Transpiração excessiva – hiperidrose

ÍNDICE

A transpiração excessiva (ou hiperidrose) é um problema comum, especialmente em:

  • Axilas,
  • Mãos,
  • Pés.

Hiperidrose significa que a pessoa transpira mais do que o normal, mesmo se não:

  • Há calor e umidade,
  • Faz exercícios,
  • Tem ansiedade.

 

O suor mistura-se normalmente com as bactérias presentes na pele que causam o mau cheiro.
A transpiração ácida depende de vários fatores, em particular:

  • Hormônios,
  • Alimentação.

O forte cheiro de suor também depende de quanto tempo passa antes de tomar banho.

No caso de dermatite ou dermatose causada pelo suor (brotoeja ou miliária), a pele pode se tornar avermelhada e geralmente formam-se também bolhas vermelhas.

 

Causas da transpiração excessiva noturna ou ao dormir

Hiperidrose idiopática
Quando uma pessoa tem transpiração excessiva sem uma doença que a provoca fala-se de hiperidrose idiopática.
A hiperidrose pode ocorrer a qualquer momento durante:

  • A infância,
  • A adolescência,
  • A maioridade.

A doença é causada pelas glândulas sudoríparas hiperativas porque são mais estimuladas pelo sistema nervoso simpático (central).

O suor é muitas vezes localizado:

  • Nas solas dos pés,
  • Nas axilas,
  • Algumas partes do rosto,
  • Nas virilhas,
  • Nas palmas das mãos
  • Embaixo dos seios.


Menopausa
Durante a fase de perimenopausa e da menopausa, o declínio de estrogênios provoca um funcionamento impróprio do hipotálamo.
Isso causa a pele vermelha e a dilatação dos vasos sanguíneos que provoca a transpiração excessiva.
As ondas de calor e uma forte transpiração durante a noite podem ocorre mesmo sem:

  • Um quarto quente,
  • Uma mudança de temperatura.

 

Hipertireoidismo
O hipertireoidismo é uma doença endócrina caracterizada por uma tireoide hiperativa.
Esta doença pode acelerar o metabolismo do corpo, causando:

Hipoglicemia
A hipoglicemia é caracterizada por níveis baixos de açúcar no sangue (< 70 mg/dl) e afeta os pacientes com diabetes que tomam muita insulina.

Causas da hipoglicemia:

  • Esperar muito tempo entre as refeições,
  • Não comer comida suficiente,
  • Um treinamento longo sem comer.

Os sintomas incluem:

  • Tremor,
  • Suores frios,
  • Sensação de fome,
  • Ansiedade,
  • Palpitações.

A hipoglicemia noturna ocorre durante o sono e pode ser assintomática ou causar:

  • Sudorese excessiva,
  • Roupa de cama molhada,
  • Pesadelos,
  • Insônia,
  • Dores de cabeça.

Infecções
A tuberculose é uma das causas mais comuns de suores noturnos. Esta doença infecciosa que muitas vezes afeta os pulmões de uma pessoa pode causar:

Há muitas infecções que podem causar transpiração noturna, incluindo:

  • Vírus da imunodeficiência humana (HIV)
  • Infecção por mycobacterium avium complex
  • Mononucleose infecciosa (causada pelo vírus Epstein – Barr)
  • Infecções fúngicas – micoses (coccidioidomicose)
  • Abscesso nos pulmões (necrose do tecido pulmonar)
  • Endocardite (inflamação das válvulas cardíacas)
  • Osteomielite (infecção óssea).

Medicamentos que causam  sudorese excessiva

  • Medicamentos antidepressivos
    Os inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS ou SSRI), antidepressivos tricíclicos e medicamentos psiquiátricos causam suores noturnos.
    Entre os medicamentos que causam suor excessivo está a sertralina (Zoloft)
  • Antipiréticos
    Os medicamentos antipiréticos (para a febre), como aspirina e paracetamol, podem afetar o hipotálamo.
    Eles induzem o hipotálamo a diminuir a temperatura do corpo.
    O suor é um dos mecanismos que são ativados em resposta a administração desses medicamentos.
  • Outros fármacos:
    • Alguns medicamentos para pressão arterial sanguínea
    • Alguns medicamentos para a boca seca
  • Apneia do sono
    A apneia do sono ocorre quando há episódios repetidos de obstrução total ou parcial das vias aéreas superiores durante o sono.
    Dado que os músculos do tórax e do diafragma agem para abrir as vias respiratórias, a respiração recomeça com um forte estremecimento.

A apneia obstrutiva pode causar:

  • Transpiração noturna,
  • Distúrbios do sono,
  • Ronco,
  • Fadiga diurna,
  • Inquietação durante o sono.

