Tontura ou vertigem – sintomas e causas

O termo vertigem (ou tontura) é usado para descrever muitas sensações:

  • Atordoamento,
  • Entontecimento,
  • Fraqueza,
  • Instabilidade.
ÍNDICE

A vertigem pode ser causada por distúrbios no ouvido interno (vertigem periférica).
A sensação é a mesma que se sente ao olhar para baixo a partir de uma altura considerável.
As tonturas afetam mais as mulheres do que os homens.

De acordo com Marcelo B Antunes, MD (Resident Physician, Department of Otorhinolaryngology-Head and Neck Surgery, University of Pennsylvania Health System), o equilíbrio é o resultado de uma integração de informações provenientes de receptores sensoriais a nível de:

  • Aparelho vestibular (no ouvido interno),
  • Olhos,
  • Terminações nervosas proprioceptivas (que sinalizam a posição do corpo no espaço).

Estas informações são processadas:

  • No cerebelo,
  • No tronco cerebral.

A integração correta dos sinais provenientes dos nervos permite:

  • Uma caminhada reta,
  • Uma postura correta,
  • A focalização das imagens nos olhos.

A vertigem central pode ser causada por:

  • Uma lesão dos órgãos cerebrais do equilíbrio (tronco cerebral e cerebelo),
  • A falta de correspondência das informações sensoriais (a nível do córtex cerebral).

O nervo vestibular é o nervo do equilíbrio.
As lesões do nervo vestibular causam um desequilíbrio que pode influenciar a informação sensorial vestibular.
No entanto, isso pode ser compensado pelo nervo do outro lado e pelos núcleos vestibulares; por isso, os pacientes nunca têm vertigem violenta, mas podem ter uma sensação de instabilidade.

 

Notas sobre a anatomia da orelha e o mecanismo de equilíbrio

Os órgãos vestibulares da orelha são:

  • Utrículo,
  • Sáculo,
  • Três canais semicirculares.

Os canais semicirculares gravam o movimento giratório (rotação) da cabeça.
Eles são perpendiculares entre si e contêm um líquido chamado endolinfa.

nervo,auditivo,canais,semicirculares

Cada canal tem uma determinada função e grava os movimentos da cabeça para cima, para baixo, para um lado ou para o outro e as rotações.
Estes canais contêm células sensoriais ciliadas que se ativam com o movimento do fluido endolinfático.
Movendo a cabeça (por exemplo, ao inclinar a cabeça para um lado), as células sensoriais ciliadas enviam um impulso nervoso para o cérebro através do nervo auditivo.
O líquido endolinfático (no canal semicircular) move os otólitos.
Estes cristais deslizam sobre os cílios sensoriais na base do utrículo e do sáculo.

Os impulsos chegam ao tronco cerebral e à área do cerebelo.
Se os otólitos se soltarem das células ciliadas sensoriais, navegam pelo labirinto vestibular e podem causar tontura e problemas sérios de equilíbrio (vertigem posicional paroxística benigna).

 


Classificação da tontura

  • Na vertigem subjetiva, o indivíduo tem a sensação de estar girando.
  • Na vertigem objetiva, a pessoa sente o corpo parado mas é o quarto que gira em torno dela.

 

Tipos de tonturas com base na origem

1) A vertigem periférica é causada por um distúrbio do labirinto; a duração é curta, mas ocorre de repente.
Os distúrbios vestibulares periféricos são limitados:

  • Ao oitavo nervo craniano,
  • Ao ouvido interno.

Os pacientes também podem relatar uma perda de equilíbrio.

Muitas vezes ocorrem outros sintomas, tais como:

Neste caso, a vertigem é recorrente ou recidivante por um período e depois passa sozinha. (Timothy L. Thompson, MD – Departamento de Otorrinolaringologia – Cirurgia de Cabeça e Pescoço, Ochsner Clinic Foundation, Nova Orleans, LA).

