Sintomas da osteoporose e tratamento

 

INDICE


A osteoporose é uma doença que consiste na diminuição da densidade de proteínas e minerais no osso (DM0, Densidade Mineral óssea) e em particular do cálcio.
Muitas pessoas pensam que para haver ossos sólidos e resistentes é necessário comer: iogurte, queijo e produtos lácteos, mas as últimas pesquisas mostram que a verdade é exatamente o oposto.

Somente as crianças devem beber leite, os adultos não precisam desses alimentos para ser saudáveis, ao contrário o consumo habitual pode provocar a osteoporose porque aumenta o ph do sangue (acidose) e o corpo pega o cálcio dos ossos para restaurar o nível de ph adequado.

Exame do nível da escápula e ombro, dor, inflamação.

Controle postural do nível das omoplatas

Esta doença é caracterizada por uma alteração da estrutura interna: as trabéculas ósseas tornam-se mais finas e algumas são absorvidas completamente.

Se a osteoporose é grave, o tecido ósseo torna-se mais frágil e aumenta a predisposição a fraturas que podem ser provocadas por traumas leves.
É uma doença crônica e degenerativa que tende a piorar com o tempo, mas pode ser retardada e controlada com terapias adequadas.
A osteoporose representa um grande problema hoje e vai piorar ao longo do tempo devido a maior expectativa de vida.
O custo social e econômico da osteoporose é muito alto porque nesses pacientes a taxa de fratura é muito alta, a gestão de um idoso com uma fratura consiste em muito cuidado e muitas horas de assistência.

Os ossos mais facilmente fraturados devido à osteoporose são o punho, quadril e coluna vertebral porque eles são ossos de tipo esponjoso enquanto os de tipo compacto são menos propensos a lesões.
A osteopenia é o primeiro estágio da osteoporose na qual a redução de cálcio ósseo é mínima, portanto o risco de fratura é quase como em pessoas que têm uma boa massa óssea.


Classificação da osteoporose

Osteoporose primária ou ou de alto turnover ósseo
A osteoporose primária (ou primitiva) é uma doença senil que geralmente ocorre após a menopausa.
A osteoporose primitiva de tipo I é caracterizada por uma perda excessiva do osso trabecular (a área no centro do osso).
Os pacientes com osteoporose de tipo II também perdem o componente do osso cortical (camada externa e compacta), neste caso é mais provável uma fratura do fêmur e do pulso.
A redução dos níveis de hormônios femininos (estrogênio) é a causa da doença.

Osteoporose secundária ou baixo turnover ósseo
Entre os homens com osteoporose, cerca de 50% têm osteoporose secundária, ou seja causada por doenças ou medicamentos.
A ingestão prolongada de cortisona é a causa mais comum de osteoporose secundária em homens e mulheres.
Este medicamento serve para tratar muitas doenças crônicas, por exemplo: artrite reumatóide, insuficiência renal, lúpus eritematoso sistêmico, asma e doenças pulmonares crônicas como uma grave doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).músculos,posterior,coxa,ciático

 

Osteoporose juvenil idiopática
A oteoporose idiopática juvenil é rara. Ocorre na infância ou na adolescência entre 8 e 14 anos de idade ou durante os períodos de crescimento rápido.
Não existe uma causa conhecida para este tipo de osteoporose onde existe uma reduzida formação óssea ou uma perda óssea excessiva.


Quais são as causas da osteoporose?

A causa da osteoporose é a idade, especialmente para as mulheres porque na idade da menopausa, a diminuição da produção de estrogênio provoca uma maior absorção do osso em relação a neoformação.
Se você chega a menopausa mais cedo, ou seja antes da idade de 45 anos, a osteoporose será mais grave, ocorre muitas vezes após a cirurgia de ooforectomia.
Em idosos a formação de novo tecido ósseo também diminui nos homens, presume-se o aparecimento da doença em torno dos 50 anos para as mulheres e 65/70 para os homens.

