Inapetência ou perda de apetite infantil

A inapetência ou diminuição do apetite ocorre quando a pessoa não tem vontade de comer.

ÍNDICE

Em caso de perda de apetite, também podem ocorrer os sintomas relacionados, tais como:

Eles podem ser graves se não forem tratados e por isso é importante encontrar a razão que causa a diminuição de apetite e tratá-la.

A perda de apetite de origem psicológica pode ser perigosa para a saúde, em especial nas moças e rapazes.
É necessário procurar imediatamente um médico se um adolescente recusar a comida.


Perda de apetite em crianças

Existem momentos em que as crianças podem perder o apetite ou não querem comer na hora das refeições, especialmente à noite.
Isso pode ser desanimador e preocupante para os pais.
Existem maneiras simples de tornar as refeições mais agradáveis para a mãe, o filho e toda a família.

Os maus hábitos alimentares são difíceis de mudar
Comer em atmosfera positiva ajuda a criança a desenvolver uma atitude saudável frente:

  • A si mesma,
  • À comida.

Comer juntos é uma maneira de ajudar o filho a desenvolver um hábito saudável em relação à comida.

Causas de perda de apetite infantil

  • Às vezes, as doenças provocam perda de apetite.
    Uma criança com dor de garganta, erupções cutâneas, febre ou outros sintomas pode perder o apetite
    Entre em contato ou consulte um médico se a criança estiver mal ou não melhorar.
  • Existe outra causa de perda de apetite em crianças: o retorno das férias.
    Visto que as crianças são rotineiras, é possível que o retorno à casa após um mês de férias possa causar sintomas como:
  • A criança de um ano deve tomar vacina contra algumas doenças, por exemplo:
    • Coqueluche,
    • Difteria,
    • Tétano,
    • Poliomielite,
    • Hepatite B,
    • Haemophilus influenzae B.

Nos dois dias após a injeção, a criança pode ter perda de apetite.

Outras causas de perda de apetite em crianças
Se a doença não for a causa da perda de apetite, há várias razões para que a criança não coma.
As causas podem ser:

  • A criança come entre as refeições,
  • Bebe suco de frutas ou outros líquidos (exceto água) durante as refeições,
  • Tem menos energia do que o habitual.

Para as crianças que têm pelo menos 1 ano, o apetite aumenta e diminui de acordo com:

  • A idade,
  • Níveis de energia,
  • Períodos de crescimento,
  • As estações do ano.

Se a criança parecer saudável e feliz, provavelmente não há nenhum motivo de preocupação para uma diminuição temporária de apetite.

 


Bebê, crianças, sem apetite, remédiosComo aumentar o apetite da criança

Existem algumas maneiras de incentivar a criança a comer:

