Sintomas da clamídia

INDICE


.

 

 

Os sintomas da clamídia podem ser muito desconfortavéis.
A clamídia é uma das doenças sexualmente transmissíveis mais curadas que afeta tanto homens como mulheres
A clamídia é muitas vezes assintomática e, portanto, muitos não fazem os tratamentos.
As bactérias afetam as células mucosas que são tecidos moles e húmidos do corpo não cobertos por pele.

Os seguintes são exemplos de áreas que podem ser infectados com esta bactéria:clamídia

  • As superfícies da uretra, vagina, colo do útero e endométrio,
  • As trompas de Falópio,
  • O ânus e reto,
  • A parede interna da pálpebra,
  • Raramente a garganta.

Causas e transmissão da clamídia

A clamídia é transmitida de uma pessoa infectada para um parceiro através da relação sexual, como outras doenças venéreas.
A clamídia é transmitida principalmente durante a relação sexual anal ou vaginal. É menos provável pegar clamídia através da relação sexual oral, ativa ou passiva.
A clamídia pode ser transmitida quando as membranas mucosas do corpo entram em contacto com secreções mucosas ou sêmen de uma pessoa infectada.

Isto é o que ocorre durante relação a sexual vaginal ou anal sem proteção (ou seja sem preservativo).
A relação sexual oral não é uma causa de infecção freqüente por esta bactéria. A clamídia há menos probabilidade de ser transmitida durante a relação sexual oral porque as bactérias que causam a clamídia preferem tocar a área genital, ao invés da garganta.
A clamídia pode ser transmitida mesmo se o pênis ou língua não entram totalmente na vagina ou no ânus. Se a vagina, colo do útero, ânus, pênis ou boca vem em contato com secreções infectadas ou fluidos, a transmissão é possível.
Uma mulher que não faz relação sexul anal pode pegar clamídia no reto ou ânus se a bactéria se espalha da área vaginal, por exemplo ao se limpar com papel higiênico.

Se uma pessoa toca os olhos com as mãos durante a atividade sexual pode causar infecções oculares.
A clamídia não e transmitida através de um objeto tocado com as mãos ou no assento do vaso sanitário.
Uma pessoa com clamídia que foi tratada e curada pode ter recorrência se é exposta a bactéria.
A clamídia também pode passar da mãe para o bebê quando o bebê passa pelo canal do parto infectado.
Isso pode causar infecções oculares, pneumonia ou outras complicações.
Em crianças, a clamídia pode ser um possível sinal de abuso sexual.

Como sabemos se temos a clamídia?

Não é fácil de dizer se temos uma infecção por clamídia porque os sintomas não são sempre óbvios.
Mas quando eles ocorrem, geralmente ocorrem após um período de incubação que dura de uma a três semanas após o contato.


Sintomas da clamídia em mulheres

Sintomas da clamídia em homens

  • Pequenas quantidades de secreções claras ou turvas na ponta do pênis
  • Dor ao urinar,
  • Ardor e coceira em torno da abertura do pênis,
  • Dor e inchaço ao redor os testículos

O que ocorre se a clamídia não está curada? Quais são as complicações da clamídia?

O dano inicial que causa a clamídia muitas vezes passa despercebido.
Se não for realizado o tratamento para clamídia, se corre o risco de ter vários problemas de saúde.infertilidade,esterilidade

Mulheres

gravidez,ectópicaNas mulheres, a infecção não tratada pode se espalhar para a o útero e as trompas de Falópio (os tubos que carregam os ovos fertilizados dos ovários para o útero) e pode causar doença inflamatória pélvica (DIP).
O DIP pode ser silencioso ou pode causar sintomas como dor abdominal e pélvica.
O DIP assintomático e aquele silencioso podem ter conseqüências permanentes ao sistema reprodutivo de uma mulher e causar dores pélvica a longo prazo, infertilidade e uma gravidez ectópica potencialmente fatal (gravidez fora do útero).
Nas mulheres grávidas, a clamídia sem tratamento tem sido vinculada ao parto prematuro e pode ser transmitida para o recém-nascido, causando infecção ocular ou pneumonia.

Homens
As complicações são raras nos homens. Às vezes, a infecção se espalha para o tubo que leva o esperma dos testículos causando dor, febre e, ocasionalmente, infertilidade.
Para os homens. A clamídia pode provocar:

  • Uma doença chamada uretrite não-gonocócica (NGU),
  • Uma infecção da uretra (o tubo através do qual a urina passa de homens e mulheres),
  • Epididimite, uma infecção do epidídimo (um tubo que leva o esperma dos testículos),
  • Proctite, uma inflamação do reto.


Teste e diagnóstico de clamídia

Dado que a clamídia é difícil de detectar, o centro de controle de doenças (CDC) recomenda o rastreio para mulheres sexualmente ativas abaixo dos 25 anos, mulheres grávidas, os homens e mulheres em maior risco porque eles têm parceiros sexuais ou outra doença sexualmente transmissível.

Para o diagnóstico de clamídia ou monitoramento, os exames laboratoriais são os mesmos:

  • Um exame de urina para células bacterianas,
  • Um tampão do colo do útero ou da glande pode detectar as bactérias ou a presença de um antígeno para a infecção (em alguns casos você também pode fazer o tampão anal).

Qual é a cura para clamídia? Que antibióticos você deve tomar?

No caso da clamídia, seu médico irá prescrever antibióticos orais, geralmente azitromicina (Zitromax) ou doxiciclina.
O médico também recomenda ao parceiro o mesmo tratamento para evitar a reinfecção e a transmissão da doença.
Com o tratamento, a infecção deve passar em uma semana ou duas.
É importante terminar toda a caixa de antibióticos, embora já esteja melhor.
As mulheres com infecção por clamídia grave podem precisar de internação, antibióticos por via intravenosa (medicação administrada através de uma veia) e medicamentos para a dor.
Depois de tomar antibióticos, as pessoas devem repetir o exame para ter a certeza de ser curados da clamídia.
Isto é especialmente importante se você tem certeza que o seu parceiro fez tratamento.
Não haver uma relação sexual até ter certeza que o paciente e o parceiro são curados.


Como podemos evitar a clamídia?

Se pode fazer muito para evitar de pegar a clamídia.

Abster-se de relação sexual vaginal, anal e oral.
Se você opta em ter relação vaginal ou anal, use preservativo em cada vez.
Transmitir ou pegar a clamídia durante a relação sexual oral é raro, mas você pode reduzir ainda mais o risco com o uso de preservativos de látex ou barreiras feitas de plástico.

Como posso evitar a transmissão da clamídia?

Aqueles que têm clamídia podem fazer muito para evitar a disseminação para outras pessoas.

  • Diga a seu parceiro sexual da infecção.
  • Não tenha uma relação sexual até o final do tratamento.
  • Certifique-se de que seu parceiro sexual tem feito exames e curas antes de haver uma relação sexual.

Após o tratamento, quando começa novamente a ter relação sexual, use uma camisinha sempre que você tem uma relação sexual vaginal ou anal.