Magnésio-propriedades e deficiência

INDICE


 
O magnésio é um mineral usado frequentemente na medicina natural.
É o quarto mineral mais abundante no corpo e é essencial para uma boa saúde.

Cerca de 50% do magnésio total do corpo é encontrado nos ossos.
A outra metade é encontrada principalmente dentro das células dos órgãos e tecidos do corpo.
Apenas 1% de magnésio é encontrado no sangue, mas o corpo trabalha para manter um nível hemático constante.
O magnésio é necessário para mais de 300 reações bioquímicas.
Esta substância ajuda a manter a função normal dos músculos e dos nervos, mantém o ritmo cardíaco estável, suporta o sistema imunológico e mantém os ossos fortes.
Além disso o magnésio também ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue, promove a pressão normal e é conhecido por ser envolvido no metabolismo energético e a síntese de proteínas.
Este sal mineral consumido na dieta é absorvido no intestino delgado e é excretado na urina.


 

Onde se encontra o magnésio?

As verduras de folhas verdes tais como espinafre são boas fontes de magnésio porque o centro da molécula de clorofila contém magnésio.
Alguns legumes são boas fontes: (feijões e ervilhas), nozes, sementes e grãos inteiros não refinados.
Geralmente os cereais refinados têm um teor de magnésio baixo: quando a farinha branca é refinada e processada, o germe e o farelo ricos neste mineral são removidos.
O pão feito com farinha de trigo integral contém mais magnésio comparado ao feito com farinha branca refinada.
A água da torneira pode ser uma fonte de magnésio, mas a quantidade varia: a água que contém mais minerais é aquela “dura”.
Comer uma variedade de legumes, nozes, grãos integrais e legumes ajuda a satisfazer às necessidades diárias de magnésio.

Fontes alimentares:
Os dez alimentos mais ricos em magnésio são:

  • Alga marinha
  • Amêndoas
  • Castanha de caju
  • Melaço
  • Trigo mourisco
  • Castanha do Brasil
  • Dulse
  • Avelãs
  • Milho
  • Nozes americanas


 

Para manter um elevado nível de magnésio e melhor evitar:

-Chá preto ou café comum e descafeinado
-Alimentos cozidos
-Álcool
-Produtos provenientes de rebanhos não-orgânicos que usam herbicidas e pesticidas que podem esgotar o magnésio do solo
-Açúcar refinada, xarope de milho e adoçantes artificiais
-Estresse prolongado
-Sal de mesa comum, é melhor substituí-lo com sal do Himalaia
-Água da torneira que contém fluoreto de sódio, é melhor usar um bom filtro para a água
-Alimentos refinados de qualquer tipo, incluindo produtos de soja não-fermentados.


 

Quando pode ocorrer uma deficiência de magnésio?

Embora algunhas pesquisas sugerem que muitos americanos não consomem a quantidade mínima de magnésio, os sintomas de deficiência de magnésio são raros nos Estados Unidos.
No entanto, há preocupação que muitas pessoas têm pouco magnésio porque não é absorvido adequadamente pelo corpo.
O estado de saúde do sistema digestivo e dos rins afetam drasticamente os níveis de magnésio.
Este é absorvido no intestino e então transportado através do sangue para as células e tecidos.
Os distúrbios gastrointestinais que provocam uma má absorção, tais como a doença de Crohn, podem limitar a capacidade do organismo de absorver o magnésio.

chá preto, magnésio, alimentos
Chá preto © Mary-camomila-Fotolia

Estes distúrbios podem empobrecer os depósitos e em casos extremos, causar estados de deficiência.

Os rins saudáveis são capazes de restringir a excreção urinária de magnésio.
Uma perda excessiva de magnésio na urina pode ser um efeito colateral de certos medicamentos e também pode ocorrer no caso de diabetes ou abuso de álcool.
Os primeiros sinais de deficiência de magnésio são: perda de apetite, náusea, vômitos, fadiga e fraqueza, enquanto nos casos mais graves tem dormência, formigamento, espasmos muscular e cãibras, convulsões, mudanças de personalidade, arritmias cardíacas e espasmo coronariano.
A falta de magnésio grave pode levar a baixos níveis de cálcio no sangue (hipocalcemia) e também está associada a baixos níveis sanguíneos de potássio (hipocalemia).


