Primeiros sintomas da gravidez

Os sintomas da gravidez podem aparecer alguns dias ou semanas após a concepção.

ÍNDICE

Antes da menstruação, o casal fica ansioso para saber se a concepção ocorreu.
Felizmente, existem alguns métodos e sintomas que permitem compreender se uma mulher está grávida, até mesmo nas primeiras semanas.

O corpo da mulher já muda nos primeiros dias após a fertilização para criar condições adequadas para o crescimento do embrião.
Os hormônios podem causar alterações anatômicas e funcionais no corpo da mulher, incluindo:

  1. Aumento do tamanho do peito,
  2. Vasodilatação (dilatação das artérias e veias),
  3. Aumento da temperatura corporal,
  4. Relaxamento dos músculos lisos (involuntários).

No início da gravidez os sintomas são muito variáveis; algumas mulheres têm sintomas importantes, enquanto outras não sentem nenhuma diferença.

Muitas pessoas acreditam que não seja possível engravidar durante a amamentação, mas isso é falso, especialmente quando a mulher não amamenta regularmente o bebê.

 

Sinais e sintomas nos primeiros dias da gravidez

O resultado positivo do exame de gravidez após o atraso menstrual é um indicador seguro para as mulheres grávidas.

No entanto, outros sinais corporais podem aparecer antes de perder o ciclo menstrual.

Inchaço do abdome
A maioria das mulheres sente este sintoma nos estágios iniciais da gravidez.
As alterações hormonais que ocorrem no corpo provocam o inchaço no abdome.

Alta temperatura basal
Durante o período em que o óvulo se implanta na parede uterina, ocorre o aumento da temperatura corporal basal (temperatura do corpo em repouso, ao despertar).

A temperatura basal depende da progesterona:

  1. Antes da ovulação, a progesterona é baixa e a temperatura permanece em torno de 36,3 °C. O valor pode variar, mas geralmente não excede 36,6 °C,
  2. Se o nível desse hormônio no sangue for alto, a temperatura subirá para 36,8/37 °C.

Geralmente, esse aumento de temperatura ocorre imediatamente após a ovulação e a temperatura não cai até 6-12 dias após a ovulação.
Em caso de concepção, a temperatura basal permanece elevada durante pelo menos 15 dias após a ovulação e este é um sinal confiável de que a fertilização ocorreu.
No entanto, pode haver outros fatores que podem alterar a temperatura, até mesmo um resfriado ou uma infecção.

Seios doloridos e aréolas mais escuras
O primeiro sinal de gravidez é o seio inchado que provoca dor. A dor da mama é semelhante ao que a mulher sente antes do início do ciclo menstrual; durante a gravidez é mais evidente.
As alterações hormonais podem aumentar o fluxo de sangue nos seios, tornando-os sensíveis.

Efeitos dos hormônios na mama

  • A progesterona é o hormônio responsável pelas alterações mamárias no início da gravidez.
    Este hormônio promove o crescimento do seio para que a mulher tenha leite suficiente para nutrir o bebê.
  • Os estrogênios e a prolactina causam proliferação e dilatação dos ductos que trarão o leite para a aréola.
    Os estrogênios também aumentam o tamanho da aréola que pode se tornar mais escura durante a progressão da gravidez.

Isso pode ser observado em 1-2 semanas após a concepção.

 

Fadiga ou sonolência
O aumento do hormônio progesterona causa fadiga excessiva. A mudança dos níveis hormonais nas mulheres grávidas pode causar:

Este é o sintoma mais comum e ocorre:

  • No primeiro trimestre, também no início,
  • No terceiro trimestre.

No início da gravidez, o corpo deve trabalhar duro para criar a placenta.
As alterações hormonais causam:

  • Baixa pressão porque provocam vasodilatação nos vasos sanguíneos superficiais. A consequência é uma menor resistência ao fluxo sanguíneo e, portanto, o coração bombeia o sangue com menos força.
  • Queda da glicemia (açúcar no sangue),
  • Náusea, vômito e diminuição do apetite.

As necessidades de ferro aumentam e por isso a mulher pode sofrer de anemia.
Além disso, algumas mulheres têm problemas de insônia, o que provoca nervosismo e fadiga.

