Inflamação aguda e crônica

INDICE

A inflamação é uma reação natural e não especifica que ocorre no organismo a causa de um trauma, queimadura, uma lesão, infecção viral ou bacteriana e outras situações de perigo para o corpo.


Quando alguma coisa de irritante ou prejudicial atacam uma parte do corpo, há uma resposta biológica ao tentar removê-lo.

Os sinais e sintomas de inflamação (processo inflamatório) aguda mostram que o corpo está tentando se curar.

Inflamação aguda e crônica
A inflamação não significa infecção, embora isso possa causar inflamação.
A infecção é a invasão de bactérias, vírus ou fungos, enquanto que a inflamação é a resposta do corpo a este tipo de agressão.


 

Qual é a diferença entre a inflamação aguda e crônica ?

Inflamação aguda

A inflamação aguda é iniciada a partir de alguns segundos a alguns minutos após a lesão de tecidos, por exemplo logo que ocorre uma lesão no joelho.
O dano pode ser puramente físico ou pode resultar da activação de uma resposta imune.

Ocorrem três processos principais:

  • Aumento do fluxo sanguíneo devido à dilatação dos vasos sanguíneos (arteríolas), que chegam aos tecidos
  • Aumento da permeabilidade dos capilares que permitem que as proteínas do sangue se movem nos espaços intersticiais (entre as células)
  • A migração de neutrófilos (e possivelmente alguns macrófagos) a partir de capilares e vénulas dentro dos espaços intersticiais.

Os dois primeiros efeitos são visíveis por alguns minutos após um arranhão que não rompe a pele.
No primeiro estante, o sinal é visível como uma linha vermelha pálida.
Em seguida, poucos milímetros ao lado dos arranhões, o tecido torna-se vermelho, logo que o fluxo sanguíneo aumenta localmente.
Finalmente si crea um edema, isso significa que a área incha com a acumulação de fluido nos espaços intersticiais da região.

1) Marginação, rolamento e adesão
O endotélio do vaso sanguíneo é a parede interna das artérias.
Inicialmente, os neutrófilos (um tipo de células brancas do sangue) se ligam ao endotélio dos vasos sanguíneos.
A ligação é provocado por algumas moléculas denominadas moléculas de adesão celular (CAM) que são encontradas na superfície de neutrófilos e células endoteliais nos tecidos lesionados. A associação ocorre em duas etapas.

  • No primeiro caso, as moléculas de adesão denominadas selectinas ligam os neutrófilos às células do endotélio arterial e os glòbulos brancos começam a rolar ao longo da superfície dos vasos sanguíneos.
  • Na segunda fase, os neutrófilos criam uma ligação mais estreita nas células endoteliais

As vezes, se forma pus na zona em que há uma inflamação aguda, especialmente até que um corpo estranho permanece no tecido.
A análise do pus mostra que é rico em neutrófilos.

2) Diapedese
Diapedese é a saída das células de sangue das veias e artérias através das paredes de vasos de pequeno calibre.

3) A quimiotaxia
Quimiotaxia é o movimento para perto ou para longe de uma determinada substância.
Depois que os neutrófilos são liberados a partir de vasos sanguíneos, são atraídos para uma alta concentração de vírus e bactérias, em seguida dirigem-se a infecção.

A fagocitose
Os neutrófilos reconhecem e ingerem bactérias e vírus, encaixá-los dentro de vesículas onde vão morrer.

 

Inflamação crônica

A inflamação crônica significa inflamação no longo prazo, na verdade, pode durar vários meses e até anos, por exemplo, muitos conhecem a inflamação crônica da próstata.

Esta doença pode ser causada por:

  • A incapacidade de eliminar a causa de uma inflamação aguda,
  • Uma resposta auto-imune, ou seja o sistema imunitário ataca os tecidos saudáveis confundidos com agentes patogénicos prejudiciais,
  • Uma substância irritante em contacto com o corpo que permanece,
  • Exemplos de doenças com inflamação crónica são: asma, úlcera péptica, tuberculose, artrite reumatóide, doença de Crohn, sinusite crónica e hepatite crónica activa.

