superior pode causar dor e irritação.
  • Língua geográfica. A língua geográfica é uma doença que causa boca seca, dor e consistência irregular. Esta condição também pode estar ligada à síndrome da boca ardente.
  • Alguns medicamentos. Os inibidores de enzima de conversão da angiotensina utilizados para tratar a pressão arterial elevada podem causar efeitos colaterais que incluem ardência na boca.
  • Hábitos orais. Alguns gestos que a pessoa realiza inconscientemente com a língua podem irritar a boca, por exemplo apertar ou ranger os dentes (bruxismo).
  • Problemas endócrinos. Os tecidos orais podem reagir a níveis elevados de açúcar no sangue que ocorrem como resultado de diabetes ou hipotireoidismo.
  • Desequilíbrios hormonais. A menopausa provoca alterações hormonais que podem causar sensação de queimação na boca. Isso acontece porque os níveis de hormônio afetam a composição da saliva.
  • Irritação excessiva. O uso excessivo de instrumentos para a higiene bucal, tais como escovas de dente ou bochechos com colutório, ou ainda o consumo excessivo de bebidas ácidas podem causar irritação dos tecidos orais.

 


Disfunção psicológica

Algumas mudanças de humor e personalidade (especialmente ansiedade e depressão) foram observadas em pacientes com a síndrome da ardência bucal. No entanto, estes tipos de distúrbios psicológicos são típicos de pacientes com dores crônicas.
Portanto, a disfunção psicológica é causada pela dor crônica e não pela doença.
O sucesso obtido mediante técnicas de relaxamento no tratamento da síndrome está relacionado com uma melhoria das estratégias de gestão da dor e não com a cura da doença.
Igualmente, a utilidade de medicamentos antidepressivos e de alguns benzodiazepínicos está intimamente ligada às suas propriedades analgésicas e anticonvulsivantes (e pelo possível efeito dos benzodiazepínicos nas vias do gosto-dor).

 

Complicações de uma queimadura da língua

As queimaduras da língua podem destruir as papilas gustativas, criando uma perda do paladar. No entanto, é uma complicação a curto prazo porque as papilas gustativas regeneram-se a cada duas semanas.

 

Abacaxi

Depois de comer o abacaxi, é possível ter sensações desagradáveis na boca, tais como ardência e formigamento. Estes sintomas ocorrem imediatamente depois de comer um abacaxi fresco e normalmente passam sem tratamento.

Causas
O abacaxi contém um grupo de enzimas chamado bromelina que quebram as proteínas da carne, mas também as da boca.
A bromelina remove as moléculas da superfície das células e digere-as.
A bromelina começa a quebrar as proteínas na superfície dos lábios, língua e bochechas após entrar em contato com estas áreas.

 Abacaxi, língua queima, reação,dor

Ardência na boca

Solução
É possível reduzir os efeitos desagradáveis comendo o abacaxi quando ele estiver perfeitamente maduro.
Aconselha-se só comprar o abacaxi quando seu aroma for intenso e ele apresentar uma cor dourada.
Se o abacaxi ainda estiver com a casca verde, é preciso conservá-lo de cabeça para baixo com as folhas na mesa por vários dias até ele amadurecer.

Muitas vezes, há mais de uma causa. Apesar de uma avaliação cuidadosa, os médicos não são capazes às vezes de encontrar a causa dos sintomas.

 

Sinais e sintomas de queimação na língua

O principal sintoma da síndrome da ardência bucal é uma sensação moderada-grave de queimação na boca que pode persistir por meses ou anos.
Para muitas pessoas, a língua que queima começa no final da manhã, atinge um pico no fim da tarde e muitas vezes diminui durante a noite.
Alguns sentem uma queimação contínua; para outros, a dor vai e vem.

Sintomas

  • Uma sensação de queimação que afeta a língua, lábios, gengivas, palato, garganta ou boca;
  • Uma sensação de formigamento ou dormência na boca ou na ponta da língua;
  • Dor na boca que piora durante o dia;
  • Boca seca;
  • Aumento da sede;
  • Boca dolorida;
  • Perda do paladar;
  • Alterações no sabor, como um gosto amargo ou metálico.

 

Como podemos diagnosticar a ardência na língua?

A síndrome da ardência bucal é diagnosticada com base nos sintomas clínicos e excluindo outros problemas, tais como infecções, diabetes ou deficiência de vitaminas. Se nenhum destes problemas estiver presente, faz-se um diagnóstico da síndrome da boca ardente.