Entre as doenças que causam vertigem periférica estão:

  1. Síndrome de Ménière
  2. Vertigem paroxística posicional benigna
  3. Neuronite vestibular
  4. Labirintite
  5. Schwannoma vestibular (tumor intracraniano)
  6. Fístula perilinfática (canal de comunicação anormal entre a orelha interna e o espaço perilinfático)
  7. Síndrome de Deiscência de Canal Semicircular Superior (falta do osso acima do canal semicircular superior)
  8. Trauma

2) A vertigem é definida central se a causa for uma doença ou uma lesão do sistema nervoso central. A doença é progressiva, mas dura muito tempo.
Os pacientes com vertigem central apresentam sobretudo problemas de equilíbrio e coordenação constantes, não vertigens propriamente ditas.
No entanto, isso nem sempre é verdade.
Muitas vezes, os pacientes não conseguem ficar de pé ou andar, enquanto os pacientes com vertigem periférica conseguem caminhar sem problemas.
Dependendo da lesão, podem ocorrer:

As doenças que podem causar esse sintoma são:

  • Acidente vascular cerebral isquêmico vertebrobasilar,
  • Insuficiência vertebrobasilar,
  • Esclerose múltipla.

 


Causas de tontura

Muitas causas não são graves e é possível curar os sintomas com simples mudanças na vida cotidiana.
Muitos dos sintomas desaparecem sem a necessidade de tratamento.
As causas mais frequentes de vertigem estão explicadas na lista abaixo:

Pressão arterial baixa
Na hipotensão ortostática a pressão sanguínea do corpo cai:

  • Ao levantar rapidamente,
  • Ao passar rapidamente da posição sentada para a posição deitada.

O corpo deve adaptar-se rapidamente a estas mudanças de posição.
Algumas pessoas precisam de alguns minutos para recuperar a pressão normal.
Enquanto a pressão arterial não se estabiliza, o indivíduo pode ter vertigem.

Desidratação
Outra causa de tontura repentina é a desidratação.
Quando o corpo não tem líquidos o suficiente, a pessoa sente:

  • Atordoamento,
  • Instabilidade,
  • Visão turva ou embaçada.

Durante o exercício físico, a falta de água pode causar um desequilíbrio no corpo.
O consumo de álcool causa desidratação.
Quando uma pessoa tem uma crise de vômito, diarreia, ou febre, pode ter tonturas.

Enxaqueca
Os sintomas da enxaqueca são os seguintes:

Também a luz ou ruído podem causar tontura.
Especialistas acham que as mudanças que ocorrem dentro dos vasos sanguíneos do cérebro sejam responsáveis pela enxaqueca. Muitas vezes quando a enxaqueca sara, a vertigem desaparece.
Para tratar a vertigem causada pela enxaqueca vestibular, o médico pode dar conselhos úteis sobre:

  • Dieta,
  • Estresse,
  • Como dormir à noite,
  • Exercícios para fazer.

Certos medicamentos podem prevenir a enxaqueca vestibular, aliviando a náusea e vômito.

Hipoglicemia
A glicemia baixa no sangue de pessoas que tomam insulina para tratar a diabetes pode causar tonturas e outros sintomas como:

  • Confusão,
  • Suor frio.

Medicamentos
Os medicamentos para abaixar a pressão arterial podem ser eficazes demais e podem fazer a pressão cair para níveis inferiores aos desejados, o que causa tontura.
Também os sedativos podem causar tonturas.

Gravidez
As mulheres podem sentir tontura e vertigem durante a gravidez.
Elas são causados por alterações que ocorrem no corpo da mulher.

De acordo com Webmd, o hormônio da gravidez progesterona causa vasodilatação (dilata os vasos sanguíneos); além disso, mais sangue vai para o útero.
As consequências são:

Também a posição pode fazer muita diferença.
Por exemplo, quando uma mulher grávida está deitada de costas, o útero comprime a veia cava inferior (que transporta o sangue da parte inferior do corpo para o coração).
Desta forma, impede o retorno do sangue ao coração e diminui ainda mais a pressão arterial.

Arritmia ou outros problemas cardíacos
O coração é o órgão que bombeia sangue para o corpo.
A falta de suprimento sanguíneo para o coração provoca dor no músculo cardíaco.
Também a arritmia (batimento cardíaco irregular) pode causar tonturas.

Depressão e ansiedade
Muitas vezes a ansiedade e a depressão causam tontura.
Os especialistas associam os distúrbios do pânico, ansiedade, depressão, etc. com as tonturas.
As pessoas deprimidas ou ansiosas frequentemente têm tonturas.

Outros sintomas da depressão são:

  • Ataques de ansiedade
  • Ataques de pânico
  • Pseudovertigens

A ansiedade afeta o sistema respiratório e causa hiperventilação.
Lembramos que as tonturas também são causadas por comprimidos para tratar a depressão.

