Dor na virilha no lado direito ou esquerdo – durante a gravidez

A dor na virilha pode ter muitas causas e pode ocorrer com dor em outras áreas do corpo, por exemplo:

  1. Na perna,
  2. No glúteo,
  3. Na coluna.
ÍNDICE

Causas de dor na virilha até a perna

Distensão muscular na virilha

Uma lesão muscular na virilha é um estiramento ou ruptura do músculo adutor, devido a um movimento brusco ou rápido da perna.
virilha,músculo, púbis,doca, direita,esquerdaPode ocorrer:

  1. Durante a corrida,
  2. Na mudança de direção,
  3. Em um movimento contra uma resistência, como durante um chute em uma bola

As lesões dos músculos da virilha podem ocorrer durante um treino, nos lados direito ou esquerdo com a mesma probabilidade.
Os sintomas são sentidos durante a caminhada, correndo e quando o paciente levanta a perna.
O paciente não sente dor quando está parado.

A lesão muscular ou uma distensão podem provocar inchaço e dor na virilha e na perna.

Hérnia inguinal
A hérnia inguinal é outra causa comum que ocorre quando uma parte do tecido interno (gordura, músculo, intestinos, etc.) sai para fora por causa da fraqueza na parede abdominal acima.

Cruralgia
A lombocruralgia ocorre devido à inflamação ou compressão do nervo crural que:

  1. Tem origem nas 4 primeiras vértebras da coluna,
  2. Desce até a frente da tíbia e do pé passando pelo lado interno do joelho.

É uma dor espasmódica aguda na perna que se irradia da parte de trás da coluna para o abdômen direito ou esquerdo e depois desce ao longo da parte anterior e interna da coxa.
Dado que alguns nervos testiculares partem do crural, quem sofre desse sintoma também tem dor no testículo.
A dor piora:

  1. Com a tosse,
  2. Durante a evacuação.

Essas ações provocam uma contração no abdômen que aumenta a pressão sobre o disco intervertebral.

Trauma
A principal causa de uma lesão aguda na virilha ou na perna pode ser:

  1. Um trauma direto,
  2. Um acidente,
  3. Uma queda,
  4. Uma torção anormal da perna.

Osteíte púbica
A osteíte púbica é a inflamação do osso púbico que pode causar dor em torno da virilha e na perna durante a atividade física.

Contratura do músculo iliopsoas
Muitas pessoas acreditam ter uma distensão dos músculos abdominais, mas na realidade estes músculos não sofrem este tipo de lesão.
A lesão muscular ocorre nos músculos que se alongam de forma violenta (por exemplo a panturrilha, quadríceps, etc.).
Na verdade, a dor muscular pode ser sentida em um músculo mais profundo chamado iliopsoas.
A contratura ou um ponto gatilho ativo neste nível provoca uma dor que pode se irradiar até o quadríceps.

Artrite e artrose do quadril
As doenças degenerativas podem causar dor:

  1. No quadril,
  2. Na virilha.

A artrose do quadril pode ser a causa da dor nos idosos.
A dor pode se irradiar da virilha até o joelho na parte interna da coxa.
Os sintomas são sentidos durante o movimento de:

  1. Rotação interna,
  2. Extensão do quadril (trazendo a pélvis para a frente e os joelhos para trás).

Esta desordem não causa dor no testículo.
A articulação do quadril também pode ser afetada pela artrite.
A inflamação da cápsula externa da articulação do quadril devido a artrite reumatoide pode causar uma dor forte na virilha.

Outras causas:

  1. Pedras nos rins,
  2. Câncer (a dor também pode ser sentida durante a noite),
  3. Fratura do fêmur a nível do quadril,
  4. Inflamação,
  5. Síndrome do piriforme (um músculo do glúteo que muitas vezes também causa dor na virilha),
  6. Varicocele (dilatação das veias do cordão que sustenta os testículos), geralmente afeta o testículo esquerdo, mas não provoca dor inguinal,

 

Dor na virilha durante a gravidez

As mulheres grávidas podem sentir dor na virilha devido a vários fatores, como alterações hormonais e mudanças na estrutura do corpo.