Câncer
A transpiração excessiva também pode indicar alguns tipos de câncer como:

Se a transpiração excessiva for acompanhada de febre e perda de peso inexplicável, é melhor consultar um médico para descartar a possibilidade de câncer.

Ansiedade e estresse
A ansiedade e as preocupações podem causar um repentino suor noturno.
A ansiedade ativa o sistema de alerta no organismo.
Isso faz chegar mais sangue a partes do corpo que possivelmente precisam dele.
A ansiedade causa assim um estreitamento dos vasos sanguíneos periféricos (vasoconstrição).
A consequência é que o corpo começa a suar.
O suor por um estado emocional alterado pode ser frio.

Exaustão pelo calor
A exaustão pelo calor ocorre quando a temperatura do corpo aumenta para mais de 37 °C (porém menos de 40 °C).
Os sintomas incluem:

Transpiração excessiva-hiperidrose

Transpiração excessiva – hiperidrose

Alimentação
Se a pessoa come muita gordura, alimentos salgados ou simplesmente come muito, é fácil causar uma intensa transpiração nas axilas.
Um remédio simples e eficaz consiste em mudanças na alimentação:

  • Comer frutas e vegetais,
  • Evitar alimentos difíceis de digerir.

Quem sofre de indigestão e vai para a cama após uma refeição pesada, pode acordar suando com os lençóis molhados.

A transpiração gustativa (síndrome de Frey) ocorre quando a pessoa mastiga, morde ou chupa a comida.
Esta doença afeta principalmente o rosto e pescoço e pode ser causada pela remoção das glândulas paratireoides ou sem uma razão aparente.

Gravidez
Durante a gravidez a transpiração aumenta devido ao desequilíbrio hormonal e pelo aumento do metabolismo.
Quanto mais a mulher come, mais quente fica seu o corpo.

Problemas neurológicos
Embora as doenças neurológicas sejam muito raras, podem causar transpiração noturna. Entre elas estão:

  • A disreflexia autonômica é causada por lesões na medula espinhal entre a quinta vértebra torácica e aquelas superiores.
    Os impulsos nervosos da medula espinhal são bloqueados pela lesão.
    A disreflexia autonômica causa hiperatividade do sistema nervoso simpático.
    Os sintomas desta doença são:

  • O acidente vascular cerebral (AVC) é caracterizado por uma perda da função cerebral causada pela perda de suprimento sanguíneo para o cérebro.
    Muitas vezes provoca hiperidrose profusa e dor de cabeça.

Entre as outras doenças que causam suores noturnos estão:

  • Síndrome da fadiga crônica
  • Diabetes insipidus
  • Doença do refluxo gastroesofágico
  • Doença granulomatosa crônica (rara)
  • Pneumonia eosinofílica crônica
  • Angina de Prinzmetal (é uma variante rara de angina que ocorre em repouso)

 

 

Excesso de transpiração no rosto e cabeça

A transpiração excessiva na testa pode causar embaraço, por exemplo porque o cabelo fica molhado, emite mau cheiro e pode causar coceira na pele e no couro cabeludo.

Causas da hiperidrose primária no rosto
Se a cabeça tiver uma transpiração excessiva primária, não existe uma doença que a provoca.
Diz-se que, na maioria dos casos, a hiperidrose primária da cabeça seja caracteriza por glândulas sudoríparas hiperativas.

Causas da hiperidrose secundária
A hiperidrose secundária é o sintoma de uma doença.
Existem algumas doenças que podem causar uma excessiva transpiração no rosto, incluindo:

 

Transpiração excessiva nas mãos e nos pés

Sistema nervoso simpático hiperativo
Em caso de situação estressante, o organismo reage através da produção de suor para abaixar a temperatura do corpo.
Estas situações podem ser:

  • Raiva,
  • Estresse,
  • Nervosismo,
  • Perigos,
  • Calor externo e menos ventilação,
  • Doenças dos vasos periféricos arteriais e linfáticos,
  • Sepse,
  • Cólicas.

Às vezes há casos de mãos e pés suados em bebês e crianças, que podem ser provocados pela febre.

 

Excesso de suor nas axilas

Fatores que contribuem para a hiperidrose nas axilas

  • Problemas da tireoide (hipertireoidismo, hipotireoidismo), hipoglicemia, ondas de calor (menopausa) e ataques cardíacos;
  • Febre;
  • Consumo de alimentos picantes;
  • Uma ingestão excessiva de cafeína;
  • Efeitos colaterais de alguns tipos de analgésicos, medicamentos para distúrbios da tireoide ou medicamentos antipsicóticos;
  • Estresse, ansiedade ou depressão.