Vertigem de origem cervical
Entre as causas de tontura de origem cervical estão:

Exame neurológico, olhos, tontura

Problemas no ouvido
Muitas causas de vertigem são causadas por distúrbios dos ouvidos.
Alguns problemas no ouvido interno causam:

  • Falta de equilíbrio,
  • Vertigem.

O neurinoma do nervo acústico é uma massa benigna no nervo acústico.
Este nervo conecta o cérebro com o interior do ouvido. Esta condição provoca tonturas.
Síndrome de Ménière também provoca os mesmos sintomas.
Quando acontece a acumulação de líquido na região da orelha interna, esta doença pode ocorrer.
A neurite vestibular aguda é uma inflamação do nervo vestibular e pode causar tontura por vários dias.
Os sintomas dessa patologia são os seguintes:

  • Náusea,
  • Vômito,
  • Falta de equilíbrio.

A labirintite é uma desordem do ouvido que inflama o labirinto. A labirintite provoca fortes ataques de vertigem e outros sintomas, incluindo:

  1. Surdez,
  2. Vômito,
  3. Zumbido (ou assobio nos ouvidos).

Disfunção da articulação temporomandibularmaloclusão,mandíbula
O osso da mandíbula está ligado ao osso temporal (aquele que contém os órgãos do ouvido).
Se um osso estiver mal posicionado ou não estiver bem alinhado com o outro, podem ocorrer vários sintomas, incluindo:

Vertigem paroxística posicional benigna (VPPB)
É uma desordem causada pelo deslocamento de otólitos (pequenos cristais de carbonato de cálcio) dos órgãos otolíticos (utrículo e sáculo) aos canais semicirculares do ouvido interno.
Os sintomas ocorrem durante certos movimentos, especialmente de manhã.

Durante a noite, se a pessoa dormir com um travesseiro, a cabeça fica levantada com um ângulo de cerca de 30° em relação ao plano da cama.
Nessa posição, a mácula do utrículo está localizada exatamente acima da cúpula do canal semicircular posterior.
Se os otólitos se soltarem, podem descer na ampola (a porção do canal semicircular posterior onde estão os receptores de posição com os estereocílios).

Ao despertar, quando a pessoa levanta da cama, o deslocamento da endolinfa e dos otólitos (que não deveriam estar ali) causa uma solicitação excessiva da cúpula do canal semicircular.
A consequência é a tontura.
Também a falta de otólitos ao nível da mácula no utrículo pode promover o aparecimento de vertigem.

Colesteatoma
É uma formação benigna na orelha média que pode se estender para dentro e pode interferir com:

  • O aparelho vestibular,
  • O aparelho auditivo ou cóclea.

Se o colesteatoma afetar a cóclea, causa uma surdez neurossensorial irrecuperável (mesmo com a prótese).
Se invadir o aparelho vestibular, provoca vertigem objetiva com:

  • Náusea,
  • Vômito.

Existe um sinal especial que facilita o diagnóstico.
O canal semicircular lateral localizado na parede medial do ouvido médio é o mais afetado.
Se esse canal estiver danificado:

  • Ocorre a erosão do labirinto ósseo.
  • A consequência é a exposição do labirinto membranoso (não está mais protegido pelo osso).

Forma-se uma fístula labiríntica que conecta o labirinto com a orelha média.
Uma pressão (mesmo leve) no ducto provoca o aparecimento de uma vertigem muito violenta.
É o sinal da fístula.

Problemas cardiovasculares
Os principais distúrbios cardiovasculares que causam vertigem estão indicados abaixo:

 

Outras causas de tontura

  • Fumar um cigarro; depois de fumar uma tontura leve dura alguns segundos
  • A droga
  • Alergia – pode causar o bloqueio da trompa de Eustáquio e, portanto, o acúmulo de líquido inflamatório na orelha. A consequência é a perda de equilíbrio porque na orelha estão presentes os órgãos do equilíbrio.
  • Gripe – existem medicamentos anti-histamínicos para a gripe que podem causar tontura, por exemplo, a difenidramina (Difenidrin).
  • Resfriado
  • Tumor ou metástases no cérebro
  • Hemorragia interna ou menstruação abundante (em caso de anemia ou pressão arterial baixa)
  • Síndrome pré-menstrual (antes do ciclo menstrual ou durante a ovulação devido a alterações hormonais)
  • Após comer ou quando a pessoa está sob estresse o corpo leva mais sangue aos músculos e ao estômago; portanto, o cérebro recebe uma menor quantidade e isso pode causar uma leve tontura.