 

Sangramento de nidação
O sangramento do implante ocorre quando o óvulo fertilizado escava através da parede vascular do útero. A mancha que se forma é muito leve com coloração rosa, vermelha ou marrom-avermelhada.
Pode ser vista por cerca de um dia ou dois.

É preciso conversar com o médico para descartar a possibilidade de gravidez ectópica se o corrimento:

O sangramento de nidação pode ocorrer em 6 a 12 dias após a concepção.

 

Dor e cólicas abdominais
O súbito aumento dos níveis hormonais no organismo no início da gravidez pode causar:

  • Dor de cabeça, pode ser causada por ansiedade, fadiga, desidratação, insônia e náusea.
  • Dor nas costas, nos estágios iniciais é causada pelo aumento do hormônio relaxina. Este hormônio aumenta a flexibilidade dos ligamentos. A consequência é uma maior amplitude de movimento e menor estabilidade vertebral. Nesta condição, os ossos da articulação deslizam um sobre o outro de forma anormal, de modo que alguns elementos articulares podem sofrer um alongamento. Isso causa inflamação das articulações e dor.

As cãibras também podem surgir devido às alterações que ocorrem no útero.

Após a concepção, algumas mulheres sentem sintomas emocionais, tais como:

  • Mudanças de humor,
  • Crises de choro,
  • Ondas de calor.

 

Sintomas da gravidez nas primeiras semanas

Náuseas e vômitos
O aumento dos níveis de hormônio no organismo provoca náusea.
Pode ocorrer a qualquer hora do dia ou da noite.
No entanto, a náusea não é sempre acompanhada por vômito.

Pode ocorrer um excesso de salivação associado à náusea.
A mulher também pode desenvolver um maior sentido do olfato que provoca náusea a determinados:

  • Alimentos,
  • Odores.

Este sinal pode aparecer em 2-8 semanas após a concepção.
Algumas mulheres sentem azia. Se a náusea for grave e ocorrer junto com vômitos, é necessário evitar a desidratação.

Os pesquisadores não conhecem a causa exata da náusea durante a gravidez, mas concordam que isso depende dos hormônios.
Em particular, alguns estudos mostram uma correlação entre o pico da hCG e a náusea gestacional, entre a décima segunda e a décima quarta semanas.
Além disso, esse sintoma é mais intenso em algumas doenças ou situações caracterizadas por um aumento nos níveis de hCG, como gravidezes molares e de gêmeos.

Fontes: Goodwin T. Nausea and vomiting of pregnancy; an obstretric syndrome. Am J Obstet Gynecol. 2002;186:S184–S189. [PubMed]

Alguns estudos científicos avaliaram o papel da prostaglandina E2 na origem da náusea durante a gravidez porque atua nos músculos lisos do estômago.
Uma pesquisa de North et al. encontrou níveis mais elevados de prostaglandina E2 nos períodos em que a náusea e o vômito foram piores comparados com os períodos assintomáticos em 18 mulheres grávidas.

Fontes: North RA, Whitehead R, Larkins RG. Stimulation by human chorionic gonadotropin of prostaglandin synthesis by early human placental tissue. J Clin Endocrinol Metab. 1991;73:60–70. [PubMed]

De acordo com os higienistas, as mulheres não devem comer quando sentem náuseas nos primeiros 3 meses de gravidez; é melhor esperar pelo retorno do apetite.
Uma perda de peso no início da gravidez é bastante comum.

 

Constipação ou diarreia
O intestino torna-se mais relaxado devido a alterações hormonais, a consequência é a constipação.
Algumas mulheres podem desenvolver o sintoma oposto, ou seja, a diarreia.

As causas são:

  • O aumento da progesterona relaxa os músculos lisos (involuntários) em todo o corpo, incluindo os músculos do peristaltismo intestinal, ou seja, aqueles que movem o alimento para o intestino. Isso significa que o alimento flui mais devagar.
  • O útero torna-se maior e mais pesado pela presença do bebê e pressiona o intestino.
  • Os suplementos de ferro podem favorecer a constipação.