 

 

Suor nas nádegas e zonas íntimas

Existem algumas partes do corpo onde a pele não transpira porque está em contato com a superfície da cadeira ou de outras áreas corporais, o que não depende portanto de uma doença.
Este distúrbio afeta por exemplo:
1. Área lombar;
2. Nádega;
3. Zona íntima;
4. Região pubiana.

 

 

Remédios naturais para a transpiração excessiva

Se o problema de transpiração for genético, não é possível esperar uma cura completa; em outros casos, é possível melhorar muito com remédios caseiros.

  • Aplicar o suco de limão fresco nas partes do corpo que transpiram mais por 10-15 minutos, depois enxaguar.
    Repetir todos os dias. Esfregar as fatias de limão sobre a área antes de tomar banho.
  • Fazer uma mistura de óleo de tea tree (2 gotas) com água.
    Encher um frasco de spray e aplicar como um desodorante.
  • Mergulhar uma bola de algodão em vinagre de maçã e aplicar na área das axilas.
  • Triturar nozes e folhas de eucalipto juntos para fazer uma pasta.
    Aplicar essa pasta nas partes do corpo que transpiram mais. Deixar por cerca de 5-10 minutos. Em seguida é necessário enxaguar bem com água.
  • Evitar café e comida picante.

Selecionar um remédio caseiro e continuar regularmente durante um período de cerca de 1 mês.
Se continuar a suar apesar dos remédios caseiros, deverá necessário consultar um dermatologista.

 

 

Tratamento para transpiração excessiva e medicamentos

Dicas gerais

  • Usar roupas com tecidos transpirantes, tais como T-shirts específicas para a prática de esportes.
  • As meias contendo fibra de prata ou óxido de cobre reduzem o cheiro.
  • Usar palmilhas absorventes nos sapatos e substituí-las com frequência.
  • Aplicar talco ou bicarbonato de sódio após o banho.

Os medicamentos orais que reduzem a transpiração são chamados anticolinérgicos.
Um exemplo é a diciclomina (Bentyl).

A maioria dos anticolinérgicos estão disponíveis somente com receita médica.
Entre os efeitos colaterais estão: boca seca e visão turva.

Antitranspirantes
Existem muitos antitranspirantes disponíveis que bloqueiam as glândulas sudoríparas.
É necessário aplicar estas substâncias à noite no corpo.
Estes antitranspirantes entram nos poros da pele e bloqueiam a transpiração.

Entre os produtos mais eficazes estão:

  • Thaty Desodorante Antitranspirante (extratos naturais de algodão, calêndula e melissa)
  • Desodorizantev Vichy – Cuidado Antitranspirante 48h Antimanchas Brancas & Amarelas
  • Antitranspirante Driclor

Passar de noite.

Nos pés os cremes têm um efeito mais limitado porque a pele é mais grossa.

Iontoforese
Esta técnica consiste em aplicar uma corrente contínua, de baixa intensidade, nas mãos e pés.
Os pesquisadores não conhecem o mecanismo de ação, mas acredita-se que a ionoforese atue nos nervos que causam a secreção de suor.
É usado para:

  • Mãos,
  • Pés,
  • Axilas.

É necessário fazer este tratamento por 20 minutos, pelo menos uma vez por semana.
Os problemas deste tratamento são:

  • Deve ser repetido a longo prazo,
  • Nem sempre é eficaz.

Injeções de Botox
As injeções de toxina botulínica são realizadas na área em que o paciente sua excessivamente.
A toxina bloqueia a liberação de acetilcolina, que é um neurotransmissor. Esta substância é necessária para estimular as glândulas a produzir suor.
O tratamento consiste em 10 a 20 injeções e o efeito pode durar de 1 a 6 meses.

Remoção das glândulas sudoríparas
Pode ser feita em uma área particular como a axila.
Embora este método seja muito útil, é necessário conversar com o médico sobre os efeitos colaterais da operação.

Simpatectomia torácica
Uma opção cirúrgica para a transpiração excessiva é chamada de simpatectomia torácica.
Esta operação prevê a interrupção dos nervos do sistema simpático responsáveis pela transpiração.
Efetua-se inserindo um pequeno endoscópio embaixo da axila.
O objetivo é cortar algumas pequenas fibras nervosas que controlam as glândulas sudoríparas.

A simpatectomia torácica é muito eficaz, mas ao mesmo tempo é arriscada.
O cirurgião deve fazer colapsar temporariamente os pulmões para ver claramente os nervos.
A operação tem alguns efeitos colaterais, incluindo:

  • Danos aos nervos;
  • Transpiração compensatória em outras partes do corpo não operadas;
  • Complicações respiratórias;
  • Às vezes, esses transtornos tornam-se permanentes.

Bibliografia: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4012678/

Leia também