 


Tontura no idoso

Muitas vezes, um paciente está bem ao levantar da cama, mas a vertigem aparece depois de um tempo.
Por exemplo, o paciente não tem problemas em casa, mas não consegue fazer compras ou uma caminhada ao ar livre.
Neste caso, fala-se de instabilidade.

No paciente idoso, as causas são muitas, por exemplo:
1) A rigidez músculo-esquelética, um corpo rígido que vibra em alta frequência pode ser percebido pelo sistema vestibular como instabilidade (por exemplo, doença de Parkinson);
2) A pessoa idosa sofre frequentemente de presbiacusia (perda auditiva progressiva ligada à idade) e presbiataxia (degeneração progressiva do sistema vestibular com redução dos reflexos labirínticos);
3) Muitas vezes o paciente tem distúrbios que causam baixa visão (catarata, maculopatia, etc.); a consequência é que a visão não pode compensar o declínio da função labiríntica;
4) Entre as possibilidades existem distúrbios neuropáticos periféricos, como a neuropatia sensório-motora dos membros inferiores que causa perda de sensibilidade na sola do pé.
Neste caso, o paciente percebe a instabilidade sobretudo:

  • Quando fecha os olhos,
  • À noite,
  • Ao caminhar sobre terrenos irregulares.

5) A vertigem psicogênica é considerada quando o paciente:

  • Não consegue descrever precisamente a sensação de instabilidade ou vertigem,
  • Muda a versão dos fatos continuamente,
  • Usa termos genéricos.

 


Tontura em crianças

As crianças podem se sentir instáveis, fracas ou ter tontura.
Muitas vezes as torturas são acompanhadas de outros sintomas:

De acordo com um estudo de A.P. CASANI et al. (Department of Medical and Surgical Pathology, Otorhinolaryngology Unit, Pisa University Hospital, Italy), as causas mais frequentes de vertigem em crianças são as seguintes:

  1. Enxaqueca vestibular (38%),
  2. Labirintite aguda/neuronite vestibular (16%),
  3. Somatização (16%),
  4. Vertigem paroxística posicional benigna (11%),
  5. Torcicolo paroxístico (2%),
  6. Pós-traumática: canalolitíase do canal semicircular posterior (8%),
  7. Síndrome de Ménière (5%),
  8. Vertigem crônica idiopática (2%).

A hipoglicemia é uma outra causa de tontura.
A hipoglicemia provoca as seguintes consequências:

  • Pouca energia,
  • Fadiga,
  • Confusão,
  • Tonturas.

Neste caso, o tratamento é simples: um pouco de água e açúcar pode melhorar os sintomas.

Também a insolação ou a desidratação podem causar tontura.
As crianças que têm anemia, arritmia cardíaca e diabetes são mais propensas a ter vertigem.

 


Tontura e visão turva

Causas:

  • Tumor cerebral
  • Diabetes
  • Desidratação
  • Pressão alta/baixa
  • Esclerose múltipla
  • Enxaqueca
  • Ataques de pânico.

 


Tontura repentina

As principais causas de tontura repentina são as seguintes:

  • Desidratação,
  • Pseudovertigem (psicogênica),
  • Pressão arterial baixa,
  • Acidente vascular cerebral.
  • Alguns medicamentos (antibióticos, oncológicos, analgésicos, inibidores de COX-2, cardiovasculares, etc.).

 


Causas de tontura de manhã

  • Infecções do ouvido interno,
  • Problemas vestibulares,
  • Distúrbios sensoriais,
  • Enxaqueca,
  • Esclerose múltipla,
  • Pressão arterial baixa,
  • Tontura psicogênica ou funcional causada pela ansiedade (os sintomas incluem aumento da frequência cardíaca, transpiração excessiva e tremores),
  • Movimentos rápidos,
  • Acidente vascular cerebral.

 

A tontura quando a pessoa se levanta é causada pelos seguintes motivos:

  • Problemas de circulação,
  • Efeitos colaterais dos medicamentos,
  • Traumatismo craniano,
  • Hemorragia interna,
  • Alterações hormonais,
  • Ansiedade,
  • Ataques de pânico,
  • Depressão,
  • Enxaqueca,
  • Anemia,
  • Desidratação.

Leia também