 

Ansiedade e magnésio

Durante os períodos de maior estresse e tensão o corpo usa uma quantidade de magnésio acima do normal, se você não tem suficiente magnésio, o resultado pode ser um estado de ansiedade.
Portanto, um suplemento durante este período pode resolver a ansiedade.


 

Quem precisa de um suplemento de magnésio?

Um suplemento de magnésio pode ser indicado quando um problema de saúde específico provoca uma perda excessiva deste sal mineral ou limita a absorção.
Alguns medicamentos podem causar uma carência, incluindo diuréticos, antibióticos e medicamentos usados para tratar o câncer (antineoplásicos).

Alguns exemplos são:

  • Diuréticos: Furosemida, hidroclorotiazida
  • Antibióticos: gentamicina e anfotericina b
  • Medicamentos antineoplásicos: cisplatina

Os indivíduos que podem se beneficiar de um suplemento de magnésio são:
-Os diabéticos, por causa da perda de magnésio na urina devido à hiperglicemia.
-As pessoas que sofrem de alcoolismo, onde em 30-60% dos casos exstem baixos níveis sanguíneos de magnésio.
-Os indivíduos com problemas de má absorção crônica como doença de Crohn, síndrome do intestino irritável e doença celíaca podem perder magnésio com a diarréia.
-Os indivíduos com baixos níveis sanguíneos de potássio e cálcio
-Os idosos, onde se reduz a absorção e aumenta a excreção renal do mineral por causa de alguns medicamentos.
-As pessoas com problemas com os dentes, unhas e cabelo, o magnésio é bom para a saúde dessas partes do corpo.

Os suplementos de magnésio podem ser encontrados em uma farmácia ou na farmácia de manipulação.


 

As necessidades diárias de magnésio são:

Crianças 1-3 anos de idade: 40-80 mg / dia
Crianças 4-8 anos: 130 mg / dia
Crianças 9 a 13 anos: 240 mg / dia
Homens 14 a 18 anos: 410 mg por dia
As fêmeas 14-18 anos: 360 mg por dia

As fêmeas grávidas com idades entre 14-18 anos: 400 mg por dia
Mulheres que amamentam ao seio com 14-18 anos: 360 mg / dia

Homens com 19-30 anos: 400 mg por dia
Fêmeas 19-30 anos : 310 mg por dia
Homens com mais de 31 anos: 420 mg por dia
Fêmeas com mais de 31 anos: 320 mg por dia



Mulheres grávidas de 19-30 anos: 350 mg / dia
Mulheres grávidas com mais de 31 anos: 360 mg por dia
Mulheres que amamentar ao seio de 19-30 anos : 310 mg por dia
Mulheres que amamentam ao seio com mais de 31 anos: 320 mg por dia


 

Propriedades de magnésio

O magnésio é utilizado para:

-Asma
Vários estudos mostram que o magnésio tomado por via intravenosa e inalado através de um nebulizador pode fornecer benefícios no tratamento do ataque agudo de asma nas crianças e adolecentes entre 6 e 18 anos de idade, bem como adultos; no entanto, não há nenhuma evidência que os comprimidos de magnésio ajudam a reduzir os sintomas de asma.
Baixos níveis de magnésio podem aumentar o risco de desenvolver asma.
Um estudo clínico em uma população de mais de 2.500 de crianças e adolecentes com idades entre 11 e 19 anos, mostrou que uma baixa ingestão de magnésio na dieta pode ser associado com o risco de asma.
O mesmo foi encontrado em um grupo de mais de 2.600 adultos com idades entre 18 e 70 anos.