Alterações hormonais
A maioria dos desconfortos relacionados com a gravidez incluem dor na virilha; isso pode ser atribuído às mudanças hormonais que ocorrem durante este período.
Um nível crescente de hormônios da gravidez (em particular a relaxina e progesterona) torna os músculos e ligamentos da região pélvica mais macios e flexíveis para facilitar o parto.
No entanto, esses músculos e ligamentos seguram as articulações da região pélvica e quando eles se tornam flexíveis, as mulheres grávidas podem sentir dor:

  1. Na área abdominal inferior,
  2. Na virilha,
  3. No lado direito ou esquerdo do abdome.

 

Mudanças estruturais do corpo

A gravidez também é caracterizada por algumas mudanças estruturais do corpo que podem causar dor pélvica e na virilha.
O crescimento do feto, bem como um aumento no peso corporal podem aumentar a pressão

  1. Sobre os quadris,
  2. Nas articulações pélvicas.

Um aumento no peso corporal altera também o centro de gravidade do corpo que pode causar dor nas costas e na área pélvica.
Estas alterações não ocorrem no início da gravidez, mas perto do quinto mês e alcançam a intensidade máxima em torno do oitavo ou nono mês.

 

Dor no ligamento redondo

A dor no ligamento redondo é muitas vezes descrita como uma dor aguda e pungente que pode ser sentida:

  1. No quadril,
  2. Na pelve,
  3. No abdômen inferior,
  4. Na virilha.

Os ligamentos redondos conectam a virilha e a frente do útero e são responsáveis pelo suporte deste órgão.
Durante a gravidez, estes ligamentos se estiram e engrossam para suportar e dar espaço para o crescimento do útero.

No entanto, se o alongamento do ligamento é mais lento que o crescimento do útero, a consequência é um alongamento que pode causar dor em um ou ambos os lados do abdômen até a virilha.
Às vezes, a dor pode chegar até os quadris.
As mulheres grávidas geralmente sentem essa dor quando se levantam de repente de uma posição sentada e até mesmo ao tossir ou quando fazem uma atividade que coloca pressão sobre os ligamentos redondos.

Dor na virilha

A disfunção da sínfise púbica

A pélvis (ou cintura pélvica) é uma estrutura óssea que consiste em quatro ossos:

  1. Dois ossos da bacia,
  2. Sacro (estrutura óssea triangular localizada na base da coluna vertebral),
  3. Cóccix.

O cóccix e o sacro são unidos na parte posterior, enquanto os dois ossos da bacia encontram-se nos lados, curvando-se depois para se encontrarem na parte anterior.
A sínfise púbica é a junção fibrocartilagínea na parte anterior, onde se encontram as duas metades da pelve.
Nas articulações fibrocartilaginosas, os ossos são unidos por cartilagem e tecidos fibrosos e este tipo de articulação permite pequenos movimentos e pouca flexibilidade.

A relaxina e progesterona são os hormônios que preparam o corpo para o parto, amaciando e relaxando os ligamentos pélvicos.
Isso permite à articulação pélvica mover-se, para que o bebê possa passar através da pelve.
Normalmente, a sínfise púbica alarga-se de 2 a 3 mm durante a gravidez, para:

  1. Dilatar o anel pélvico,
  2. Facilitar o parto.

Às vezes, a articulação pélvica move-se demais por causa dos ligamentos excessivamente flexíveis e, consequentemente, a cintura pélvica torna-se instável.
Esta condição é chamada disfunção da sínfise púbica na gestação (DSP) e as mulheres grávidas podem sofrer desta patologia durante o segundo trimestre.

Não se sabe com certeza o que provoca a DSP, embora se acredite que vários fatores sejam responsáveis, incluindo:

  1. A superprodução de hormônios da gravidez,
  2. A sobrecarga sobre a pelve (devido ao ganho de peso),
  3. A forma como se move o corpo.

As áreas que circundam a sínfise púbica podem inflamar-se ao caminhar ou mover as pernas se um lado da pelve se mover mais do que o outro.
A DSP pode produzir dor intensa:

  1. No púbis,
  2. Na região da virilha.

Algumas mulheres podem sentir dor na coluna, abdômen e interior das coxas.
Além disso, um clique pode ser ouvido no nível da sínfise púbica durante os movimentos.

 

Diástase da sínfise púbica

Esta condição é causada por uma ruptura parcial ou completa da sínfise púbica, situada na parte da frente da pelve.
Isso acontece quando a articulação pubiana se estende a tal ponto que o espaço entre os dois ossos cresce anormalmente.
Nas mulheres, a distância média entre os ossos da articulação púbica fica entre 4 e 5 mm, mas pode aumentar durante a gravidez.
Se a distância se tornar igual ou superior a 15 mm, a condição é referida como diástase da sínfise púbica (DSP) que pode produzir:

  1. Dor na região pubiana,
  2. Dor na coluna,
  3. Dor no baixo ventre.

Os sintomas são sentidos:

  1. Enquanto caminha,
  2. De pé em uma perna,
  3. Com o movimento de abdução (afastando os joelhos).

 

Dor na virilha feminina

Cistos ovarianos
Uma causa de dor na virilha é a presença de cistos ovarianos que, em alguns casos, podem:

  1. Ser grandes,
  2. Provocar muitos outros sintomas.

Os cistos ovarianos podem causar dor nos ovários e na parte inferior do abdômen.