    • Tornar as refeições divertidas. As refeições são momentos sociais importantes para as crianças que estão crescendo. É necessário tentar tornar este momento do dia mais agradável para a criança.
      É possível oferecer à criança alimentos diferentes e permitir-lhe escolher a comida que ela prefere.
      Não se concentre naquilo que a criança não está comendo, mas nos nutrientes que ela ingere.
      É possível mostrar com exemplos que comer é divertido e agradável.
    • Divisão de responsabilidade. Os nutricionistas incentivam os pais a adotar uma teoria que pode ser chamada de “divisão de responsabilidade”. De acordo com esta teoria, os pais são responsáveis por fornecer a alimentação e a criança é responsável por quanto come.
      Os pais encarregam-se de fornecer o alimento para a criança e ajudam-na a se tornar equilibrada durante a alimentação.
      Quando a criança cresce, os pais escolhem e preparam os alimentos, oferecem lanches e refeições regulares tornando as refeições agradáveis e criando um bom modelo para a criança para apreciar a comida durante as refeições.
  • Os pais devem proibir a criança de comer lanches entre as refeições, encorajando-a a beber só água. Esta teoria garante à criança os nutrientes necessários vindos dos alimentos que ela escolhe.
  • Sirva pequenas porções com frequência. As crianças têm o estômago menor do que os adultos. Não comem muito durante as refeições.
    Cinco ou seis pequenas refeições ou lanches podem satisfazer as necessidades calóricas da criança. Isso pode causar menores problemas na hora das refeições.
  • Variar o menu da criança. Ao preparar uma refeição para a criança, os nutricionistas recomendam empregar os alimentos de cada um dos quatro grupos alimentares principais.
    • Os produtos integrais como pão, massas, arroz, cereais e outros produtos preparados com  trigo e enriquecidos com ferro, ácido fólico e outras vitaminas do grupo B, incluindo tiamina, niacina e riboflavina.
    • É possível oferecer à criança um monte de frutas e legumes cortados em pedaços.
    • Leite, iogurte, queijo e outros produtos lácteos proporcionam um equilíbrio de proteínas, hidratos de carbono, gordura, cálcio e vitamina D.
      Não exagerar no consumo destes alimentos.
    • A carne magra, aves e peixes, bem como o tofu (coalho de sementes de soja), feijão e lentilhas fornecem ao corpo da criança as proteínas, gorduras, vitaminas e minerais, como ferro.
  • Uma criança pode ter comidas favoritas, mas novos alimentos podem ser introduzidos gradualmente. É necessário estar preparado para a rejeição da criança aos novos alimentos no início.
  • Não se deve forçar a criança a comer. As refeições devem ser um momento agradável para toda a família.
    Não é uma boa ideia obrigar a criança filho a comer contra a sua vontade. Isso pode desencorajar a criança a comer aquela determinada comida no futuro.
    Forçar a criança a terminar todos os alimentos pode ter o mesmo efeito.
    Quando a criança recusa a comida, quer afirmar a sua independência. Os nutricionistas dizem que a maioria das crianças come o que precisa.
  • Evitar distrações. Evitar a televisão ligada durante as refeições. Outras distrações, como brinquedos ou livros, não devem ser trazidas para a mesa enquanto se come.
  • Evite beber antes das refeições; com efeito, ao encher o estômago com água, a criança atinge a saciedade mais cedo.


Outras dicas úteis para tornar a refeição mais agradável

  • Prepare a criança para as refeições. É importante deixá-la saber que a refeição será servida dali a 10 ou 15 minutos.
  • Encoraje a criança a ajudar na preparação de refeições. Ela pode lavar os vegetais ou misturar os ingredientes.
  • Sirva as bebidas somente após o prato principal para que a criança não encha a barriga de líquido.

Hábitos alimentares saudáveis para a criança:

  • A criança deve comer alimentos nutritivos, lentamente.
  • Nunca use a comida como uma recompensa ou punição.

Apenas em casos de deficiência de vitaminas ou de desnutrição podem ser tomados suplementos vitamínicos como Centrum kinds.

Entre os remédios homeopáticos úteis é possível tomar o Natrum muriaticum, que é indicado em caso de:

  • Perda de apetite,
  • Perda de peso e desidratação,
  • Na fase de convalescença após uma doença.

Pontos-chave

  • Se a criança parecer saudável e feliz, não há provavelmente nenhuma razão para se preocupar com a perda temporária de apetite.
  • Faça das refeições um momento de diversão.
  • Sirva pequenas porções com frequência.
  • Varie o menu da criança.
  • Não force a alimentação nem use a comida como uma recompensa ou um castigo.
  • Evite distrações durante as refeições.

 


Causas de perda de apetite no recém-nascido

A perda de apetite nos recém-nascidos é sempre um motivo de ansiedade para os pais, mas muitas vezes eles esperam que o bebê coma mais do que o necessário.
Entre as causas da redução do apetite no recém-nascido estão:


Refluxo ácido
O refluxo ácido é o retorno do ácido gástrico do estômago para o esôfago.
A acidez do estômago pode causar:

  • Irritabilidade,
  • Dor,
  • Perda de apetite.

Alergia à lactose
A alergia às proteínas do leite de vaca (não deve ser confundida com intolerância à lactose) é uma doença em que o sistema imunológico do recém-nascido reage contra a caseína e o soro do leite, ou seja as proteínas presentes no leite.
Isso pode causar:

  • Dor de estômago,
  • Inchaço,
  • Coceira,
  • Dificuldade para respirar sempre que a criança ingere lacticínios.

Infecções
Os recém-nascidos não têm o sistema imunológico maduro e são mais vulneráveis a infecções.
As infecções virais e bacterianas podem causar perda de apetite em um recém-nascido.

Dentição
Na maioria das crianças os primeiros dentes nascem entre 4 e 8 meses de idade.
Entre os sintomas dos dentes que estão nascendo estão:

  • Inchaço da gengiva,
  • Irritabilidade,
  • Recusa de alimentos,
  • Insônia.

Leia também