Cólicas abdominais – causas e durante a gravidez

Causas de cólicas abdominais

Apendicite
O aparecimento súbito de dor e as cólicas na parte inferior direita do abdome são sintomas de apendicite.

ÍNDICE

 

 

A apendicite é uma das principais causas de cólicas em crianças junto com o bloqueio intestinal e a intolerância à lactose.
Outros sintomas incluem:

Em caso de apendicite, a barriga torna-se rígida e  extremamente dolorosa ao toque.
Se esta doença não for tratada, pode causar septicemia e morte.

Diverticulite
Na diverticulose, pequenas bolsas são formadas ao longo da parede do cólon.
Às vezes, essas bolsas ficam inflamadas e desenvolve-se uma doença chamada diverticulite.
Os sintomas são:

  • Dores na zona abdominal,
  • Cólicas,
  • Ardência,
  • Excesso de gases intestinais,
  • Náusea,
  • Diarreia,
  • Constipação,
  • Febre,
  • Mal-estar geral.

Endometriose
A endometriose é uma doença caracterizada pelo crescimento do tecido que normalmente reveste o útero (endométrio) na cavidade abdominal.
Ao longo do tempo, estas células fora do lugar formam cicatrizes que podem causar dor abdominal inferior.
Outros sintomas incluem:

Intoxicação alimentar
A intoxicação alimentar por Salmonella é um dos problemas mais frequentes relacionados com a comida nos Estados Unidos, com mais de 30 milhões de casos relatados a cada ano.
A intoxicação aguda provoca:

  • Cólicas abdominais,
  • Náusea,
  • Diarreia,
  • Vômitos.

Cálculos biliares
Um cálculo biliar é um depósito de colesterol, cálcio e bilirrubina localizado na vesícula biliar ou no ducto biliar comum.
Os cálculos podem causar:

Gastrite
Os sintomas da gastrite incluem:

As cólicas abdominais são sentidas à esquerda, logo abaixo das costelas.
Os sintomas da gastrite aparecem cerca de meia hora depois de comer.
Nos casos mais graves, também pode haver:

As cólicas causadas por gastrite podem ocorrer durante a noite se o indivíduo jantar tarde.

Golpe de calor
As fortes cólicas abdominais causadas pela perda excessiva de sódio são um sintoma grave do golpe de calor.
O tratamento envolve um resfriamento imediato e a reposição de líquidos e sais minerais.

abdome,inferior,anatomiaSíndrome do intestino irritável
Os episódios de cólicas abdominais com diarreia (às vezes alternadas à constipação) são característicos da síndrome do intestino irritável. A doença desenvolve-se geralmente em adolescentes ou jovens adultos e é exacerbada pelo estresse.

Cólicas menstruais
As cólicas associadas com o ciclo menstrual estão entre os sintomas mais comuns que ocorrem antes do ciclo.
A dor é causada por uma excessiva produção de prostaglandinas, substâncias semelhantes aos hormônios que causam:

Tomar medicamentos anti-inflamatórios, que bloqueiam as prostaglandinas, alivia a dor em até 90% dos casos.

Infecções parasitárias
A têniagiárdia e outros parasitas intestinais podem causar:

Diarreia do viajante
A diarreia do viajante é caracterizada por:

  • Ataques de diarreia,
  • Náusea,
  • Vômitos,
  • Cólicas abdominais.

Geralmente está relacionada a viagens e climas quentes.

Colite ulcerativa
inflamação do intestino, chamada colite ulcerativa, manifesta-se com:

A diarreia frequentemente contém muco com traços de sangue e pode ser alternada à prisão de ventre.
A parte inferior do abdómen pode ser dolorosa e inchada.

Doença celíaca ou intolerância ao glúten
O glúten é uma proteína encontrada em muitos grãos, incluindo:

  • Kamut,
  • Trigo,
  • Cevada,
  • Centeio,
  • Avena.

Se as pessoas com doença celíaca comerem alimentos ou produtos com glúten, seu intestino sofre danos (destruição das vilosidades intestinais).
Entre os sintomas da doença celíaca estão:

Intolerância à lactose
É uma doença caracterizada pela falta da enzima lactase, que é usada para digerir a lactose.
Os sintomas de intolerância à lactose incluem:

  • Inchaço,
  • Dor,
  • Náuseas e raramente vômitos,
  • Diarreia,
  • Cólicas abdominais.