A alimentação nos jovens e adolescentes é vital, uma adequada aquisição do pico de massa óssea (acúmulo de tecido ósseo) quando a pessoa é jovem, sofrera menos e mais tarde por causa da osteoporose.
As meninas que seguiram uma dieta rigorosa para ser magra e não criaram um osso forte, têm muito mais riscos do que os outros.
Outros fatores que predispõem ao desenvolvimento da osteoporose são:

  • Uma alimentação muito rica em cálcio (leite e produtos lácteos) não combate a osteoporose, na verdade a favorece
  • Um longo período de imobilização na cama não estimula a atividade dos osteoblastos, então a destruição do osso prevalece sobre a sua construção
  • Deficiência hormonal, particularmente o estrogênio para as mulheres, testosterona e somatotropina (hormônio de crescimento) para os machos
  • Gênero (masculino ou feminino), na verdade a osteoporose masculina é rara
  • Uma dieta pobre em vitamina C e D
  • Doença celíaca (causa a diminuição da absorção de cálcio e vitamina D, além disso é caracterizada pela presença de auto-anticorpos contra a proteína osteoprotegerina que serve para manter os ossos fortes)
  • Doença de Crohn e colite ulcerativa (causa má absorção intestinal)
  • Uma dieta rica em proteínas animais que aumenta o ph do sangue
  • Um estilo de vida sedentário e a total falta de atividade desportiva
  • A idade
  • A menopausa precoce ou em conseqüência da cirurgia

Osteoporose, osso, corcunda, sintomas, tratamento


Quais são as substâncias e os medicamentos que afetam a osteoporose?

Entre as substâncias ingeridas que favorecem o aparecimento da osteoporose estão:

  • Abuso de substâncias nocivas, tais como fumaça de cigarro e álcool
  • Cortisona
  • Medicamentos anticonvulsivantes
  • Ingestão prolongada de medicamentos como a heparina, metotrexato, etanol etc.


Quais são os sintomas da osteoporose?

A osteoporose em si é assintomática e silenciosa, mas pode causar uma fratura óssea ou colapso vertebral.
Em estágios avançados, você pode notar alterações anatômicas na coluna vertebral, tais como perda de estatura e aparência de hipercifose ou corcunda porque as vértebras mudam de forma (tornam-se semelhantes a uma cunha) ou colapsam.


Diagnóstico e exames adequados para a osteoporose do osso

A radiografia não é o exame mais preciso para a densidade óssea porque só depois de uma redução de minerais superior a 30% do normal é positiva.
O exame que permite verificar a densidade mineral óssea (DMO) do esqueleto e especialmente das partes mais afetadas (fêmur, punho, vértebras) é a densitometria óssea.
O médico prescreve a densitometria óssea aos indivíduos que tem fatores de risco com base na história clínica tais como:

  • Uma fratura espontânea ou fracturas múltiplas
  • Deficiência de estrogênio em mulheres na pós-menopausa
  • Distúrbios hormonais, tais como hipertireoidismo
  • Medicamentos que actuam negativamente no metabolismo ósseo.

Este exame é feito com aparelhos médicos que medem o conteúdo e a densidade mineral do osso.
O equipamento utilizado é similar ao de uma radiografia, mas a emissão de radiação é muito baixa, não é invasivo nem doloroso.

Densitometria óssea,Exame,vértebras,osteoporose,osteopenia,valores

DMO para uma senhora de 63 anos, que atingiu a menopausa aos 39 anos.

A duração do exame é de aproximadamente 10 minutos.
O paciente coloca a parte a ser testada no densitômetro e a máquina faz a medição.
As ferramentas utilizadas são baseadas em duas tecnologias: a absorciometria de feixe único de energia (single photon absorptiometry, SPA) e a DEXA que é semelhante a uma radiografia.
Além de DMO, os testes de laboratório são úteis para descobrir se há suscetibilidade à osteoporose e para verificar se o corpo responde à tomada de medicamentos.
Os exames de sangue e de urina servem principalmente para verificar o nível de cálcio sérico, fosforemia, fosfatase alcalina e paratormônio (PTH).


Como você interpreta os resultados da DMO? Quando se preocupar?

A DMO retorna uma pontuação ou “T score” com base na densidade óssea que é interpretada como segue:

  • Se os valores de T score estão entre + 1 e -1 o osso é normal;
  • Um T score entre -1 e -2.5 corresponde a uma densidade óssea mais baixa do que o normal, mas não é uma osteoporose grave, neste caso se trata de osteopenia;
  • O T score inferior a -2.5 indica a presença de osteoporose, esta categoria inclui as pessoas que sofrem de fraturas por pequenos traumas.

osteoporose,colapso vertebral,dor,fratura,ressonância

 

Qual é o tratamento mais adequado para osteoporose?