-Depressão
Um nível insuficiente de magnésio parece reduzir os níveis de serotonina. Um estudo de 2008 mostrou que o magnésio é eficaz como os antidepressivos tricíclicos no tratamento da depressão entre as pessoas com diabetes.

-Diabetes
Muitas vezes, as pessoas com diabetes tipo 2 têm níveis baixos de magnésio no sangue.
Um grande estudo clínico com mais de 2.000 pessoas mostrou que uma maior ingestão de magnésio na dieta pode ajudar a proteger contra o aparecimento de diabetes tipo 2.
Alguns estudos sugerem que os suplementos de magnésio podem ajudar a controlar a quantidade de açúcar no sangue em pessoas com diabetes ou pré-diabetes.

-Fibromialgia
Um pequeno estudo preliminar com 24 pessoas com fibromialgia tem demonstrado que os comprimidos contendo ácido málico e magnésio melhoram a dor associada a fibromialgia se tomados pelo menos por 2 meses.
Outros estudos sugerem a combinação de cálcio e magnésio.

-Surdez causada por ruídos
Um estudo mostra que a ingestão de magnésio pode impedir a perda de audição permanente ou temporária devido a um barulho muito alto.

-Arritmia e insuficiência cardíaca
O magnésio é essencial para a saúde do coração. Os estudos sugerem uma ligação possível entre um menor risco de doença coronariana nos homens e o aumento na ingestão de magnésio.
O magnésio ajuda a manter um ritmo cardíaco normal e às vezes no hospital é administrado por via intravenosa para reduzir a probabilidade de fibrilação atrial e arritmias cardíacas (batimentos cardíacos irregulares).

As pessoas com insuficiência cardíaca congestiva (ICC) correm o risco de desenvolvimento de arritmia cardíaca; por esta razão, o médico pode recomendar um suplemento de magnésio.
Um estudo mostrou que tomando o orotato de magnésio durante um ano os sintomas são reduzidos e melhora a taxa de sobrevivência em pessoas com CHF quando comparado com aqueles que tomaram o placebo.
Magnésio e cálcio trabalham juntos com relatórios muito precisos para assegurar a função cardíaca adequada

Outros estudos têm confirmado o papel do magnésio no tratamento de pessoas com infarto anterior.
Alguns relataram taxas de mortalidade mais baixas, bem como menos arritmias e uma melhora na pressão arterial, mas outra pesquisa encontrou um risco aumentado de morte súbita ou outro ataque do coração ou a necessidade de contagem coronária (bypass) durante o ano seguinte ao ataque.

-Hipertensão
Comer diariamente em forma saudável e equilibrada, preferindo frutas e vegetais está associado a uma pressão sanguína mais baixa.

Muitos destes alimentos são ricos em magnésio, cálcio e potássio. Um grande estudo clínico com mais de 8.500 mulheres demonstrou que o aumento da ingestão de magnésio na dieta pode reduzir o risco de hipertensão.
Alguns estudos também sugerem que os suplementos de magnésio podem ajudar a haver uma pressão arterial baixa, embora nem todos os estudos concordam.

-Enxaqueca
Alguns estudos sugerem que os suplementos de magnésio fazem bem para a enxaqueca, para encurtar a duração e reduzir a quantidade de medicação necessária. As pessoas que sofrem de enxaqueca tendem a ter níveis baixos de magnésio.
Alguns especialistas também sugerem uma combinação de magnésio com vitamina B2 (riboflavina).
É muito útil também a ingestão de magnésio em mulheres com dores de cabeça relacionadas ao ciclo menstrual.

-Osteoporose
A falta de cálcio, vitamina D, magnésio e outros micronutrientes pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento da osteoporose. Para evitar isso, é essencial tomar uma quantidade justa destes elementos, seguir uma dieta equilibrada e fazer atividade física moderada ao longo da vida.