As infecções, ferimentos e danos aos tecidos não curam sem uma inflamação.
No entanto, a inflamação crônica pode eventualmente causar doenças diferentes: alguns tumores, artrite reumatóide, aterosclerose e febre do feno.
Eliminar uma inflamação crônica é muito mais difícil e o tempo são muito mais longos.
Quantas pessoas sofrem de dor na coluna crônica ou sinusite crônica? Se você toma um antiinflamatório e fosse suficiente para resolver o poblema, estaríamos todos felizes e contentes, infelizmente às vezes por outras razões não se pode curar bem.
No caso da coluna pode ser a postura, um problema no pè que afeta a coluna vertebral, ou uma desordem de órgãos e vísceras.
Enquanto a causa não for eliminada, a inflamação permanece apesar da medicação.


 

Comparação

 Inflamação, dor, inchaço, vermelhidãoInflamação aguda
Causas : bactérias nocivas ou lesão tecidual.
Aparecimento (quando a inflamação começa): imediatamente.
Duração: curtas, apenas alguns dias.
Resultados, a inflamação melhora (resolução), pode se tornar um abscesso ou uma inflamação crônica

A inflamação crônica
Causas :organismos patógenos não degradáveis que causam inflamação persistente, infecção por determinados tipos de vírus, corpos estranhos não expulsos, reações do sistema imunológico hiperativo.
Duração: vários meses ou anos
Resultados: a destruição do tecido e a formação de cicatrizes, o espessamento do tecido conjuntivo (fibrose) e a morte de células ou tecidos (necrose).


 

Os cinco sinais de inflamação aguda

A inflamação se manifesta com cinco sinais diferentes :


  • Dor – a área inflamada é provável que seja dolorosa, especialmente ao toque. Algumas substâncias químicas que estimulam as terminações nervosas são liberadas e tornam a área mais sensível.
  • Vermelhidão – isto é porque os capilares são preenchidos com o sangue.
  • Imobilidade – pode haver uma perda de funcionalidade.
  • Inchaço (ou edema) – causado por uma acumulação de líquido, a área incha porque o fluido acumula-se nos espaços intersticiais.
  • Calor – a mesma razão pela qual se forma a vermelhidão, mais sangue na área afetada que se sente quente ao toque.

 

Porque a inflamação provoca dor?
Quando as pessoas têm uma inflamação, muitas vezes faz mau, sente dor, rigidez e talvez agonia, dependendo da gravidade.
A dor pode ser constante e estável.
A inflamação provoca dor porque o inchaço empurra contra as terminações nervosas sensíveis (nociceptores) que enviam sinais de dor ao cérebro. As terminações nervosas enviam sinais de dor para o cérebro ao longo do dia, no entanto, o cérebro ignora a maioria delas, a menos que aumenta a pressão contra as terminações nervosas.

Inflamação e doenças auto-imunes
Uma doença auto-imune é uma doença em que o corpo inicia uma resposta imunitária contra o tecido saúdavel, confudindo com os organismos patogénicos prejudiciais ou irritantes. Assim, o sistema imune desencadeia uma resposta inflamatória.
Há centenas de doenças auto-imunes e quase todas têm os sinais característicos da inflamação, listamos alguns exemplos.

Artrite Reumatóide – é uma inflamação das articulações, os tecidos que estão ao redor e às vezes de alguns órgãos do corpo.

Espondilite anquilosante – é uma inflamação das vértebras, músculos, ligamentos e também das articulações sacroilíacas (entre o sacro e pelve) que pode causar uma leve febre.

Doença celíaca é a inflamação e destruição da parede interior do intestino delgado.

Doença de Crohn – è uma doença do tracto gastrointestinal torna-se inflamada. A inflamação é mais comum no íleo (intestino delgado), mas pode ocorrer em qualquer ponto do tracto gastrointestinal a partir da boca ao ânus.

Doença de Graves um dos sinais é o bócio se a glândula tireóide está inflamada. O exoftalmo é a inflamação dos músculos por trás dos olhos.

A fibrose pulmonar idiopática – o papel da inflamação é incerto. Especialistas acreditam que a fibrose pulmonar idiopática é causada pela inflamação dos alvéolos (pequenos sacos nos pulmões). No entanto, os tratamentos para reduzir a inflamação são muitas vezes decepcionantes.

Lúpus – pode causar inflamação nas articulações, pulmões, coração, rins e pele.

Psoriase  há uma inflamação da pele. Em alguns casos, tais como a artrite psoriática, se podem inflamar as articulações e o tecido que as rodeia.

Diabetes tipo 1 a inflamação em várias partes do corpo são provável se a diabetes não é bem controlada.

Doença de Addison – inflamação das glândulas supra-renais.

