Pancreatite aguda e crônica

Autor: Dr. Giovanni Defilippo – médico cirurgião

ÍNDICE


A pancreatite (aguda e crônica) é uma doença grave caracterizada pela inflamação do pâncreas.
O pâncreas é uma glândula grande, localizada atrás do estômago e do duodeno (a primeira parte do intestino delgado).

 

Fisiopatologia (desenvolvimento) da pancreatite

Durante o processo normal de digestão, as enzimas do pâncreas em forma inactiva são liberadas no intestino delgado através do ducto pancreático.
Tornam-se ativo no duodeno.
No caso de pancreatite, as enzimas são ativadas dentro do pâncreas e começarem a digerir os tecidos pancreáticos.
Este processo é conhecido como auto-digestão e pode causar a inflamação do pâncreas e necrose (morte celular).

Em condições normais, o pâncreas tem as seguintes defesas:

  • No pâncreas, as enzimas estão contidas dentro das organelas e são inativas;
  • No órgão e no sangue existem alguns inibidores, por exemplo:
    • O inibidor da tripsina,
    • α1-antitripsina,
    • α2-macroglobulina.
  • O fluxo pancreático contínuo evita a estase que pode causar a ativação enzimática,
  • O esfíncter de Oddi previne o refluxo de sucos no pâncreas.

Na papila duodenal, o ducto pancreático está localizado próximo (às vezes é unido) ao ducto biliar comum.
Assim, os sucos pancreáticos se misturam com a bile no duodeno.
O suco pancreático tem um pH alcalino (7,9-8,6) e é composto de:

  • Água e eletrólitos (97%),
  • Bicarbonato, é o principal elemento dissolvido e aumenta o pH,
  • Proteína: enzimas digestivas (3%).

Isso é necessário para reduzir a acidez dos alimentos que foram digeridos no estômago, onde o ambiente é muito ácido.
O pH alcalino duodenal é um ambiente ideal para a atividade enzimática.

Componente proteico

Enzimas proteolíticas
  • Tripsina,
  • Quimotripsina
  • Elastase
  • Carbepteptidase A e B
Enzimas glicolíticas α-amilase
Enzimas lipolíticas Lipase pancreática

 

Pâncreas,fígado,duodeno,estômago,vesícula biliar,Pancreatite,ductoNormalmente, as enzimas são ativadas na passagem do pâncreas para o duodeno. No entanto quando o pâncreas está inflamado, as enzimas são ativadas no próprio tecido do pâncreas.

Em vez de decompor os lipídios no duodeno, a lipase ataca o tecido pancreático.

O mesmo acontece com as outras enzimas.

 

Hipocalcemia e pancreatite

Uma parte do hidrogênio e do cálcio está ligada à albumina na corrente sanguínea.
As pessoas com pancreatite sofrem de vômito e isso pode causar alcalose (aumento do pH no sangue).
O corpo reage com o descolamento de íons de hidrogênio da albumina para recuperar o nível de pH correto no sangue.
Assim, há uma quantidade maior de albumina livre que pode ser ligada ao cálcio.
Desta forma, o cálcio livre no sangue é reduzido.

Enzimas proteolíticas (que quebram as proteínas) podem causar a destruição dos hormônios da paratireoide circulantes, e a glândula paratireóide pode não produzir quantidades suficientes de hormônios.
Estas são consideradas as principais causas de hipocalcemia persistente na pancreatite aguda. (7)

 


Classificação

A pancreatite pode ser de dois tipos: aguda e crônica.

  • Na pancreatite aguda ocorre a inflamação súbita do pâncreas devido à ativação de enzimas pancreáticas dentro do órgão;
  • Na inflamação crônica é observada a reincidência (recaída) e a fibrose de órgãos (substituição de tecido específico por tecido conjuntivo fibroso).

A pancreatite crônica é dividido em:

  1. Álcool,
  2. Não alcoólico,
  3. Ligado a alterações anatômicas.

Entre os pancreatitos não alcoólicos estão os seguintes tipos:

  1. Tropical,
  2. Hereditário
  3. Metabólico,
  4. Crônica auto-imune (PCA) é uma doença inflamatória que ocorre porque o sistema imunológico do corpo ataca equivocadamente o pâncreas.

A pancreatite aguda pode ser de dois tipos (1):

  • Pancreatite edematosa (forma leve)
    É o tipo mais leve e freqüente, é caracterizada por inflamação e as vezes uma pequena área de necrose de lipídios (focal). O órgão fica maior e a liberação das enzimas não causa alterações importantes.
  • Pancreatite necrótica hemorrágica aguda (forma grave)
    A pancreatite necrotizante hemorrágica aguda.
    É uma doença grave e mortal.
    Há alterações anatômicas importantes e a mortalidade é de até 60-70% dos pacientes. Também pode causar uma falha de outros órgãos.

