Sintomas da pneumonia

A pneumonia é uma doença respiratória caracterizada por inflamação dos alvéolos pulmonares.

INDICE

O sistema respiratório é composto por vários órgãos com uma cavidade interna que permite a passagem do ar.
Quando respiramos, o ar passa pelos seguintes “tubos”:

  • Faringe (a garganta),
  • Laringe,
  • Traqueia,
  • Brônquios,
  • Bronquíolos (ramos brônquicos),
  • Alvéolos pulmonares.

Os alvéolos são sacos flexíveis muito pequenos nos pulmões:

  • Se expandem durante a inspiração,
  • Se estreitam quando expiramos.

Existem muitos capilares em torno dos alvéolos para permitir:

  • A passagem do oxigênio dos alvéolos para o sangue,
  • O transporte do dióxido de carbono da corrente sanguínea para os pulmões.

A pneumonia pode ser causada por:

  • Micro-organismos prejudiciais (vírus, bactérias, parasitas ou fungos),
  • Substâncias irritantes (por exemplo, o fumo).

O sistema respiratório tem cílios em toda a mucosa interna que servem para empurrar essas substâncias para fora.
Além disso, as células dos órgãos respiratórios produzem muco para facilitar a expulsão de micro-organismos e substâncias perigosas.
Se esses sistemas de defesa não funcionam adequadamente devido à idade ou alterações nas mucosas, as substâncias prejudiciais podem penetrar até aos alvéolos.
No caso de pneumonia, os alvéolos ficam cheios de:

  • Fluido inflamatório,
  • Sangue.

A pneumonia provoca uma inflamação com derrame de:

  • Sangue,
  • Fibrina.

Por esta razão é chamada de crupal (causada por crup) ou fibrinosa.

Grupos de alto risco
Crianças (o sistema imunológico não está suficientemente desenvolvido)
► Idosos (o sistema imunológico é mais fraco)
► Pessoas com uma doença crônica
► Indivíduos com sistema imunológico fraco devido a:

► Fumantes, o fumo do cigarro danifica os cílios que se encontram na mucosa do sistema respiratório. Também bloqueia a atividade dos macrófagos (glóbulos brancos) que defendem o corpo.
► As pessoas que tiveram um transplante de órgãos recentemente,
► Pessoas convalescentes após uma cirurgia,

A pneumonia é caracterizada por sintomas semelhantes com aqueles da gripe, mas pode tornar-se grave.
Pode atingir só um pulmão ou ambos, neste caso é chamada de dupla.

 

Mecanismo de defesa contra a pneumonia

Normalmente, os pulmões estão num ambiente estéril, no entanto se podem encontrar:
a) Micro-organismos inalados temporariamente,
b) Micro-organismos latentes (o indivíduo é saudável, mas os exames laboratoriais mostram a presença de microorganismos).

Ao nível do trato respiratório alto (cavidades nasais, faringe, etc.), a flora bacteriana é importante porque atua como uma barreira contra a entrada de micro-organismos prejudiciais.

 

Mecanismos locais de defesa

1) Mecanismos mecânicos
Sistema mucociliar – as secreções de muco são um mecanismo de limpeza muito importante.
O muco contém substâncias com efeito antimicrobiano que garantem o controle dos micro-organismos presentes e previnem a formação de infecções importantes.
A clearance mucociliar é o movimento contemporâneo dos cílios vibratórios em direção da boca e do nariz para levar as partículas sólidas para fora. Este fenômeno é essencial para a limpeza do sistema respiratório.
Existem bactérias que podem inibir esse movimento. A consequência é a proliferação desses germes e também de outros micro-organismos não perigosos, mas que nesta situação podem se tornar prejudiciais.
Os mecanismos que bloqueiam a descida dos micro-organismos são:

  • Epiglote (fechamento da epiglote),
  • Tosse,
  • Espirros.

2) Mecanismos imunológicos

  • Os fagócitos, em particular os macrófagos alveolares, constituem uma defesa importante, mas também são a porta de entrada para micro-organismos como o micobacterium tuberculosis, a legionelose pneumophila, pneumocistis jiroveci, etc.
  • IgA secretoras, no entanto, alguns micro-organismos possuem proteases de IgA (um tipo de enzima) e, portanto, podem destruir esses anticorpos.