Vasculite refere-se a um grupo de doenças em que a inflamação eventualmente destrói os vasos sanguíneos, artérias e veias.

Rejeição do transplante – já há uma inflamação significativa causada pela operação de transplante. Se o sistema imunitário do receptor do órgão rejeita o corpo estranho, se forma uma inflamação em torno ao órgão doado.

Várias alergias – todas as alergias são caracterizadas por inflamação. A asma é a inflamação das vias respiratorias, na febre do feno o nariz, orelhas e membranas mucosas da garganta incham, enquanto as pessoas que são alérgicas a picadas de abelha podem haver uma grave inflamação que afeta todo o corpo (anafilaxia).


 

Os fatores que contribuem para a inflamação

Muitos fatores desempenham um papel importante na formação e manutenção da inflamação no corpo, incluindo desequilíbrios físicos, dieta, alergias, privação do sono, o excesso de peso e idade.

Condição física. Um alinhamento postural incorreto das articulações desempenha um papel importante nas doenças inflamatórias.
O ombro em rotação interna, a flexão do tórax e a rotação externa do quadil são problemas de mau postura que provocam dor ou danos a áreas que ficam inflamadas (Sahrmann 2001).


 

 

Mau alimentação

Mau, alimentação, dieta, inflamações, promove, dorMau alimentação. Um grande fator que contribui para a inflamação é a dieta ocidental que é rica em gorduras saturadas e insaturadas, carboidratos simples e proteínas de origem animal (Sears 2005; Appleton 2004; Meggs, 2004).
A American Dietetic Association (ADA) não aconselha este tipo de alimentos que promove o câncer, doenças cardiovasculares, infarto cerebral e outras doenças auto-imunes (ADA 2007).

Hipersensibilidade e alergias alimentares que contribuem para a inflamação
As alergias alimentares mais comuns são ao glúten de trigo, nozes ou frutos do mar.
Intolerâncias alimentares podem produzir reações inflamatórias a determinados alimentos, por exemplo, a base de produtos lácteos, milho, soja, trigo, açúcar e nozes (Meggs, 2004).

Outros alergénios. Alèm aos alimentos existem outros alérgenos, tais como produtos químicos, poeira, mofo e pólen que podem provocar a liberação de neurotransmissores químicos chamados histaminas pelo sistema imunitário que desencadeiam um processo inflamatório nos vasos sanguíneos.
A reação alérgica pode ser leve (por exemplo, coçeira, muco no nariz) ou mais grave (ex.: Aumento da pressão arterial, inchaço, falta de ar). Os poluentes ambientais, ruído e produtos de limpeza podem aumentar a inflamação ( Meggs 2004; Appleton, 2004).

Insônia. A falta de sono está associada com a inflamação.
O sono é o momento em que o corpo se recupera tanto mentalmente quanto fisicamente.
É por isso que os especialistas recomendam 7-9 horas de sono a cada noite para funcionar optimamente.
Estudos indicam que este período de tempo é fundamental para o equilíbrio bioquímico de substâncias tais como a hormônio de crescimento e cortisol (Dement, 2000).

O excesso de peso. Desequilíbrios bioquímicos são também ligados a uma inflamação causada por um excesso de gordura intra-abdominal. Além de um certo nível, a gordura intra- abdominal em excesso produz substâncias que causam inflamação.

A idade avançada. Outro fator é a velhice ou terceira idade. Com a idade, os níveis de interleucina aumentam muito, eles desempenham um papel no desenvolvimento de muitas doenças do envelhecimento, incluindo doenças cardíacas, osteoporose, doença de Alzheimer e outras doenças cognitiva.


 

Fatores de estresse físico e mental

Deve notar-se que o sistema imunitário está bem concebido para lidar com tais factores de stress físicos, tais como micróbios, entorse, febre de feno, etc.
O que não está claro, no entanto, é a forma como o sistema imunológico reage à acumulação de outros estressores físicos, má alimentação, falta de sono, alergias ou intolerâncias, o desalinhamento postural e articular e os corpos estranhos.
Além disso, os cientistas comportamentais examinaram os efeitos dos factores de stress mental e emocional na saúde fisiológica durante cerca de 80 anos.
Importante pesquisa mostrou que os fatores de estresse mental são um desafio para a homeostase, como a gripe ou lesão muscular.
O corpo responde ao estresse físico, emocional e mental através da liberação de hormônios como adrenalina e noradrenalina que preparam o corpo para ações diferentes.

 

 

    Leia também