Angina pectoris estável e instável | Sintomas e causas | Tratamento

Angina pectoris significa dor no peito e ocorre devido a um fornecimento insuficiente de sangue rico em oxigênio para os músculos do coração.

INDICE

 

Junto com a dor no peito, você pode sentir dor:

  1. No ombro,
  2. Nas costas (entre as omoplatas),
  3. No braço,
  4. No pescoço
  5. Na mandíbula.

A palavra angina pectoris deriva do grego angor que significa’ “estrangular” e pectus que significa ‘peito’.
Portanto, angina significa uma sensação de aperto no peito. Anginapectoris, toráx, peito

A angina não é uma doença mas um sintoma de uma doença arterial coronariana (DAC).
A doença arterial coronariana é causada por a formação de placas
nas paredes internas das artérias.
Esse fenômeno é mais frequente nos idosos porque leva décadas para desenvolver placas grandes

A conseqüência é o estreitamento das artérias que se tornam ainda mais rígidas.
Este fenômeno é chamado de aterosclerose.

 

Classificação da angina pectoris

A angina pode ser de três tipos: estável, instável e variável.

Angina estável ou crônica
Este é o tipo mais freqüente de angina.
Ocorre devido à estenose (estreitamento) das artérias coronárias maiores que têm uma placa aterogênica estável.
Esta placa tem:

  1. Uma cápsula fibrosa que a bloqueia,
  2. Depósitos de cálcio (calcificações).

Aparece quando fazemos um exercício físico como correr ou caminhar.
A dor no peito passa geralmente:

  1. Depois que a pessoa descansa por um tempo,
  2. Tomando medicamentos vasodilatadores.

Geralmente, a angina estável crónica tem a duração de 10-15 minutos e pode irradiar para outras partes do corpo, como braços, costas e os ombros.

Angina instável
Ao contrário da angina estável, a angina instável não ocorre com a atividade física.
A angina instável é uma forma mais grave da estável e pode acontecer em diferentes momentos do dia, mesmo em repouso.
A dor no peito:

  1. Tem a duração de 10\15 minutos,
  2. Não pode ser aliviada por medicamentos.

A dor não tem um padrão regular e previsível. Às vezes, pode ser um indicador de um infarto iminente do miocárdio.

Angina de Prinzmetal
Pode ocorrer durante a noite enquanto você está descansando ou dormindo. A dor é causada por espasmo (contração muscular) de uma artéria coronária.

A angina pode ser dividida em:
1. Angina pectoris espontânea se aparece em repouso sem uma causa específica.
2. Angina pectoris induzida por esforço se ocorre como conseqüência da atividade física.
3. Angina mista se ocorre em repouso ou após um esforço físico.

A angina esofágica é causada por doenças do esôfago, por exemplo o refluxo gastroesofágico.

A angina pectoris funcional é causada por doenças que não estão ligadas à redução do fluxo sanguíneo nas artérias coronárias.
Esta desordem inclui:

 

Graus de angina pectoris

Grau Descrição
I As atividades normais da vida diária não causam angina, por exemplo:

  1. Andar
  2. Subir as escadas.

A dor ocorre em caso de atividade física intensa ou prolongada.

II A angina limita a normal atividade física diária:

  1. Andar ou subir as escadas rapidamente,
  2. Subir a colina
  3. Andar ou subir as escadas:
    1. Depois das refeições,
    2. Em caso de frio ou vento,
    3. Sob estresse emocional,
    4. Algumas horas depois de acordar.
III A angina provoca uma importante limitação da atividade física.
Ocorre até mesmo depois de subir uma escada.
IV Nessa situação, o paciente sente dor no peito:

  1. Com um leve exercício,
  2. Em repouso.

Fonte: Canadian Cardiovascular Society grading of angina pectoris

 

Diferenças entre infarto e angina pectoris

Angina ocorre quando o fluxo de sangue para o músculo cardíaco é reduzido, mas não é interrompido.
Essa condição ocorre quando os músculos do coração não recebem a quantidade correta de oxigênio (ou sangue) para a contração.
A quantidade de sangue que atinge o coração é o suficiente para realizar as atividades normais, mas a maior exigência de oxigênio dada pelo aumento da atividade não é possível.
Durante o exercício o coração começa a bater mais rápido e necessita de mais oxigênio.
Isso pode desencadear os sintomas, ou seja, uma dor que dura 10-15 minutos.
A dor no peito é leve e não causa um dano permanente nos músculos do coração.

Por outro lado, um ataque do coração é desencadeado quando diminui o fluxo de sangue para uma parte do músculo cardíaco e causa a morte do tecido muscular.
Essa condição ocorre quando as artérias coronárias ficam bloqueadas devido a depósitos de colesterol.
A dor causada por um ataque cardíaco é forte e dura pelo menos 20-30 minutos: se o fluxo de sangue para o coração torna-se muito baixo pode causar danos irreparáveis para o músculo cardíaco e até mesmo a morte.