Tipos de pneumonia

Pneumonia viral
Este tipo é muito mais frequente na criança e nos idosos (mais de 65 anos).
Em crianças, os vírus responsáveis são principalmente:

  • Adenovírus,
  • Vírus sincicial respiratório (VSR),
  • Vírus da gripe,
  • Herpes simplex,
  • Cytomegalovirus (CMV).

Em adultos e idosos, os vírus que causam pneumonia são os da gripe.

Os sintomas observados na pneumonia viral são leves e parecidos com aqueles da gripe.
No entanto, após 24/36 horas a febre pode aumentar causando uma sensação de falta de ar.
Se, mais tarde, as bactérias invadem os pulmões, o paciente desenvolverá sintomas mais sérios.

Pneumonia bacteriana
As infecções bacterianas são mais frequentes em adultos e idosos.
A maioria dos casos de pneumonia bacteriana é causada pelo streptococcus pneumoniae.

 

Pneumonia viral
Tipo de paciente Pessoas saudáveis com sistema imunológico normal.
Tratamento Não são necessários antibióticos, o médico pode prescrever antivirais.
Prognóstico Os jovens podem sarar em uma ou duas semanas, os idosos e as pessoas que sofrem de outras doenças precisam de várias semanas. Pode ser grave e fatal.

 

Pneumonia bacteriana
Tipo de paciente Uma pessoa com sistema imunológico fraco ou hospitalizada por causa de outra infecção respiratória.
Tratamento O médico pode prescrever antibióticos.
Prognóstico É mais agressiva e difícil de tratar.

 

 

Causas da pneumonia

A pneumonia é causada principalmente por infecção de:

  • Bactérias,
  • Fungos,
  • Vírus.

A pneumonia viral é a mais frequente em crianças.
A causa bacteriana é a mais frequente e grave.

Pneumonia, pulmão, infecção, inflamação

A pneumonia pode ocorrer em seguida de outras doenças como:

Outras causas de pneumonia:

  • Fumo (danifica os cílios do sistema respiratório),
  • Álcool (modifica a flora bacteriana na boca),
  • Radiação e radioterapia.

 

Como se pega a pneumonia?

Embora a pneumonia não seja uma doença contagiosa, os vírus e as bactérias responsáveis poderiam ser transmitidos a outras pessoas através de:

  • Contato direto,
  • Por inalação de secreções respiratórias.

O agente microbiano poderia ser espalhado no ar após:

  • Um espirro,
  • A tosse.

 

Fatores de risco da pneumonia

1) Redução do reflexo da tosse: o reflexo da tosse pode estar faltando no caso de:

  • Doenças que bloqueiam o fechamento da glote: paralisia recorrente do nervo laríngeo, presença de cateter transtraqueal, etc.
  • Contração insuficiente da musculatura respiratória devido a doenças neuromusculares ou alterações graves na caixa torácica.

2) Diminuição da clearance mucociliar: alguns fatores podem alterar o batimento ciliar, por exemplo:

  • Infecções virais do sistema respiratório superior (que podem produzir necrose das células ciliares),
  • Álcool,
  • Redução da temperatura do ar inalado (o frio provoca paralisia da atividade mucociliar)
  • A administração de anestésicos gerais durante as cirurgias (essas drogas têm uma ação paralisante no movimento ciliar e inibem o reflexo da tosse)

3) Diminuição da atividade dos macrófagos: existem condições que podem prejudicar as capacidades fagocíticas do compartimento dos macrófagos alveolares, tais como:

  • Diabetes, em que ocorrem distúrbios funcionais celulares da atividade fagocítica (granulócitos e macrófagos),
  •  O fumo do cigarro,
  •  A poluição atmosférica causa uma sobrecarga dos cílios.

4) Condições do ambiente alveolar: o ambiente alveolar pode tornar-se seco no caso de transudação de líquido ao nível intersticial ou alveolar, em particular a insuficiência ventricular esquerda aguda e crônica (onde o ventrículo esquerdo do coração não consegue bombear sangue suficiente).