Algumas das causas mais prováveis de dor na virilha na mulher são:

 

Dor na virilha devido a outros fatores

Presença de pedras nos rins:
Os cálculos podem causar uma forte dor que se irradia do rim para a virilha e testículos (ou grandes lábios nas mulheres) quando eles passam através do ureter (o tubo que liga o rim à bexiga).

Linfonodo inchado:
O inchaço de um linfonodo na região da virilha devido a uma infecção provoca uma dor aguda nesta área.
Durante a palpação sente-se uma bola inchada.

Apendicite
A inflamação do apêndice causa dor na virilha direita na parte superior, mas no início pode provocar desconforto também no lado esquerdo.
Este distúrbio afeta sobretudo as crianças, mas em casos raros também ocorre nos adultos.

Pubalgia
A pubalgia é uma inflamação dolorosa que ocorre na região da virilha.
É um distúrbio masculino que afeta geralmente os adolescentes que praticam futebol.
A pubalgia é uma tendinopatia que afeta a inserção dos tendões dos músculos abdominais ou dos adutores da coxa.

Sintomashérnia,virilha,intestino
A pubalgia provoca dor durante o movimento, especialmente em adução e abdução da perna (abertura e fechamento das coxas), não há nenhum sintoma em repouso.
Geralmente a área não é inchada, ao contrário da hérnia inguinal.
Sem um tratamento, esta doença pode causar dor crônica e incapacitante no homem, impedindo a retomada das atividades esportivas.

Sinovite transitória
A sinovite transitória da articulação do quadril é uma doença caracterizada pela inflamação da membrana sinovial da articulação do quadril.
Isso poderia ser responsável pela dor no quadril e na virilha do lado afetado.

 

Tratamento e remédios naturais para dor na virilha

Depois de sentir dor na virilha por pelo menos dois dias, seria melhor consultar um médico para ter um diagnóstico.
Os exames de sangue, de urina e um diagnóstico por imagens podem ajudar a identificar a causa da dor.

  1. Se um ligamento inguinal estirado ou rasgado estiver causando dor nesta área, os médicos geralmente recomendam o procedimento RICE.
    RICE significa:
  2. Repouso,
  3. Gelo,
  4. Compressão,
  5. Elevação.

Para reduzir o inchaço nas primeiras 24 horas, também são recomendados o uso de compressas frias e apoiar as pernas sobre os travesseiros enquanto a pessoa descansa.
Os medicamentos anti-inflamatórios podem aliviar a dor.
Quando a lesão sara, é possível:

  1. Alongar os músculos da virilha,
  2. Fortalecer os músculos.

Nos casos mais graves, em caso de alongamento dos ligamentos ou tendões, pode ser recomendado um procedimento chamado de proloterapia.
Ele envolve o uso de injeções de dextrose no local em que o ligamento ou tendão encontram o osso.
A injeção de solução de dextrose:

  1. Ajuda a reparar o tecido,
  2. Estimula o crescimento de um novo ligamento.

Se o indivíduo sofrer de hérnia inguinal, a cirurgia pode ser recomendada.
A reparação da hérnia consiste em fazer incisões e empurrar para trás a parte saliente do intestino.hérnia,inguinal,cirurgia,rede
Sucessivamente costura-se o músculo rasgado.

Se a dor for causada por pedras nos rins, a pessoa pode usar remédios caseiros para dissolvê-las ou pode se submeter à cirurgia para a remoção delas.
Procedimentos como a litotripsia extracorpórea por ondas de choque, a ureteroscopia ou a nefrolitotripsia também podem ser usados no tratamento das pedras nos rins.

Às vezes, a dor nesta área também pode ser causada por infecções urinárias ou infecções que afetam os órgãos reprodutivos.
Elas podem ser tratadas com a ajuda de medicamentos.
A micose, infecções por fungos ou infecções bacterianas podem causar uma erupção cutânea na virilha que pode provocar dor e coceira na região da virilha.
É possível tomar analgésicos para aliviar a dor, mas também a aplicação tópica de cremes medicinais pode ajudar a reduzir a coceira ou ardor na região da virilha.

Leia também