 

Angina pectoris na gravidez

O sistema circulatório de uma mulher grávida tem que trabalhar mais para atender a maior necessidades de sangue.
O coração tem que bombear mais porque o consumo de oxigênio é maior.
Nas mulheres grávidas, as exigências de oxigênio do miocárdio não podem ser satisfeitas pelo fluxo de sangue alterado pela doença arterial coronariana.
A angina pectoris é considerada um sinal de um ataque cardíaco, é essencial fazer um exame minucioso.
As doenças cardiovasculares não são freqüentes em mulheres grávidas; no entanto, existem outras doenças que podem alterar o equilíbrio entre a demanda e oferta de oxigênio.
A ansiedade ou atividade física pesada pode agravar a doença.

O médico pode prescrever medicamentos bloqueadores dos canais de cálcio, beta-bloqueadores ou nitroglicerina para tratar angina em mulheres grávidas.

  1. De acordo com um estudo científico, betabloqueadores e antagonistas do cálcio são seguros na gravidez (Childress C.H., Katz V.L. Nifedipine and its indications in obstetrics and gynaecology. Obstet Gynecol. 1994;83:616–624).
  2. Nitro-glicerina não tem efeitos teratogênicos conhecidos; no entanto, a dose não deve ser muito alta porque pode causar hipotensão materna que causa sofrimento fetal.

Os médicos devem ser cuidados quando prescrevem medicamentos para mulheres grávidas para o possível efeito sobre o feto.

O fumo é um dos principais fatores de risco de doença arterial coronariana adquirida. As futuras mães devem parar de fumar.
A dor no peito assemelhante a angina pode ser atribuído:

  1. Ao refluxo ácido,
  2. A problemas gastrointestinais.

 

Causas da angina pectoris

A angina é causada por fornecimento insuficiente de oxigênio aos músculos do coração. Os vasos sanguíneos que transportam o sangue ao músculo cardíaco podem ter um diâmetro reduzido devido à formação de placas ateromatosas.
Os diabéticos e as pessoas obesas têm um risco maior de desenvolver esta doença.
A maioria dos episódios ocorrem pelo exercício, mas também pode ser desencadeado por:

  1. Estresse emocional,
  2. Refeições pesadas,
  3. Frio,
  4. Fumo.

As crianças que sentem a angina pectoris geralmente têm malformações congênitas do coração, por exemplo a estenose aórtica que provoca a isquemia do miocárdio.
Nos jovens pode ser causada por abuso de cocaína.

 


Angina pectoris

Sintomas da angina pectoris

Nesta doença os sintomas principais são as seguintes:

  • Dor no peito central,
  • Dor irradiada ao pescoço,
  • Dor na mandíbula,
  • Dor no braço (especialmente no esquerdo),
  • Sensação de indigestão,
  • Sudorese,
  • Ansiedade.

A dor é descrita como opressiva. Às vezes pode ocorrer até mesmo a falta de ar.

 

Sintomas de angina em mulheres

Um dos sintomas mais importante é a dor no peito. Além disso, uma sensação de pressão, peso ou aperto no tórax. Às vezes a dor pode ser acompanhado por uma sensação de queimação no peito, muitas vezes confundida como um sinal de indigestão.
Aqui está uma lista dos sintomas mais comuns de angina em mulheres:

 

Diagnóstico de angina pectoris

Uma pessoa sujeita a frequentes episódios de dor no peito deveria consultar um médico imediatamente.
Os exames de diagnóstico mais prescritos em caso de angina de peito são os seguintes:

  1. Exames de sangue – para verificar a presença de creatina quinase e biomarcadores cardíacos (troponina) que o músculo cardíaco libera em caso de dano.
  2. ECG: eletrocardiograma – para ver a atividade elétrica e os batimentos cardíacos que podem indicar uma redução no fluxo sanguíneo
  3. Cateterização cardíaca,arterialTeste de estresse – para aumentar o trabalho do coração, desta forma a identificação da angina é mais fácil.
  4. Cintilografia miocárdica
  5. Ecocardiograma – para produzir imagens do coração mostrando os problemas do fluxo sanguíneo nas artérias coronárias
  6. Coronografia e cateterismo cardíaco – para avaliar a condição e o calibre das artérias
  7. Tomografia computadorizada do coração.