Entre os sinais da pancreatite hemorrágica aguda estão:

  • Vômitos
  • Doenças do coração
  • Choque cardiovascular
  • Necrose pancreática aguda, ou a destruição das ilhotas de langerhans no pancreas

 


Causas de pancreatite

As 2 principais causas de pancreatite, ou seja a formação de cálculos biliares (2) e alcoolismo (3) representam 80% dos casos.
A pancreatite causada por alcoolismo ocorre devido à ingestão de bebidas alcoólicas por muito tempo.
O álcool:

  • Estimula a produção de enzimas que digerem as proteínas,
  • Reduz a secreção de bicarbonato,
  • Provoca a redução dos inibidores da enzima pancreática.

A formação de cálculos biliares na vesícula biliar pode causar o bloqueio no ducto pancreático e o acúmulo dos sucos digestivos dentro do pâncreas.
A obstrução dos canais biliares além da conjunção entre o ducto biliar comum e o ducto pancreático causa o refluxo da bile para os ductos pancreáticos.
A bile ataca os lipídios das membranas celulares causando lesões.
O fumo é um dos fatores de risco, portanto é necessário parar de fumar.

Outras causas:

 

A pancreatite pode desenvolver-se por razões diferentes, dependendo se é aguda ou crônica.

Pancreatite aguda
As principais causas de pancreatite aguda são:

  1. Os cálculos biliares,
  2. As doenças da vesícula biliar,
  3. O alcoolismo.

Entre as outras causas estão:

  • Um exame diagnóstico ou uma intervenção cirúrgica no ducto biliar;
  • Lesões traumáticas que causam uma lesão nos ductos pancreáticos ou biliares;
  • Estrutura anormal do pâncreas;
  • Fatores genéticos;
  • Hipertrigliceridemia (níveis elevados de lipídios no sangue);
  • Alguns medicamentos como a cortisona, diuréticos tiazídicos, ácido valproico, salicilatos e estrogênio podem causar a pancreatite;
  • Algumas infecções bacterianas ou virais como caxumba, pneumonia por Mycoplasma e vírus coxsackie B;
  • Venenos: escorpião, pesticidas anticolinesterásicos;
  • Causa idiopática (a razão é desconhecida).

Geralmente, em crianças (9) a pancreatite aguda é causada por:

  • Fibrose cística,
  • Caxumba ou outras infecções,
  • Trauma abdominal,
  • Síndrome de Reye,
  • Doença de Kawasaki,
  • Artrite reumatóide juvenil,
  • Lupus,
  • Sepse,
  • Púrpura de Henoch-Schönlein,
  • Anorexia nervosa,
  • Alergia alimentar,
  • Doença intestinal inflamatória
  • Hipercalcemia,
  • Diabetes,
  • Deficiência de α1 antitripsina,
  • Desnutrição,
  • Deficiência de vitaminas A e D,
  • Síndrome hemolítico-urêmica.

Pancreatite crônica
Mais frequentemente, a pancreatite crônica é causada por abuso de álcool por tempo prolongado.
Algumas outras doenças podem levar a pancreatite crônica, tais como:

  • A estenose (o estreitamento) ou obstrução do ducto pancreático devido a um trauma,
  • A formação de pseudocistos,
  • Hiperparatireoidismo,
  • Hipercalcemia (pode promover a formação de calcificações),
  • Hiperlipidemia,
  • Desnutrição,
  • Doenças auto-imunes,
  • Uma doença genética (hereditária),

Em alguns casos é idiopática (causa desconhecida).

 


Sintomas da pancreatite

Pancreatite aguda
Os sintomas mais freqüentes da pancreatite aguda são:

A dor abdominal é entre o umbigo e as costelas.
A dor nas costas pode ser sentida em uma faixa horizontal logo abaixo das omoplatas.

Freqüência dos sintomas

Dor abdominal 95%
Vômito 60%
Íleo paralítico * 50%
Abdome não palpável
(por causa da dor)
40%
Febre 60%
Icterícia ** 10-15%
Massa palpável 10%
Choque e hipotensão 30%
Necrose Adiposa / Tromboflebite <1%

* Bloqueio da progressão do conteúdo intestinal

** Em caso de edema (inchaço) da cabeça do pâncreas, pode ocorrer a compressão do ducto biliar comum. A conseqüência é icterícia.

Pancreatite crônica
Muitos sintomas de pancreatite crônica são semelhantes aos da pancreatite aguda, mas outros podem aparecer quando a inflamação pancreática persistente piora com o tempo.
Os sintomas da pancreatite crônica incluem:

Leia também

 

Bibliografia

1. Thoeni RF. – The revised Atlanta classification of acute pancreatitis: its importance for the radiologist and its effect on treatment – Radiology. 2012 Mar;262(3):751-64. doi: 10.1148/radiol.11110947.
2. Jovicic I, Petronijević L, Denić L, Golubović G, Kontić M. Epidemiology of acute pancreatitis in Belgrade. Pancreatology. 2009;9:510.
3. Munsell MA, Buscaglia JM. Acute Pancreatitis. J Hosp Med. 2010;5:241–250.
4. Condon JR, Ives D, Knight MJ, Day J. – The aetiology of hypocalcaemia in acute pancreatitis Br J Surg. 1975 Feb;62(2):115-8
5. Mitsuyoshi Suzuki, Jin Kan Sai, and Toshiaki Shimizu. Acute pancreatitis in children and adolescents. World J Gastrointest Pathophysiol. 2014 Nov 15; 5(4): 416–426.