Outros fatores de risco raros:

Alterações das propriedades físico-químicas do muco brônquico que reduzem as funções defensivas, por exemplo:

  • O aumento da viscosidade (como a mucoviscidose, uma doença hereditária em que a viscosidade de todas as secreções exócrinas é aumentada).
  • A concentração reduzida de IgA secretoras (isto pode ocorrer em presença de defeitos congênitos desta classe de Ig).

Pacientes com imunodepressão ou que utilizam corticoides ou medicamentos imunossupressores

Em geral, os sujeitos suscetíveis à pneumonia são:

  • Asmáticos,
  • Alcoólatras,
  • Pacientes com imunodeficiência,
  • Pacientes idosos.

 

Contaminação por uma infecção extrapulmonar
A contaminação do sangue que chega aos pulmões é geralmente causada pelo staphylococcus aureus e ocorre nos pacientes:

  • Que injetam drogas ilícitas por via intravenosa,
  • Com endocardite,
  • Com infecções por cateter intravenoso.

 

sintomas da pneumonia

 

Sintomas da pneumonia

Na maioria dos casos, as pessoas apresentam sintomas gripais antes de desenvolver a pneumonia.
Estes são seguidos por:

  • Calafrios,
  • Tosse,
  • Febre alta.

A gravidade dos sintomas varia de acordo com a idade do paciente.
A dor no peito é o sintoma mais comum em todos os tipos.

Pneumonia bacteriana: esta doença é caracterizada por sintomas como:

Pneumonia viral: esta infecção caracteriza-se por sinais semelhantes a gripe.
Geralmente, começa com:

Quando a doença progride, causa:

  • Falta de ar,
  • Tosse com catarro leve ou branco.

Com esta doença aumenta o risco de desenvolver pneumonia bacteriana secundária.

 

Complicações da pneumonia bacteriana

A pneumonia bacteriana é muito complicada de tratar porque os micróbios tendem a desenvolver resistência à maioria dos medicamentos. Isto leva a muitas complicações como:

Bacteremia
As bactérias podem infectar o sangue.
Os agentes patogénicos têm a capacidade de infectar outros órgãos e causar várias complicações em diferentes órgãos.

Empiema
Os agentes bacterianos podem causar o acúmulo de pus nos pulmões. Esta situação é chamada de empiema.

Inflamação grave
Quando os antibióticos e os medicamentos não são eficazes para curar a infecção, isso conduz a uma inflamação grave dos pulmões. A troca de oxigênio entre os alvéolos e os capilares é drasticamente reduzida. Esta situação conduz a uma insuficiência multiorgânica devido à falta de níveis adequados de oxigênio.
Neste caso, o paciente precisa ser hospitalizado na UTI.

Complicações da pneumonia na gravidez
Existem algumas complicações que podem afetar as mulheres grávidas, especialmente:
1. Aborto espontâneo,
2. Parto pré-termo,
1. Pré-eclâmpsia/eclâmpsia,
2. Recém-nascidos com baixo peso ao nascer.

Morte
Em idosos (com mais de 75 anos) a taxa de mortalidade é de cerca 360 pessoas por cada 100.000, enquanto em pessoas com menos de 45 anos a percentagem é próxima ao zero.
Outras complicações:

  • Derrame pleural
  • Abscesso pulmonar
  • Insuficiência respiratória
  • Septicemia.

 

Pneumonia,sintomas,alvéolos

Diagnóstico de pneumonia

O médico pode diagnosticar a pneumonia com:

  • Exame físico,
  • Controle da história clínica.