Para o diagnóstico de um ataque cardíaco, o nível de troponina deve ser verificado.
Entre a primeira e a segunda hora, a troponina tem a tendência mostrada na figura abaixo, logo é preciso avaliar:

  1. CK (creatina quinase),
  2. Mioglobina.

Os níveis desses marcadores sanguíneos são proporcionais à gravidade do infarto.
Os vestígios de troponina (troponinose) criam situações de pseudo-infarto (mesmo em crianças).

troponina, infarto, CK

A dor torácica também pode ser causada por outras doenças, como:

  1. Pneumonia,
  2. Pleurite (inflamação da membrana exterior dos pulmões),
  3. Pneumotórax (ruptura dos alvéolos dos pulmões), etc.

No entanto, nestes casos, a dor tem características diferentes, por exemplo:

  1. Não ocorre durante a atividade física,
  2. A duração não é de 10 a 15 minutos.

 

Tratamento para angina pectoris e gestão do paciente

Tratamento de emergência

  1. Se uma pessoa chega na sala de emergência com angina, o primeiro exame é o ECG,
  2. Se não for uma emergência, os marcadores no sangue também são avaliados,
  3. Se o ECG mostrar um supradesnivelamento do segmento ST, o médico aconselha urgentemente a angioplastia,
  4. Se os valores de troponina são normais, o paciente pode ter alta,
  5. No caso de angina instável com infradesnivelamento do segmento ST, o médico administra os medicamentos (aspirina), em seguida o paciente recebe alta.

Em hospitais que não estão equipados para fazer a angioplastia, no caso de pequeno ataque cardíaco com supradesnivelamento do segmento ST, o tratamento consiste em drogas trombolíticas (dentro de 60 a 90 minutos).
A trombólise precoce tem os mesmos efeitos que uma angioplastia, mas é importante intervir rapidamente para salvar o músculo cardíaco.

tratamento, angina, emergencia

 

Tratamento geral
Os medicamentos são prescritos para evitar a dor no peito.
O tratamento farmacológico inclui:

  1. Aspirina,
  2. Beta-bloqueadores,
  3. Nitratos,
  4. Bloqueadores dos canais de cálcio.
Tipo de angina Tratamento
Estável
  • Nitratos
  • Beta-bloqueadores
  • Bloqueadores dos canais de cálcio
Instável
  • Nitratos
  • Beta-bloqueadores
  • Bloqueadores dos canais de cálcio
    (eventualmente)
  • Antitrombóticos
  • Trombolíticos

De Prinzmetal

  • Nitratos
  • Bloqueadores dos canais de cálcio
  • Beta-bloqueadores
    (eventualmente)

 

Efeito de medicamentos:

  1. Aspirina ajuda o sangue a fluir livremente pela artéria restrita, porque impede a formação de coágulos.
  2. A administração dos beta-bloqueadores reduz a pressão sanguínea, bloqueando os efeitos do hormônio epinefrina (ou adrenalina).
    A consequência é a redução do batimento cardíaco e da pressão arterial.
  3. Os bloqueadores dos canais de cálcio ajudam a aumentar as artérias (Vasodilatação). O aumento do fluxo sanguíneo no coração reduz ou previne a angina.
  4. As pessoas com um nível de colesterol alto podem tomar estatinas (ajuda a reduzir o nível de colesterol no organismo).

Se a doença torna-se muito grave, uma cirurgia para corrigir os vasos sanguíneos restritos pode ser necessária.
Os procedimentos cirúrgicos incluem:

  1. Angioplastia,
  2. Revascularização miocárdica.

 


Dieta e alimentação para angina pectoris

Um tratamento precoce pode reduzir o risco de ataque cardíaco. No entanto, é necessário seguir uma dieta saudável para evitar a angina.
Um indivíduo com angina pectoris deve evitar o consumo de alimentos que aumentam os níveis de colesterol.
A dieta deve incluir:

  1. Frutas,
  2. Vegetais,
  3. Frutas com casca (nozes, amêndoas, pistácios, etc.)
  4. Alimentos ricos em fibras.

O peixe azul é um alimento que pode ser muito útil: é aconselhável comer:

  1. Salmão,
  2. Atum,
  3. Cavala.

A carne mais indicado é a da turquia.
Mesmo o consumo de alimentos preparados com cebola e alho seria útil para reduzir o nível de colesterol.

Finalmente, você deve implementar algumas mudanças de estilo de vida para reduzir as complicações da aterosclerose.
É recomendado parar de fumar completamente.
Você deve reduzir a ingestão de:

  1. Álcool,
  2. Chocolate,
  3. Manteiga,
  4. Carne vermelha,
  5. Açúcar,
  6. Alimentos ricos em hidratos de carbono (cereais, arroz, pão integral, etc.),
  7. Frituras.

 

Quanto tempo dura? Qual é o prognóstico?

A expectativa de vida em caso de angina instável depende da gravidade da área afetada pela isquemia.
Se o paciente tem angina estável devido à aterosclerose, o prognóstico a longo prazo depende de:

  1. Extensão das placas ateroscleróticas,
  2. Situação cardíaca,
  3. Idade do paciente.

Leia também