A osteoporose é um problema que deve ser abordado por vários profissionais porque as causas podem ser muitas.
O médico deve considerar a história médica do paciente, verificar se existem fatores de risco e controlar o nível hormonal para determinar se é apropriado começar a terapia de reposição hormonal após a menopausa.
Se a pessoa examinada já sofreu fraturas únicas, espontâneas ou fraturas múltiplas deve considerar a osteoporose como um grave distúrbio.
Uma fratura vertebral na região lombar pode causar dor constante, limitação de movimentos e a respiração pode tornar mais difícil.
O médico pode prescrever medicamentos que inibem os osteoclastos (células responsáveis pela demolição do osso) como fitoestrógenos ou vitamina D que serve para absorver o cálcio no intestino e também pode recomendar suplementos de magnésio.
Entre os suplementos de vitamina D, em farmácia pode ser encontrado o D-base.
Hoje, também são usados dos medicamentos denominados bifosfonatos que interagem com a hidroxiapatita e retardam ou inibem a ação dos osteoclastos


Dieta e remédios naturais para osteoporose

Os remédios naturais contra a osteoporose são: atividade física, uma dieta saudável e a exposição ao sol

A atividade física é útil para tratar ou prevenir a osteoporose?
A atividade física é um dos remédios naturais mais eficazes para controlar e prevenir a osteoporose prevalente por várias razões:

  • Melhora o equilíbrio e a coordenação, assim reduz o risco de quedas
  • Estimula o reforço e a deposição de cálcio nos ossos e aumenta a resistência em caso de trauma
  • Melhora a condição física geral e a condição cardiovascular.

As atividades mais indicadas são: caminhadas, dança, ginástica e exercícios para a coluna vertebral.
De acordo com o grau de osteoporose, se pode optar por uma atividade em relação a outra, a corrida lenta pode ser útil na primeira fase e no caso de osteopenia, mas se a osteoporose é séria você deve evitar porque tem risco de fratura do fêmur.
Entre os esportes indicados estão: natação e hidroginástica (ginástica na água) são atividades feitas na ausência de carga, então não favorece o equilíbrio e o reforço do osso.
No ciclismo, a carga é reduzida, por isso é um esporte que ajuda em caso de distúrbios de joelho e quadril, mas é ineficaz para a osteoporose.
É recomendável uma atividades em pé para dar o estímulo mecânico no osso que reage com a osteogênese.
O exercício deve ser regular para obter melhores resultados e para evitar fraturas, são necessárias 3 sessões por semana durante pelo menos 30 minutos.
É melhor evitar uma cinta ortopédica para a coluna dado que reduz o peso sobre a coluna vertebral e em seguida promove a perda de densidade óssea.


Quanto é importante a alimentação no tratamento e prevenção da osteoporose?

A alimentação é essencial para tratar e prevenir a osteoporose. Uma dieta rica em vitamina D é uma das melhores ferramentas para combater esta doença.
A vitamina D é solúvel em água e é encontrada principalmente em peixes, especialmente no óleo de fígado, também é encontrada na carne, manteiga, queijos gordos e gema de ovo.
Você não precisa tomar esta substância com comida porque o corpo pode sintetizar a vitamina D a nível da pele. Os raios ultravioletas do sol permitem a formação de vitamina D do precursor colesterol.
O metabolismo do cálcio é complexo, os ossos desempenham um papel importante no equilíbrio de sais minerais e extraem os sais básicos de cálcio para tamponar o ácido em excesso no sangue.
É importante um programa de alimentação que mantém o ph neutro do sangue, devemos evitar em particular a carne.


Diretrizes para a prevenção da osteoporose

De acordo com as orientações do Ministério da saúde, as ações úteis para a prevenção da doença são:

  • Quantidade de cálcio na alimentação adequada
  • Dieta equilibrada
  • A quantidade de Vit D deve ser de 400-600 UI/dia em adultos
  • Exercício regular contra a gravidade (uma caminhada, levantamento de pesos leves, subir escadas) adequado a idade pediátrica ou senil
  • Evitar fumo e álcool
  • Tratamento de doenças que causam osteoporose secundária
  • Prevenção de quedas em idosos com o uso da vara, sapatos com sola anti-derrapante, iluminação adequada dentro de casa, evitar tapetes, montar as alças ou outros apoios sobre as escadas e áreas de risco da casa

Leia também