Depois ele faz a auscultação dos pulmões com o estetoscópio para ouvir se há fluido nos pulmões.
Para algumas pessoas, outros exames podem ser necessários, incluindo:

  • Oximetria transcutânea (um pequeno dispositivo aplicado ao dedo controla a quantidade de oxigênio no sangue)
  • Análise de sangue para verificar a contagem dos glóbulos brancos, se for alta indica uma infecção.
  • O exame da expectoração (teste do escarro) permite compreender qual bactéria causa a infecção.
  • TAC ou radiografia para confirmar a presença e para saber a extensão da infecção. Não permite distinguir entre doença bacteriana e viral, mas permite compreender se o paciente tem uma pneumonia intersticial, aspirativa ou uma broncopneumonia.
  • Uma cultura de líquido pleural (o médico remove o líquido do tórax com uma agulha)
  • Broncoscopia – um controle pulmonar com um endoscópio.

 

Diagnóstico diferencial
O médico deve descartar outras doenças respiratórias tais como:

 

Tratamento para a pneumonia

Geralmente os pacientes com pneumonia podem ser tratados em casa, quando não há uma forma muito grave ou fulminante, mas o médico pode decidir de internar o paciente no hospital para oferecer mais assistência.

1. A febre é controlada com aspirina ou anti-inflamatórios não-esteroides (AINES). Os princípios ativos são úteis porque podem:

  • Reduzir a hipertermia,
  • Regular a temperatura do corpo.

A febre leve não é um problema, mas se aumentar muito pode ser perigosa.

2. Os medicamentos contra a tosse são utilizados para aliviar o desconforto, recomendamos de toma-los somente após ter consultado um médico.
Existem poucos medicamentos para tosse que reduzem o catarro, mas é provável que aumente a congestão nasal.

3. O tratamento da pneumonia nos idosos é similar aos métodos de cura indicados antes. Se o indivíduo tem uma idade superior aos 65 anos e sofre de doenças respiratórias, tais como asma, abscesso pulmonar, septicemia ou qualquer outra doença crônica, o médico pode recomendar a hospitalização.

4. Os médicos pesquisadores produziram uma vacina que é administrada como prevenção. Os compostos são administrados aos bebês para construir e fortalecer o sistema imunológico.

 

Remédios naturais e alimentação para a pneumonia

Água potável e outros líquidos facilitam a subida do catarro.
A legionelose é transmitida através dos condicionadores de ar e dos umidificadores, portanto se devem limpar os filtros de ar muitas vezes.
Além da criança a mãe também deve seguir uma dieta saudável durante a amamentação, rica em vitaminas A, C e E.
Isto ajuda a criança a:

  • Se recuperar mais rapidamente,
  • Construir um sistema imunitário mais forte.

Você deve evitar de comer alimentos gordurosos ou picantes durante uma pneumonia. Estes alimentos podem agravar a doença. Mesmo após a cura você deve ir ao médico para um acompanhamento da situação.

 

Quanto tempo dura? O prognóstico da pneumonia

O tempo de recuperação para a pneumonia depende de vários fatores. Uma das variações mais importantes é a condição do sistema imunológico da pessoa em causa.

O tempo de recuperação é estimado entre 3 e 6 semanas. Os idosos se recuperam em mais tempo, especialmente se sofrem de outras doenças respiratórias. Em pessoas da terceira ou quarta idade o tempo para a recuperação pode levar mais de 12 semanas.
O tempo para uma volta à vida de todos os dias em adultos é o seguinte:

  • Uma pessoa com pneumonia bacteriana melhora em 1-3 dias com os antibióticos.
    No entanto, a recuperação completa ocorre em cerca de 3 semanas.
  • A infecção viral é menos grave do que a bacteriana. O paciente leva cerca de 4-5 dias para melhorar depois de ter iniciado o tratamento antiviral. Na ausência de tratamento, o mal-estar poderia continuar por cerca de 1-3 semanas.

Se pode sair de casa 48/72 horas depois que a febre passou e o médico parou a terapia antibiótica.
Se o sistema imunológico for fraco, a pneumonia pode se tornar recorrente.

 

Decurso clínico e mortalidade da pneumonia bacteriana

  • Por pneumococo: baixa
  • Por pseudomonas / enterobacteriaceae: 60%
  • Os vírus são menos perigosos e mortais.

 

Pneumonia adquirida em comunidade

A mortalidade é de 12 em 100.000: não é muito alta, mas é significativa e aumenta especialmente em pessoas mais velhas, onde há uma mortalidade de 70 em 100.000.