Hepatite viral C – sintomas e transmissão

De acordo com a medicina convencional ou tradicional, a hepatite C é uma infecção causada por um vírus que ataca o fígado e causa inflamação.
A doença pode variar de leve desconforto que dura algumas semanas para uma doença grave e permanente que pode levar à cirrose hepática ou câncer no fígado.

INDICE


De acordo com a teoria da higiene natural de Shelton e Lezaeta, os micróbios não causam a doença, o problema é a alimentação inadequada, a putrefação dos alimentos no intestino, e os problemas de eliminação de toxinas que causam intoxicação intestinal.
A hepatite C aguda é a doença nos primeiros seis meses.

 


Estágios da infecção

Cerca uma pessoa em quatro derrota a infecção e se livra dos vírus (o teste torna-se negativo) sem medicamentos.

Hepatite viral C As mulheres e os jovens têm mais probabilidade de curar.
Nos restantes três em cada quatro pessoas, o vírus permanece no corpo por muitos anos e se torna hepatite C crônica.

Com base em outros fatores de risco, como consumo de álcool, entre 10% e 40% das pessoas com hepatite C crônica não tratada desenvolve a cirrose, geralmente até vinte anos após ser diagnosticado com hepatite C.

Cerca uma pessoa entre cinco terá insuficiencia hepática, enquanto cerca de 1 entre 20 desenvolve o câncer de fígado.
Não há nenhuma vacina para hepatite C, ao contrário da hepatite B.

Os genótipos principais da hepatite C (também conhecido como “subtipos”) são conhecidos simplesmente como:

1. Genótipo 1
2. Genótipo 2
3. Genótipo 3
4. Genótipo 4
5. Genótipo 5
6. Genótipo 6

Dos diferentes genótipos de hepatite C, genótipo 1 é o tipo mais freqüente, entre 70 e 90% dos americanos com a hepatite C tem esse genótipo.

 


Como é transmitido? Quem tem um maior risco de infecção da hepatite C?

  • Aqueles que tomaram uma medicação através de uma injeção;
  • Qualquer um que teve uma transfusão sanguínea ou um transplante de órgão antes de 1990
  • Quem esteve na prisão.

 

Fatores de risco moderados:

  • Haver uma infecção sexualmente transmissível, incluindo o HIV, hepatite B ou Linfogranuloma venéreo;
  • Haver múltiplos parceiros sexuais;
  • Haver tatuagens ou piercing;
  • Ter relações sexuais violentas ou com brinquedos sexuais que podem causar danos aos tecidos do corpo;
  • Haver relação sexual vaginal durante o ciclo mestrual;
  • Fazer hemodiálise;
  • Ter lesões cutâneas acidental de uma agulha ou seringa;
  • Existe um pequeno risco de contrair o vírus através da partilha de escovas de dentes, lâminas de barbear e outros itens contaminados com sangue infectado.
  • Recém-nascidos com uma mãe infectada com hepatite C;
  • Ter um parceiro sexual infectado com hepatite c.
  • Na gravidez, a transmissão da mãe para a criança ocorre raramente em menos de 5% dos casos. É necessário esperar pelo menos 18 meses antes de fazer um exame de sangue no bebê

O vírus pode viver fora do corpo por até quatro dias

A hepatite C não é transmitida de pessoa para pessoa, nestes casos:

  • Tosse, espirros;
  • Tocar ou apertar as mãos com uma pessoa infectada;
  • Partilha de comida, beber ou comer no mesmo talher;
  • Usar o mesmo sanitário;
  • Com  a saliva, por exemplo um beijo profundo ou um abraço;
  • Amamentar no seio a menos que os mamilos estão rachados e sangrando.
  • Relação sexuais posterior, exceto se houver sangue.

 

Sintomas da hepatite C, dependendo do estágio da doença


Fase aguda
A fase aguda dura nos primeiros seis meses. Nas fases iniciais a maioria das pessoas não têm sintomas (assisomáticos) ou são leves.
Os sintomas após um período de incubação variam de 1 a 5 meses após a exposição ao vírus e incluem:

É raro haver sintomas graves.

Fase crônica
A infecção por hepatite C fase crônica ocorre quando a infecção dura mais de seis meses.
O curso da infecção crônica varia muito entre as pessoas e é imprevisível.

Sintomas e conseqüências da infecção crônica:
Algumas pessoas não têm sintomas ou são leves, no entanto é possível transmitir o vírus da hepatite C para outras pessoas.
Algumas pessoas desenvolvem alguns sintomas devido a bilirrubina alta que é produzida pelo fígado.
Hepatite C, insuficiência hepática, cirrose, fibroseOs sintomas mais comuns da hepatite crônica C são:

1. Mal-estar,
2. Falta de apetite,
3. Intolerância ao álcool,
4. Dor abdominal no lado direito,
5. Icterícia (pele e olhos amarelos),
6. Extrema fadiga,
7. Falta de concentração e perda de memória,
8. Dores musculares e articulares.

Na verdade, não existe uma relação entre a gravidade dos sintomas e o grau de dano hepático.
Isto significa que algumas pessoas podem haver inflamação do fígado sem ter nenhum sintoma.
Cerca de um terço das pessoas com infecção crônica da hepatite C desenvolvem cirrose em um período de cerca de 20-30 anos.

A cirrose é como uma fibrose hepática, que pode causar problemas graves e insuficiência hepática quando é grave. Algumas pessoas com hepatite C crônica não têm sintomas durante muitos anos até quando se desenvolve a cirrose.
Algumas pessoas com cirrose podem desenvolver câncer de fígado.

 

Diagnóstico, quais exames servem?

Normalmente existem apenas dois exames de sangue ou análise que devem ser feitos para determinar se o paciente tem hepatite c crônica.
O primeiro exame que o médico realiza chama-se teste de anticorpos anti-HCV para ver se o corpo desenvolveu anticorpos contra o vírus.
Um resultado positivo significa que o sangue foi exposto ao vírus da hepatite C e desenvolve anticorpos para combater o vírus.
Aqueles com um exame de anticorpos positivo não significa que têm uma infecção crônica da hepatite C, mas podem ser portadores saudáveis.


Se o exame de anticorpos da hepatite C é positivo, o médico irá realizar um segundo exame quantitativo para ver se o vírus da hepatite C ainda está presente no corpo, além disso o primeiro poderia ser um falso positivo.

Ás vezes, o teste é incerto (zona cinzenta), ou seja os valores são apenas acima da norma, isto pode ocorrer se o paciente produziu anticorpos para reagir a outros tipos de infecções.
O exame mais importante é chamado exame de carga viral e (ou teste molecular para o RNA do vírus ).

Se o teste for positivo, se sofre de hepatite c crônica.
Não é necessaría uma biópsia do fígado para descobrir se está infectado.

 

Como interpretar os resultados dos testes de anticorpos para hepatite C?

1. Um teste de anticorpo não-reativo ou negativo significa que o paciente não está atualmente infectado com o vírus da hepatite C.
2. Um teste de anticorpos positivo ou reativo significa que uma pessoa foi infectada com o vírus da hepatite C no passado.
A maioria das pessoas que pega o vírus permanecem infectados e desenvolver a hepatite c crônica.
Quando uma pessoa foi infectada, permanece com o anticorpos da hepatite C no sangue por toda a vida.

Os valores das transaminases no sangue (enzimas GOT e GTP) não são suficientes para compreender se o fígado é inflamadoie se o paciente sofre de hepatite C.

Leia também