-Pré-eclâmpsia e eclâmpsia
A pré-eclâmpsia é caracterizada por um aumento da pressão arterial durante o terceiro trimestre da gravidez.
As mulheres com pré-eclâmpsia podem desenvolver convulsões, uma condição chamada de eclâmpsia.
O magnésio administrado por via intravenosa no hospital é o tratamento de escolha para prevenir ou tratar estas convulsões e para prevenir complicações da pré-eclâmpsia.

-Síndrome pré-menstrual
Estudos científicos mostram que os suplementos de magnésio podem ajudar a aliviar os sintomas associados a dor menstrual, especialmente, inchaço abdominal, insônia, pernas inchadas, ganho de peso e tensão nos seios. Estudos mostram uma boa sinergia entre magnésio e vitamina B6.

-Síndrome das pernas inquietas
Um pequeno estudo clínico realizado em 10 pacientes mostrou que o magnésio melhora a insônia relacionada com a síndrome das pernas inquietas (um distúrbio caracterizado por sensação de desconforto nas pernas que aumenta durante os períodos de inatividade, repouso ou enquanto se está sentado ou deitado).


 

De que forma se pode tomar o magnésio?

Comer grãos integrais, legumes e vegetais (especialmente folhas verdes) todos os dias ajuda a fornecer uma quantidade suficiente de magnésio e a manter os fornecimentos normais no corpo.
O magnésio encontra-se sob a forma de comprimidos, cápsulas e grânulos, que são úteis em caso de escassez, mas quando os níveis de sangue são muito baixos devem ser administrados por via intravenosa.

Por isso as pessoas com doença renal podem não conseguir expulsar a quantidade excessiva de magnésio, eles não devem tomar suplementos de magnésio a menos que prescritos por um médico.
O magnésio presente em suplementos orais está associado com outra substância, um sal que determina a biodisponibilidade e absorção: encontramos por exemplo, o óxido de magnésio, sulfato e carbonato.

Os suplementos de magnésio muitas vezes são vendidos juntamenta aqueles de potássio na farmácia.
Quem tem perdido muitos minerais pelo suor ou devido a doenças, precisa de ambos.


 

Possíveis interações:

O uso de magnésio deve ser sob rigorosa supervisão médica em caso de ingestão concomitante de:
-Aminoglicosídeos, para evitar a paralisia e a fraqueza neuromuscular.
-Antibióticos: os suplementos de magnésio podem reduzir a absorção das quinolonas, tetraciclinas e nitrofurantoína. O magnésio deve ser tomado 1 hora antes ou 2 horas depois de tomar estes medicamentos.
Os antibióticos quinolonas e tetraciclinas são:

  • Ciprofloxacin
  • Moxifloxacina
  • Tetraciclina
  • Doxiciclina

Os medicamentos anti-hipertensivos bloqueadores dos canais de cálcio, o magnésio pode aumentar o risco de efeitos colaterais negativos (por exemplo, tontura, náusea e retenção de água) em mulheres grávidas.
Exemplos de bloqueadores dos canais de cálcio:

  • Anlodipino
  • Diltiazem
  • Felodipina
  • Verapamil

-Medicamentos para diabetes, ingestão de magnésio presente em certos medicamentos antiácidos pode aumentar a absorção de outros medicamentos utilizados para controlar os níveis de açúcar no sangue.

Digoxina (Lanoxin), baixos níveis sanguíneos de magnésio podem aumentar os efeitos colaterais de digoxina, tais como náusea e palpitações no coração.
Além disso, a digoxina pode provocar o aumento da excreção renal de magnésio.

-Diuréticos, como furosemida e hidroclorotiazida podem reduzir os níveis de magnésio.

-Terapia de reposição hormonal

-Levotiroxina (Eutirox), um medicamento usado no tratamento de hipotireoidismo

-Alendronato (Fosamax), o magnésio interfere com a absorção de medicamentos
usado para a osteoporose, incluindo alendronato, portanto o magnésio ou medicamentos antiácidos que contêm magnésio devem ser tomados 1 hora antes ou 2 horas depois.

    Leia também