Estenose na coluna vertebral

INDICE

A estenose na coluna vertebral (ou espinhal) é o estreitamento do canal vertebral que contém a medula espinal e as raízes nervosas.
A estenose pode provocar pressão sobre a medula espinhal e os nervos que passam pela coluna vertebral.

Este distúrbio ocorre com mais freqüência no pescoço e na coluna vertebral lombar.

 

A estenose espinhal consiste na redução de pelo menos um dos dois espaços da coluna vertebral em que os nervos passam:

Estenose na coluna vertebral

1. O canal no centro da coluna na qual está contida a medula espinal e as raízes dos nervos,

2. As aberturas entre as vértebras (ossos da coluna) através do qual os nervos da coluna vertebral saem e vão para as outras partes do corpo.

Existem dois tipos de estenose espinal: estenose cervical e estenose lombar. Embora a estenose lombar é mais frequente a estenose cervical é mais perigosa porque provoca a compressão da medula espinal em cima.

 

Quem sofre de estenose da coluna vertebral?

Esse distúrbio é mais comum entre os homens e as mulheres com idade superior a 50 anos. No entanto, pode ocorrer em pessoas mais jovens que nascem com um estreitamento do canal espinhal ou que tiveram uma lesão na medula espinhal.

 

O que causa a estenose espinal lombar ?

As causas mais freqüentes de estenose espinal lombar são artrose ou degeneração discal.
Tal como acontece com outras articulações do corpo, a artrose ocorre com freqüência na coluna vertebral como parte do processo de envelhecimento normal.
A artrose pode causar a perda de cartilagem entre os ossos das articulações, a formação de esporões ósseos (osteófitos), a redução da altura normal dos discos entre as vértebras da coluna vertebral (a doença degenerativa dos discos, também conhecida como espondilose) e crescimento excessivo (hipertrofia) das estruturas ligamentares.

 Espondilolistese, radiografia, ressonância magnética, deslizamento, vértebra, dor, estenose

Radiografia e ressonância magnética de espondilolistese

A degeneração dos discos lombares pode causar a espondilolistese: deslizamento de uma vértebra sobre a outra que em casos graves pode dar instabilidade e sintomas neurológicos.
Cada um destes processos pode reduzir o espaço normal disponível para os nervos no canal da coluna vertebral e é a consequência direta da pressão sobre o tecido do nervo que provoca os sintomas de estenose espinal lombar.
A estenose espinal também pode ser causada por outras condições que diminuem o espaço do canal espinhal ou do forame vertebral.

Estas doenças são:

  • Artrite reumatóide. A artrite reumatóide geralmente afeta pessoas com menos de 60 anos de idade e causa inflamação dos tecidos moles e articulações da membrana sinovial (sinovite). Embora não seja uma causa comum de estenose espinhal, os danos aos ligamentos, ossos e articulações começam com a sinovite. As partes da coluna vertebral com uma maior mobilidade (por exemplo, cervical) são as mais afectadas nas pessoas com artrite reumatóide.
  • Câncer (formação de tecido anormal das estruturas que compõem o canal medular),
  • Infecção,
  • Distùrbios metabólicos dos ossos provocando o crescimento do osso, tal como a doença de Paget.

Estas causas, no entanto, são muito menos frequentes da artrose.

estenose,lombar

Sintomas da estenose na coluna vertebral

  • Dor na coluna. Pessoas com estenose espinal nem sempre têm a dor na coluna, dependendo do grau da artrose.
  • A dor com queimação nos glúteus e pernas (ciática). A pressão sobre os nervos espinhais pode causar dor em áreas onde chegam os nervos.
    O incômodo é descrito como uma dor ou sensação de queimação. Geralmente inicia-se na área das nádegas e irradia para baixo da perna.
    A dor na coluna até a perna é chamada de dor ciática.
    Com a progressão da doença, pode causar dor no pé.
  • Dormência ou formigamento nas nádegas até a perna. Com o aumento da pressão sobre o nervo, dormência e formigamento muitas vezes acompanham uma dor ardente. Nem todos os pacientes terão todos esses sintomas juntos.
  • Fraqueza nas pernas ou “queda do pé”. Uma vez que a pressão atinge um nível crítico, você pode ter fraqueza em um ou ambos os membros inferiores. Alguns pacientes têm queda do pé ou a sensação de que o pé arrasta no chão durante a caminhada.

A dor diminui quando se inclina para frente ou se você está sentado.
Os estudos sobre a coluna vertebral lombar mostram que a flexão para frente aumenta o espaço disponível para os nervos.
Os pacientes sentem alívio deitados e sentados.
A dor piora em pé ou andando.
Alguns pacientes sabem que podem andar de bicicleta ou a pé encostados a um carrinho. Fazer uma caminhada entre dois blocos pode causar uma dor ciática muito forte.
Casos graves de estenose espinhal também podem causar incontinência e paralisia.

 

Diagnóstico da estenose na coluna vertebral

O exame físico é testar a amplitude de movimento da coluna e a palpação para descobrir as áreas com formigamento.

Testes, ciático, coluna, pernas, movendo-se, levantar, dor, formigamento, fraqueza

Teste de Lasègue para o nervo ciática

As pernas podem ser examinadas para testar a amplitude de movimento, a força, a sensibilidade e os reflexos.
Os quadris e os joelhos devem ser avaliadas porque os problemas destas articulações podem causar sintomas semelhantes aos da estenose lombar.

Após o exame, o médico pode pedir alguns exames para detectar os sinais anatômicos de estenose espinal lombar.
O primeiro exame é uma simple radiografia da coluna.
O médico também pode pedir uma radiografia da pelve do paciente de acordo com as suspeitas que foram encontrados pelo exame físico.
A radiografia pode mostrar ao médico vários sinais associados com estenose espinhal, incluindo a perda de altura do disco intervertebral, a presença de esporões ósseos (osteófitos) e instabilidade da coluna vertebral (movimento anormal entre as vértebras).

O diagnóstico definitivo de estenose do canal vertebral lombar é feito com uma ressonância magnética ou uma tomografia computadorizada.
Esses exames avançados exibem os nervos da coluna e podem mostrar se eles são comprimidos por estenose lombar.
Em alguns casos, os testes especiais são realizados para os nervos: eletromiografia (EMG) e estudo da condução nervosa.
Estes testes podem identificar danos ou irritaçoes dos nervos que são a conseqüência da compressão por estenose da coluna vertebral lombar.