É vital fazer muito movimento e comer alimentos ricos em fibras (frutas, vegetais crus, batatas, nozes, amêndoas, avelãs, leguminosas, etc.).

Micção frequente
As alterações causadas pelo hormônio gonadotrofina coriônica humana (hCG) causam micção frequente.
Os hormônios relaxam a musculatura da bexiga e isso limita a capacidade de segurar a urina.
Outra razão porque a mulher urina frequentemente durante a gravidez é o crescimento do útero que pressiona a bexiga (especialmente no terceiro trimestre).
Isso provoca o enchimento mais rápido da bexiga e faz ir ao banheiro com mais frequência.
Esse sintoma é mais comum:

  • Nos primeiros 3 meses,
  • No terceiro trimestre.

Desejos de comida/aversões a comida
A maioria das mulheres deseja determinados gêneros alimentícios antes da menstruação e nos estágios seguintes da gravidez.
No entanto, algumas mulheres podem sentir desejos alimentares mesmo durante as fases iniciais, confundindo-os com um sintoma da síndrome pré-menstrual.
Por outro lado, os desejos alimentares são observados durante os estágios iniciais da gravidez, especialmente para:

  • Laticínios,
  • Peixes,
  • Frituras.

De acordo com os psicólogos, os desejos significam apenas necessidade de atenção.

 

Quando começam os sintomas da gravidez?

Em uma semana desde o momento da concepção (cerca de uma semana antes da menstruação) ocorrem os primeiros sintomas da gravidez, mas os tempos são diferentes para cada mulher.
Às vezes os sintomas vêm e vão (por exemplo, ocorrem em dias alternados), mesmo se a gravidez estiver evoluindo bem.
Além disso, algumas mulheres não sentem nenhum sintoma, mesmo estando grávidas.
Normalmente, as mulheres esperam a ausência da menstruação para confirmar os resultados.
Este sintoma aparece em 2 semanas após a concepção.

Beta hCG no sangue e na urina
Apesar de os exames de sangue e os exames de urina serem suficientemente precisos para validar os resultados nos primeiros dias (em uma semana), aconselha-se sempre esperar pelo menos 20 dias para obter resultados confiáveis.
Ocorre um aumento acentuado do nível de gonadotrofina coriônica humana (beta-HCG), que atinge a concentração de 25 mlU/ml durante a primeira e segunda semanas.
A presença deste hormônio no sangue e na urina confirma a gravidez.
Além disso, as mudanças físicas no corpo da mulher são causadas pela secreção de grandes quantidades de beta-HCG e progesterona durante a gravidez.

 

Primeiros sintomas da gravidez

O primeiro sinal da gravidez é amenorreia.
Também podem ocorrer os sintomas semelhantes à síndrome pré-menstrual, exceto náusea e vômito.
Eles representam alguns dos sinais mais evidentes de gravidez depois de um mês.

Dor no seio, mamilos inchados, a aréola mais escura são algumas mudanças físicas que acontecem durante a primeira e segunda semanas de gravidez.
Durante a segunda e terceira semanas, o revestimento do útero expande-se e pode provocar cólicas  na parte inferior do corpo, especialmente:

  • Nas pernas,
  • No abdômen.

Sintomas de gravidez durante o uso da pílula anticoncepcional

Uma mulher pode engravidar mesmo quando toma os anticoncepcionais.

Isso pode acontecer por vários motivos, por exemplo:

  • Se as instruções de uso não forem seguidas corretamente (a mulher se esquece de tomar uma pílula),
  • Em caso de vômito ou diarreia que impedem a absorção correta da pílula,
  • Se a mulher tomar medicamentos que reduzem o efeito contraceptivo, por exemplo, um antimicótico como o fluconazol ou antibióticos como a azitromicina.

Quando uma mulher fica grávida enquanto toma pílula, os sintomas da gravidez são diferentes de uma gravidez normal.

Os primeiros sinais são fáceis de reconhecer, especialmente se for a primeira gravidez da mulher.
No entanto, é importante notar que os sintomas são diferentes durante cada gravidez.
Em uma gravidez a mulher pode sofrer de náusea, enquanto em outra este sintoma não ocorre.

Entre os outros sintomas estão:

Leia também