Queimação na garganta e no peito

Existem várias causas de queimação na garganta e no peito porque através desta parte do corpo passam:

  • Oxigênio e dióxido de carbono nos órgãos da respiração,
  • Alimentos no esôfago.
ÍNDICE

Outros distúrbios podem causar ardência, mesmo se não estiverem relacionados com a digestão e a respiração.
Felizmente, existem terapias e remédios eficazes para curar as doenças que causam a queimação.

 

Causas de queimação na garganta e no peito

Doença do refluxo gastroesofágico
O refluxo gastroesofágico ocorre quando o ácido no estômago volta para o esôfago.

A causa é um mau funcionamento do esfíncter esofágico inferior, ou seja, uma válvula muscular que:

  • Permite que os alimentos passem do esôfago para o estômago,
  • Bloqueia o retorno ao esôfago.

Se esta estrutura não fechar corretamente, o alimento e o fluido contido no estômago podem subir para a garganta e a boca.
O conteúdo estomacal é ácido:

  • Para as células gástricas não é um problema porque são defendidas por uma camada de muco,
  • As células do esôfago, laringe e faringe não estão acostumadas nem preparadas para entrar em contato com líquidos ácidos.

De acordo com um estudo de Pearson J., Parikh S., Orlando R., Johnston N., Allen J., Tinling S., et al. (2011) Review article: reflux and its consequences–the laryngeal, pulmonary and oesophageal manifestations, as pessoas que sofrem de refluxo ácido têm uma irritação química da garganta e podem desenvolver algumas lesões na mucosa.

Além dos ácidos, existem outras substâncias que podem danificar a mucosa dos órgãos que compõem a garganta:

  • Enzimas proteolíticas (que servem para quebrar as proteínas),
  • Sais biliares (que favorecem a decomposição das gorduras).

Alguns sintomas desta doença são:

  • Irritação na garganta e azia no estômago depois de comer,
  • Dor e azia no peito na área central (atrás do esterno),
  • Tosse seca,
  • Boca amarga,
  • Náusea.

A ardência e outros sintomas ocorrem principalmente de tarde e à noite.

 

Esofagite
A esofagite é uma inflamação do esôfago que é devida a muitos fatores, tais como:

  • Infecções,
  • Medicamentos anti-inflamatórios,
  • Efeitos colaterais de cirurgia (entubação),
  • Refluxo gastroesofágico,
  • Efeitos colaterais da radioterapia ou quimioterapia.

Na maioria dos casos, apresenta-se como uma complicação de refluxo ácido.
Além da irritação na garganta, provoca sintomas como:

 

Ansiedade
A ansiedade pode provocar sintomas emocionais, mas muitas vezes manifesta-se também a nível físico.
A origem exata da ansiedade ainda não foi descoberta, mas os pesquisadores acreditam que os sintomas da ansiedade sejam devidos a uma disfunção do sistema nervoso central.
No sistema nervoso central, os principais mediadores (neurotransmissores ou substâncias químicas liberadas pelas células quando são estimuladas) que causam os distúrbios de ansiedade parecem ser:


  • Norepinefrina,
  • Serotonina,
  • Dopamina,
  • Ácido gama-aminobutírico (GABA).

As manifestações físicas e emocionais são o resultado de uma maior excitação do sistema nervoso simpático em vários níveis.
Com base nas hipóteses mais acreditadas ocorre:

  • Uma inativação do sistema serotoninérgico (neurônios que sintetizam a serotonina),
  • Uma ativação excessiva do sistema noradrenérgico (neurônios que sintetizam a noradrenalina).

Estes sistemas regulam e são regulados por outros circuitos neuronais em outras regiões do cérebro, incluindo as estruturas límbicas.

O sistema límbico inclui várias estruturas cerebrais e tem algumas funções básicas no gerenciamento de:

  • Comportamento,
  • Memória de curto prazo,
  • Emotividade,
  • Olfato.

A consequência da regulação anômala da atividade neuronal provoca alterações emocionais e sintomas físicos.
A resposta positiva dos transtornos de ansiedade ao tratamento com benzodiazepinas (depressores seletivos do sistema nervoso) indica uma disfunção do sistema nervoso em que o ácido gama-aminobutírico (GABA) atua.

Os estudos também mostram um papel dos corticosteroides no aparecimento de sintomas como medo e ansiedade.
Os corticosteroides podem aumentar ou diminuir a atividade de alguns circuitos neurais influenciando o comportamento sob estresse, mas também o processamento cerebral de estímulos que induzem o medo.

Embora a predisposição genética seja provavelmente um fator de risco de ansiedade (Hettema J, Prescott C, Meyers J, et al: A estrutura dos fatores de risco genéticos e ambientais para transtornos de ansiedade nos machos e fêmeas do Arch Gen Psychiatry. , 62: 182-189), os fatores de estresse ambientais favorecem o desenvolvimento da ansiedade de várias maneiras.

 

Sensação de queimação na garganta durante a gravidez

A ardência na garganta durante a gravidez é um sintoma comum a muitas mulheres, principalmente nos primeiros meses de gravidez.
Muitas vezes, as causas são:

  • Náusea e vômito causados pelos hormônios;
  • Refluxo gastroesofágico: subida dos ácidos do estômago ao esôfago devido ao relaxamento do esfíncter gastroesofágico (por causa dos hormônios femininos e, em particular, da progesterona);
  • Infecções virais e bacterianas.

Na gravidez, o sistema imunológico da mulher não está deprimido (não é mais fraco).
No entanto, as mudanças que ocorrem no corpo da mulher podem favorecer algumas infecções, especialmente as infecções vaginais e urinárias.

 

Tratamento para queimação na garganta e peito e remédios naturais

O tratamento depende da causa. Existem medicamentos e remédios naturais, e também uma alimentação saudável é importante para reduzir os sintomas

O tratamento para o doença do refluxo gastroesofágico inclui:

  • Os medicamentos antiácidos,
  • Inibidores da bomba de prótons.

Dado que o refluxo ocorre principalmente à noite na posição deitada, aconselha-se:

  • Evitar refeições pesadas após as 17 horas (cinco da tarde),
  • Durante o jantar, os alimentos proteicos devem ser evitados porque o corpo precisa de 4-6 horas para digerir as proteínas (especialmente a carne) e, portanto, o estômago ainda pode estar cheio quando a pessoa vai dormir,
  • Comer principalmente frutas e vegetais no jantar. Também é melhor evitar combinações de alimentos incorretas, como carboidratos e proteínas (por exemplo, arroz e feijão) que prolongam a digestão,
  • Não beber no final da refeição porque a água retarda a digestão e dilata o estômago.

Para a ansiedade, o médico geralmente prescreve medicamentos antidepressivos ou ansiolíticos.
No entanto, existem remédios naturais que podem dar excelentes resultados.

As pesquisas sobre depressão, ansiedade e exercício físico mostram os benefícios físicos e psicológicos da atividade física.
Os exercícios também melhoram o humor.

A atividade física reduz o estresse porque:

  • Provoca a liberação de endorfinas, ou seja, produtos químicos no cérebro que dão uma sensação de bem-estar,
  • A mente se distrai.

Para ter bons resultados,

  • Os adultos e idosos devem caminhar pelo menos 30/40 minutos por dia,
  • Os jovens devem fazer exercícios mais desafiadores, por exemplo meia hora de corrida, três vezes por semana.