 

Tratamento para a síndrome da ardência bucal

O tratamento para a síndrome da boca ardente visa aliviar os sintomas. O tratamento envolve a utilização de vários medicamentos que são usados tradicionalmente para depressão e dor crônica.
Os antidepressivos tricíclicos (amitriptilina), antipsicóticos como o clordiazepóxido (Psicosedin), anticonvulsivantes como gabapentina (Neurontin), analgésicos, benzodiazepínicos (clonazepam) e protetores da mucosa têm proporcionado um alívio eficaz para alguns pacientes.

Além disso, a capsaicina tópica (um ingrediente natural presente na pimenta de Caiena) é usada para dessensibilizar os pacientes com síndrome da ardência bucal.
No entanto, apesar do sucesso dessas abordagens, em determinadas situações não há nenhum tratamento para a síndrome da boca ardente que funciona sempre.
A terapia serve para atender às necessidades específicas de cada paciente.
O custo do tratamento varia de acordo com os medicamentos prescritos, a duração do tratamento e se existe um seguro para as despesas médicas.

 

Remédios naturais para queimação na língua

De acordo com alguns estudos, a psicoterapia pode ser uma importante alternativa para o tratamento convencional para as implicações psicológicas da doença.
Existem vários remédios naturais para a queimação na língua e nos lábios que podem proporcionar alívio.
Entre eles estão:

  • Manter na boca um pedaço de gelo ou beber água fria para reduzir a sensação de queimação e dor;
  • Mascar chiclete sem açúcar para aumentar a produção de saliva e evitar a síndrome da boca seca;
  • Ir periodicamente ao dentista para monitorar a boca e próteses orais eventualmente presentes;
  • Se o paciente estiver tomando medicamentos, verificar os efeitos colaterais que causam boca seca com o médico;
  • Praticar regularmente yoga e meditação pode reduzir o estresse e ansiedade que podem agravar a queimação;
  • Substituir a pasta de dentes por bicarbonato de sódio se ela irritar boca e a língua;
  • Preparar uma infusão com folhas de hortelã. Beber o chá duas vezes por dia para reduzir a irritação e queimação na boca;
  • É possível usar a infusão como um enxaguatório bucal para reduzir a inflamação e dor de garganta. A hortelã tem propriedades terapêuticas que podem ajudar a tratar a queimação da língua, mas nunca se deve mastigar as folhas de hortelã crua porque elas podem causar lesões na boca.
    As folhas de margosa contêm um composto antibacteriano que pode evitar o mau hálito e outros problemas dentários. É possível usar um pasta feita de folhas de margosa esmagadas para escovar os dentes.
  • Preparar uma pasta de cebola e um pouco de alho. Adicionar o composto à água e bochechar durante o dia. Esta solução ajuda a reduzir a sensação de queimação na boca.
  • A aplicação de óleo de lavanda na boca pode proporcionar um alívio rápido em caso de queimação na língua.
    Da mesma forma, também a glicerina aplicada na língua reduz a sensação de queimação e dor.
  • Evitar cigarros, bebidas alcóolicas e alimentos picantes e oleosos.
  • Métodos de tratamento alternativos, como a homeopatia ou acupuntura, ajudam a controlar a dor e queimação.

 


Dieta para ardência na língua

A melhor estratégia para tratar a síndrome da ardência bucal é fazer mudanças a longo prazo no estilo de vida, tais como:

  • Beber mais água para prevenir a desidratação, a secura na boca e para aumentar a produção de saliva, a fim de reduzir a intensidade dos sintomas.
  • Comer mais legumes cozidos. Alimentos cozidos ajudam a reduzir a inflamação e irritação.
  • Alimentos como molhos e pimentas picantes que contêm capsaicina devem ser evitados.
  • Evitar alimentos muito azedos, como as frutas cítricas. No entanto, não se deve reduzir a ingestão de frutas frescas porque melhoram a saúde dental.
  • Alimentos que esfriam a boca, como frutas frescas e sucos vegetais, são úteis no alívio dos sintomas.
  • Visto que os problemas de tireoide e doenças como a diabetes podem causar a síndrome da queimação da língua, é importante seguir o tratamento para a doença.
  • Comer alimentos ricos em vitamina B12 e ferro. Os alimentos ricos em ferro, como verduras de folhas verdes, espinafre e brócolis são essenciais para prevenir a síndrome da ardência bucal.
  • Evitar álcool, cafeína, chocolate e canela porque podem irritar a língua, agravando os sintomas.

Leia também