 

Doenças graves que causam cólicas abdominais

Em alguns casos, as cólicas abdominais podem indicar um problema muito sério.
Alguns tipos de câncer, incluindo câncer do pâncreas, ovários e fígado causam dor e cólicas abdominais.
Além disso, a inflamação de um órgão pode indicar uma causa grave de dor abdominal.
A forma mais frequente de inflamação no abdómen é a apendicite.apêndice,inflamado,apendicite

As causas mais frequentes de dor abdominal não são mortais, mas é melhor consultar o médico.

 


Cólicas abdominais e inchaço

As causas mais comuns de cólicas acompanhadas de barriga inchada são:

  • Apendicite,
  • Cólica menstrual,
  • Síndrome do intestino irritável,
  • Doença celíaca,
  • Intolerância à lactose.

 

Cólicas abdominais e diarreia

Entre as causas de cólicas abdominais acompanhadas de diarreia estão:

  • Doença celíaca,
  • Intolerância à lactose,
  • Colite ulcerativa,
  • Diarreia do viajante,
  • Infecções parasitárias,
  • Síndrome do cólon irritável,
  • Intoxicação alimentar,
  • Diverticulite.

 

Cólicas abdominais durante a gravidez

Se a mulher grávida sentir cólicas leves no abdómen, não deve se preocupar porque são normais na gravidez.
Ocorrem especialmente no início da gravidez e durante o segundo trimestre, quando o peso do bebê aumenta.
Às vezes, as cólicas são uma consequência de um problema de digestão.
Raramente as cólicas leves podem ser uma emergência médica, mas se a dor for forte e persistente, é necessário procurar o médico.

Relaxar
Os músculos e ligamentos que suportam o útero são esticados e alongados em todas as direções durante a gravidez.
Isso pode causar cólicas de vez em quando.
A dor pode ser leve ou forte.
Pode ser particularmente perceptível quando se efetua um movimento rápido, como:

  • Levantar-se de uma cadeira,
  • Tossir,
  • Espirrar.

Não é necessário preocupar-se. Algumas mulheres têm cólicas quando executam exercícios que causam ainda mais estresse nos músculos e ligamentos que já estão sobrecarregados.
Se a mulher sentir cólicas durante os exercícios, deverá ouvir o próprio corpo, parar e descansar.

As cólicas também podem lembrar que é preciso prestar atenção ao que se come.
A má digestão pode causar cólicas.
Quando se come demais ou come-se alimentos errados, é possível que se sinta cólicas no estômago. A constipação também provoca cólicas muito dolorosas.


Cólicas no início da gravidez
O ovo adere-se à parede do útero alguns dias após a concepção (na primeira semana de gravidez).
No momento em que o ovo se enraíza, a mulher pode sentir cólicas que são normais e que não devem causar preocupação.

Atenção
Às vezes as cólicas são um sinal de perigo que não deve ser ignorado.
Existem três situações que podem causar cólicas:

  • Aborto espontâneo. Cerca de 20% das gestações terminam em aborto nos primeiros três meses de gravidez. (O aborto espontâneo ocorre quando o feto ou embrião não se desenvolveu o suficiente para sobreviver fora do útero).
    As cólicas graves no primeiro trimestre (muitas vezes em conjunto com sangramento pela vagina) podem indicar problemas.
  • Gravidez ectópica. Se o ovo fertilizado se depositar fora do útero, não poderá sobreviver e irá causar uma forte dor no baixo ventre e uma hemorragia.
    As cólicas são sentidas nas primeiras semanas de gravidez.
  • Parto prematuro
    Todos os anos, centenas de milhares de crianças nascem antes do 9º mês.
    O parto prematuro é caracterizado por vários sinais, incluindo as cólicas abdominais.

É normal sentir cólicas nos dias após o parto?
Sim. Muitas mulheres sentem dor e cólicas abdominais que pioram durante a lactação.
Elas são causadas pelas contrações do útero, quando recupera o tamanho que tinha antes da gravidez. Essas cólicas podem durar até uma semana após o parto.

 

Cólicas durante a corrida

Em alguns casos, quem tem cólicas abdominais dolorosas tem vontade de se deitar na posição fetal na cama depois de cada treino aeróbico.
No entanto, não é necessário parar de correr por medo da dor.

Comida e bebida
Evitar comer de 2 a 4 horas antes dos exercícios pode ajudar a prevenir as cólicas abdominais.
A desidratação também pode causar cólicas; é aconselhável beber água antes, durante e após o treinamento.

Tratamento para os músculos

Fortalecer os músculos com exercícios como flexões pode ajudar a prevenir cãibras durante os treinamentos.
Além disso, para que as cólicas parem depois de ocorrerem, é preciso fazer uma pausa e respirações profundas.

Leia também